C.S.C.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de C.S.C)
Ir para: navegação, pesquisa
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Um dos vários tipos de desenho do olho. Nesta, que não parece muito com um olho, dá para notar as letras V,F, e D. Que são as iniciais de C.S.C. em inglês.

C.S.C. é uma organização secreta dentro da série de livros Desventuras em Série, de Lemony Snicket. O propósito da organização nunca se deixou claro, embora o seu nome esteja relacionado a várias interpretações da palavra "fogo". Os membros de C.S.C. são conhecidos por terem noções de várias (e muitas vezes incomuns) atividades acadêmicas, por exemplo criptografia, treinamento de disfarce, prevenção de crimes, espionagem, projetos de condicionamento animal, e ativismo social. Princípios mais conhecidos da organização incluem tanto extremo sigilo e dedicação à organização em si, com início da associação desde a infância.

Foi insinuado que a finalidade original do voluntariado era combater incêndios físicos, e mais tarde evoluiu para outra luta, a de “incêndios metafóricos”, como o mal e a ignorância. Seu lema é “Aqui o mundo é sereno,” refletindo sua dedicação a fim de manter o mundo sereno, em outras palavras: pacífico, culto e seguro. Desta forma, a C.S.C. dedica-se à coleta de informações verdadeiras em livros de lugar-comum, e em reuni-los em vários “lugares seguros”. Inicialmente, os voluntários possuíam a tatuagem de um olho em seu tornozelo esquerdo.

Em determinado momento, a C.S.C. sofreu uma cisão, dividindo seus membros em voluntários e vilões. Voluntários continuaram a apagar incêndios, enquanto vilões os iniciavam, embora seja enfatizado que as circunstâncias muitas vezes obrigam as pessoas a se comportarem como seus próprios inimigos.

História[editar | editar código-fonte]

C.S.C. é mencionada pela primeira vez em Inferno no Colégio Interno quando os trigêmeos Quagmire, Duncan e Isadora Quagmire pesquisavam o passado de Conde Olaf. No clímax do livro, eles revelam que descobriram um importante segredo sobre C.S.C., porém são sequestrados por Olaf antes de poderem dizê-lo aos órfãos Baudelaire. A sigla tem destaque maior nos volumes seguintes; o grupo está ligado à morte dos pais dos Baudelaire e dos Quagmire e aos planos de seu inimigo, Conde Olaf. O sétimo livro da série foi traduzido no Brasil para A Cidade Sinistra dos Corvos, e se passa na cidade de Cultores Solidários de Corvídeos a fim de instigar a mente dos leitores e dos protagonistas. Eventualmente, ela transparece ser o nome de uma sociedade secreta. O Escorregador de Gelo sugere que C.S.C. signifique 'Corporação pelo Salvamento dos Chamas', além de outros significados; em O Fim, é confirmado que 'Corporação pelo Salvamento das Chamas' é realmente o significado correto das iniciais. Em A Gruta Gorgônea, é relevado que, embora essa seja a origem da sociedade, seus membros possuíam muitos outros interesses. "C.S.C." também é utilizado como uma abreviação para vários termos e usos relacionados ao voluntariado, o que aumenta a confusão de indivíduos não iniciados sobre o propósito da organização.

De acordo com Kit Snicket, pode-se entender que o grupo iniciou ativamente os incêndios (uma espécie de alusão aos "bombeiros" de Fahrenheit 451, de Ray Bradbury), o que realmente acontece quando o grupo é dividido devido à cisão. Uma parte dos cismáticos combate incêndios enquanto a outra parte é composta pelos incendiários. Quando e porquê a cisão ocorreu exatamente são ainda fatos desconhecidos, exceto que foi durante a infância de Kit Snicket e Dewey Denouement e que parece haver uma linha entre aqueles que combatem incêndios e aqueles que os iniciam. Esses primeiros membros são chamados "voluntários" e os últimos "vilões". Os "voluntários" aparentam sempre estar em desespero; é abertamente declarado que os "vilões" são cada vez mais poderosos e os "voluntários" mais vulneráveis. No entanto, o epílogo de O Fim sugere que após os seus eventos, o lado "voluntário" da organização sobreviveu ou se recuperou, enquanto a parte vilanesca retornou ao seu poder original, ou ainda que possivelmente ambos os lados foram fragmentados.

Os protagonistas da série, Violet, Klaus e Sunny Baudelaire, descobrem que seus pais foram membros dessa organização, assim como muitos de seus tutores e vários personagens que encontram ao longo dos livros, tais como Lemony, Kit e Jacques Snicket e o Conde Olaf. Entretanto, os Baudelaire percebem haver uma divergência nos princípios desses membros devido a cisão. Quando essa cisão ocorreu é fato desconhecido, embora seja possível supor com base nos outros livros, como Lemony Snicket: Autobiografia Não Autorizada.

Deve-se notar que a maioria dos membros de C.S.C. possuem bibliotecas, e o inimigo natural de uma biblioteca é o fogo.

O correspondente em inglês a C.S.C. é V.F.D.

Açucareiro[editar | editar código-fonte]

Um misterioso açucareiro é de enorme valor para os membros de ambos os lados da cisão, da qual é afirmada ser a sua causa e serve como um MacGuffin para conduzir a história nos livros posteriores. Apesar dele e de seu conteúdo ser perseguido por voluntários, vilões e pelos Baudelaire, o seu significado nunca é revelado e ele não aparece no livro final da série, embora seja sugerido que o açucareiro contenha um antídote para o fungo Medusoid Mycelium. A dica que para seu verdadeiro sentido é a observação: "não é o açucareiro que é importante, é o que tem dentro dele". É dito em O Escorregador de Gelo que o açucareiro é jogado por um dos membros de C.S.C. pela janela da sede nas Montanhas da Mão-Morta dentro do Arroio Enamorado.

As descobertas dos Baudelaire[editar | editar código-fonte]

  • A sigla C.S.C. é mencionada primeiramente por Duncan Quagmire em Inferno no Colégio Interno, quando ele tenta contar a Klaus algo terrível acerca do passado do Conde Olaf, mas apenas consegue gritar as iniciais da organização antes de que ele seja sequestrado juntamente com Isadora.
  • Em seguida, em O Elevador Ersatz, os Baudelaire descobrem um túnel a partir da Avenia Sombria 667 (a casa de Esmé e Jerome Squalor) até a mansão Baudelaire. Esmé é da parte vilanesca da cisão de C.S.C., enquanto Jerome torna-se parte do voluntários após os eventos do sexto livro. Além disso, no 'Leilão In', os Baudelaire compram o item C.S.C. apenas para descobrir que eram 'Caprichosos Suportes para Copos' (em inglês, 'Very Fancy Doilies'), o que não era a espécie de C.S.C. que eles procuravam.
  • Em A Cidade Sinitra dos Corvos, um lar é oferecido aos Baudelaire na cidade conhecida apenas como "C.S.C.". Pensando ser relacionado ao segredo mencionado, os irmãos chegam lá apenas para descobrir que seu significado é cidade dos Cultores Solidários de Corvídeos — ainda não o tipo de C.S.C. que eles procuram, embora encontrem um homem chamado Jacques que aparenta ser um membro de C.S.C.; entre outras características, ele possui uma tatuagem de olho idêntica a do Conde Olaf. É mais tarde revelado que todos os membros de C.S.C., pelo menos por um certo período, foram tatuados com esse símbolo.
  • Em O Hospital Hostil, os Baudelaire encontram um grupo de pessoas que chama a si mesmo de Combatentes pela Saúde do Cidadão, que também não é relacionado à organização secreta. O trio descobre mais tarde que uma pessoa sobreviveu ao incêndio que destruiu sua casa, possivelmente um de seus parentes, como sugerido por uma sentença escrita na página 13 do Caso Snicket: "Devido a evidência discutida na página nove, peritos agora suspeitam que pode, de fato, haver um sobrevivente do incêndio", o que é acompanhado pela fotografia dos pais Baudelaire, Jacques Snicket, e uma pessoa cuja face está virada contra a câmera (possívelmente Lemony Snicket).
  • Em O Espetáculo Carnívoro, os Baudelaire aprendem sobre o kit de disfarces e são apresentados ao olho.
  • Os voluntários possuem pasagens construídas abaixo de suas casas a fim de escapar para lugares seguros durante incêndios (por exemplo, a passagem debaixo da mansão Qagumire leva à casa do tio Monty, de A Sala dos Répteis, e o poço do elevador na Avenida Sombria 667 vai da cobertura de Esmé Squalor até a mansão Baudelaire, como visto em O Elevador Ersatz.
  • Em A Gruta Gorgônea, o Capitão Andarré conta aos Baudelaire que C.S.C. começou como um corpo de bombeiros, mas eventualmente se expandiu ao possuir aviões e navios e incluiu muitas áreas de serviços secretos.
  • Em O Penúltimo Perigo, os Baudelaire encontram Dewey Denouement, que é a única pessoa que conhece o paradeiro do açucareiro. Porém Klaus descobre que o açucareiro caiu na lagoa próxima ao Hotel Desenlance. Quando Dewey morre, o segredo supostamente morre com ele, embora a narrativa sugira que o açucareiro foi recuperado por um motorista de táxi, que seria o próprio Lemony Snicket. Pistas nos livros insinuam que o açucareiro contém raiz-forte, um antídoto ao fungo venenoso Medusoid Mycelium.

Sugestões de Snicket[editar | editar código-fonte]

No livro Lemony Snicket: Autobiografia não Autorizada, muitas ocorrências a C.S.C. são feitas; mais importante, ele revela muito mais sobre a natureza da C.S.C. como uma organização:

  • Muitos membros pertenciam a C.S.C. desde a infância.
  • Crianças foram levadas de seus pais - embora que com permissão - e criadas para se tornarem voluntários. Elas foram selecionadas por possuírem habilidades excepcionais em observação e anotação, bem como isoladas de suas famílias.
  • O objetivo da C.S.C. é garantir que o mundo continue "sereno"; o lema da organização secreta é "Aqui o mundo é sereno". Essa é uma alusão ao poema de Algernon Charles Swinburne, The Garden of Proserpine, que inicia com a frase Aqui, onde o mundo é sereno.
  • Conde Olaf era um membro de C.S.C.
  • Devido a seus inimigos, C.S.C. era forçada a mudar suas sedes com frequência.
  • Membros da C.S.C. não são remunerados.
  • Desde a cisão, C.S.C. percebeu que era imprudente marcar permanentemente alguém com um símbolo quando o significado dele estava sujeito a mudar a qualquer momento, logo, os novos membros de C.S.C. não recebiam mais a tatuagem.
  • As sedes de C.S.C. foram construídas pela Serraria Alto-Astral usando uma "madeira-esmeralda" especial.

Arquivo Snicket[editar | editar código-fonte]

Sugerido em O Escorregador de Gelo que tenha sido escrita por Jacques, Kit e Lemony Snicket, o arquivo é primeiramente mencionado em O Hospital Hostil, em que também é referido como arquivo Baudelaire. O Conde Olaf quer obtê-lo e destruí-lo pois ele suspostamente tem provas suficientes para colocar a eles e a seus associados na prisão. Os órfãos Baudelaire também desejam o arquivo, acreditando haver informação sobre eles mesmos e sobre o paradeiro de um possível sobrevivente ao incêndio que destruiu seu lar.

O Arquivo Snicket tem treze páginas e se diz conter gráficos, mapas e fotografias. Ele também é descrito por personagens na série como "o arquivo sobre os fogos Snicket" e "o arquivo Baudelaire". A décima terceira página apresenta uma fotografia de Jacques Snicket, um homem de costas para a câmera (muito provavelmente Lemony Snicket), o Sr. e a Sra. Baudelaire (e, fora de vista, o fotógrafo) parados em frente da Avenia Somrbai 667 em tempo frio, acompanhado do texto "Devido à evidência discutida na página nove, peritos agora suspeitam que possa existir, de fato, um sobrevivente ao incêndio, embora o seu paradeiro seja desconhecido."

O conteúdo da página nove, e o resto das páginas do arquivo (com a possível exceção de uma página da abertura para Mau Começo, que foram instruídas para serem colocadas no arquivo Baudelaire), são desconhecidas, assim como se o incêndio referido é o que destruiu a mansão Baudelaire, ou o que destruiu a casa dos Quagmire, ou ainda qualquer outro incêndio associado à C.S.C.

Em O Fim, Snicket escreve: Muito embora Kit Snicket não tivesse trazido notícias de seus pais, a história dela sobre o Grande Desconhecido os fez ver por fim que as pessoas que tinham escrito todos aqueles capítulos do Desventuras em Série haviam partido para dentro do grande desconhecido para sempre, e que Violet, Klaus e Sunny também seriam órfãos para sempre. Isso implica que depois de O Fim, os Baudelaire têm bastante certeza de que seus pais morreram no incêndio e que são provavelmente corretos ao pensar assim.

Depois de saber de Hal, o guardião da Biblioteca de Registros do Hospital Heimlich, que há informações sobre eles mesmos no "arquivo sobre os fogos Snicket", os órfãos Baudelaire tentam recuperar o arquivo da biblioteca do hospital. No entanto, eles conseguem a décima terceira e última página, que havia sido acidentalmente deixada para trás quando o resto fora removido por uma investigação oficial de caráter desconhecido. Os Baudelaire interpretam a página obtida como um indicativo de que um de seus pais sobreviveu ao incêndio que supostamente os matou, e esse conhecimento os motiva até O Escorregador de Gelo.

Em O Escorregador de Gelo, o Arquivo Snicket é dado ao Conde Olaf pelo homem com barba mas sem cabelo e pela mulher com cabelo mas sem barba, como recompensa por ter incendiado do Parque Caligari. Os três, junto de Esmé Squalor, adentram sua tenda para ler o arquivo e discutir seu conteúdo - dispensando os associados de Olaf, que não queria dividir os segredos com eles. Mais tarde, o arquivo revela o nome do último local seguro para C.S.C. Em seguida, ele desaparece da narrativa e não é mais mencionado; assume-se que o arquivo, ou ainda está em posse de Olaf, ou foi destruído como este pretendia. Ele não tem significância para a história após estes eventos; em A Gruta Gorgônea, Snicket escreve que, embora por algum tempo os Baudelaire acreditassem que o Arquivo Snicket significava a sobrevivência de um de seus pais, eles já haviam se conformado de que não significava tal coisa. De fato, o sobrevivente relatado na página 13 do arquivo é na verdade Quigley Quagmire (primeiramente mencionado em Inferno no Colégio Interno, mas surgindo fisicamente em O Escorregador de Gelo) fazendo altamente improvável aos Baudelaire que um de seus pais estivesse ainda vivo. É possível que um dos "importantes pedaços de papel" voando pelo deserto, como mencionado em A Gruta Gorgônea fossem parte do arquivo Snicket. Ou, os papéis pudessem ser páginas dos cadernos dos Quagmire, que foram destruídos por um arpão em A Cidade Sinistra dos Corvos.

Códigos[editar | editar código-fonte]

A organização utiliza vários códigos para transmitir mensagens secretas para outros membros. Como mais importantes, podemos citar:

  • Código Sebald: Citado pela primeira vez na Autobiografia Não Autorizada, foi desenvolvido pelo Dr. Gustav Sebald e utilizado inicialmente para transmitir mensagens nos seu filmes. Funciona do seguinte modo, o código é falado ou mostrado no filme, os voluntários sabem que é código, pois a mensagem se inicia e termina ao badalar de um sino. As falas e imagens, podem também estarem codificadas nas falas e/ou no filme, para dificultar o entendimento.
  • Comunicação por Semi-flutuações em Cânticos: Consiste em poemas de escritores famosos. Se comparar o poema das mensagens escritas pelos textos originais, irá notar uma alteração no poema. As palavras que corrigirem as palavras modificadas farão parte da mensagem. Foi visto em A Gruta Gorgônea.
  • Colóquio Secreto Criostático: Aparece em O Escorregador de Gelo e é transmitido através do conteúdo de geladeiras. Os membros desenvolveram o código devido à durabilidade dos alimentos quando refrigerados.
    • Quando há a presença de cebolinhas semicongeladas na geladeira significa que existe uma mensagem codificada.
    • As iniciais do destinatário da mensagem estarão escritas no pote da geléia mais escura.
    • Se a mensagem indica um dia, este será um dia da semana representado pelo número de frutos em um frasco. O domingo é representado por um único fruto, a segunda-feira por dois, e assim por diante.
    • Os condimentos à base de especiarias trazem uma etiqueta codificada que leva o membro de C.S.C. a poemas em código.

Como funciona a organização[editar | editar código-fonte]

Como se tornar um voluntário[editar | editar código-fonte]

Para se iniciar um voluntariado na organização, a pessoa não escolhe se quer ser ou não. Os voluntários pegam o novo voluntário enquanto é um bebê, e fazem com que ele passe por um longo treino. Depois disso, os voluntários observam se ele se tornará um bom voluntário. Se for aprovado, ele se será um novo voluntário, vendo raramente os pais.

Mas depois da cisão que ocorreu em C.S.C., as maneiras para se iniciar o voluntariado mudaram. A pessoa ouve algo estranho de um estranho ou da própria mãe. Quando isso acontece, é porque os voluntários estão oferecendo para ele se tornar um membro de C.S.C.. Depois disso, como citado no título anterior, ele ouve algo estranho e pergunta para os pais: "O que foi esse barulho", os pais respondem em código: "Nada". E a pessoa que está sendo chamada para o voluntariado diz: "Se não há nada la fora, o que foi aquele barulho?" quando ele diz isso, os voluntários percebem que podem levá-lo. Não possui data determinada para ele voltar a ver os pais.

Os objetivos da organização[editar | editar código-fonte]

O objetivo principal da organização é apagar incêndios. Esta frase pode ser interpretada como uma metáfora, e o verdadeiro objetivo pode ser "acabar com qualquer tipo de maldade no mundo". Com o passar do tempo a organização evoluiu, e ela não só mais apagava incêndio. Ela fazia várias outras coisas, como locais para treinar animais, ou centros de pesquisas, como é o caso das Aquáticos Anwhistle. Além disso, depois da cisão eles construíram mais um objetivo: Revelar que pessoas eram vis e quais eram nobres.

Animais e insetos de C.S.C.[editar | editar código-fonte]

C.S.C. cria certos tipos de animais para ajudar em incêndios e até para alertálos de algum perigo.Aqui estão os até agora descobertos.

  • Os Leões: Foram os animais escolhidos para farejar fumaça, usados então para detectar incêndios. Depois da cisão em C.S.C. , Conde Olaf os roubou e os deixou vários dias sem comer, chicoteando - os, para que devorassem qualquer pessoa que fosse atirada na jaula.
  • Os Corvos: Serviam para mandar cartas, mensagens e objetos pelos ares. Foram usados para mandar o açucareiro até o hotel Desenlance, mas não se sabe se eles conseguiram cumprir sua missão. Carmelita Spats estava incubida de abater qualquer corvo-correio que passasse por cima do hotel Desenlance.
  • Os répteis: Eram usados para vigiar as bases e mansões de C.S.C., como diz no Lemony Snicket: Autobiografia não Autorizada a mamba do mal sibilava mensagens em códigos, por exemplo, ao sibilar "Sucessivas sanguessugas" ela estaria avisando "inimigos por perto"; ao sibilar "Foi-se e acabou-se" ela quer dizer "Provavelmente disfarçados". E ao sibilar "Agonizar" ela estaria dizendo "Cuidado com os incêndiários". Além dos répteis, os grilos também conseguem pronunciar as mesmas palavras em códigos para alertar voluntários.
  • As águias: No décimo livro de Desventuras em Série o Homem com Barba, mas sem Cabelo e a Mulher com Cabelo, mas sem Barba chamaram as águias para sequestrar todos os escoteiros da neve. Antes da cisão de C.S.C. eles serviam para ver incêndios a longa distância.
  • Os salmões: Foram citados no décimo primeiro livro de Desventuras em Série, eles foram treinados para nadar contra a maré para detectar incêndios florestais, mas o Café Salmonela os capturou e provavelmente os usou no seu restaurante.
  • Os grilos: Foram mencionados na Autobiografia não Autorizada como já foi dito acima, usando as mesmas mensagens em código que a Mamba do Mal sibilava. A Autobiografia não Autorizada foi feita com várias cartas, telegramas, mensagens, em código, pedaços de livros e etc. Existe um pedaço do capitulo de um livro intitulado: "Capítulo XV. Grilos". O texto não parece fazer nenhum sentido de acordo com o livro, mas na verdade é um texto que está em código, o qual você só o decifra se souber o código dos grilos.
  • Os morcegos: Estes animais foram citados no livro The Beatrice Letters, e eram treinados para mandar mensagens para outros voluntários. Como os morcegos eram animais noturnos, eles mandavam as mensagens à noite, mas por algum motivo, os morcegos não foram treinados corretamente entregando a correspôndencia para o destinatário errado. Por isso, eles pararam de treinar morcegos. O interessante é que os corvos e morcegos entregavam cartas, e os dois eram animais pretos. Talvez isso seja porque os voluntários preferiam mandar mensagens noturnas e assim os inimigos possuiam chances menores de roubar as cartas ou mensagens.

Significados de C.S.C.[editar | editar código-fonte]

C.S.C., como dito a cima, possui vários significados para a organização. Nas crônicas dos Baudelaires ou seja, nas (Desventuras em Série) e no (Lemony Snicket: autobiografia não autorizada),são citados vários significados de C.S.C..

Significados de C.S.C. para a organização[editar | editar código-fonte]

  • Cultores Solidários de Corvídeos
  • Correntezas que Sopram Constantes
  • Caçadores de Segredos Criminais
  • Caminho Secundário das Chamas
  • Cilindros Sempre-verdes Combustíveis
  • Cerramento Supravernacular Complexo
  • Corporação pelo Salvamento das Chamas
  • Colóquio Secreto Criostático
  • Correio Sub-reptício Cooperativo
  • Criação Secreta de Cardumes
  • Comunicação por Semiflutuações em Cântico
  • Colimadores Simplificados de Clarificação
  • Cozinha Sabor Criptográfico
  • Cachos Sumarentos e Capitosos
  • Caracterização Singular de Cenhos
  • Composição de Simulacros Convincentes
  • Companhia Superfalsificadora de Comprovação
  • Companhia Social Chique
  • Cadernos Semiológicos de Cinema
  • Cobras e Serpentes Comestíveis
  • Corajoso Sodalício Campestre
  • Clarificação de Sibilinos Cantares
  • Cebolinhas Semicongeladas Cheirosas
  • Construção por Seleção de Cacos
  • Carreação de Supervoláteis Cogumelos
  • Corredores Sub-reptícios das Chamas
  • Continente Sacarífero Codificado
  • Combatentes pela Saúde do Cidadão

O Olho[editar | editar código-fonte]

O grande símbolo da organização secreta é um olho, e este pode ser encontrado tatuado em todos os seus membros. Foi visto pela primeira vez logo no primeiro livro, Mau Começo, no tornozelo do Conde Olaf, o primeiro tutor das crianças. Em A Cidade Sinistra dos Corvos também vemos o olho tatuado no tornozelo de Jacques Snicket e este fato leva ele a ser confundido com o próprio Olaf.No último livro da série,eles vêem o mesmo olho tatuado no tornozelo de Ishmael,o facilitador da ilha, e no tornozelo de Kit Snicket.

Em algumas versões do desenho do olho podemos encontrar as letras "V", "F" e "D" escondidas, que representam C.S.C. em inglês. No desenho dos primeiros livros, entretanto, as letras não são visíveis e a tatuagem se assemelha a um olho comum. Esse fato não foi explicado pelo próprio autor ou pelo desenhista, mas fãs pensam que se deve à descoberta da existência da organização pelos Baudelaires. Nos primeiros livros não havia nenhuma suspeita do envolvimento de uma organização no incêndio da sua casa, já a partir do quinto livro, os órfãos abriram os olhos para certos elementos.

A Cisão[editar | editar código-fonte]

O livro Lemony Snicket: Autobiografia não Autorizada dá várias pistas sobre como ocorreu a cisão, embora ela é, como quase todas as coisas em Desventuras em Série, incerta.Para explicar como ocorreu a Cisão, deve-se entender o básico, ou dar uma relida, por isso vou começar a escrever um pouco do básico. Em C.S.C. só ingressa pessoas com “dons” especiais, e depois de vários treinamentos elas se tornam pessoas nobres (não no sentido de ter sangue real) e não vis. Lá existem laboratórios, bibliotecas, oficinas, cozinhas, teatros, mordedores, ou melhor, coisas bem “culturais”. Mas alguns voluntários começaram a usar do truques, códigos e conhecimentos que aprendiam para aplicar golpes e começar a roubar fortunas, e depois começaram a queimar casas. C.S.C. passou a ser vista como uma organização criminosa por causa destes voluntários, e após a tomada da imprensa por eles ( O Pundonor Diário), começaram a divulgar o local de suas bases de operações para lucrar, na coluna de Geraldine Julienne "Sociedades Secretas que você precisa conhecer!". Os olhos gravados em madeira verde nas sedes foram abolidas. As tatuagens de olho também. Começou a se cavar túneis ligando casas de voluntários à outras, caso tivessem um problema bastava fugir por ali. Mudavam de base toda a semana, pois sempre era noticiada no jornal. Isso porque os voluntários que usavam seus conhecimentos para a vilania estavam traindo-os. E quando desmascararam O (Olaf?) e E (Esmé?), ocorreu a Cisão. Jacques implorou ao amigo Jerome, para comprar o apartamento ligado com a mansão Baudelaire, e ele o fez. Mas Esmé Squalor o seduziu e eles casaram (claro que ela casou pensando no apartamento) após um dia. E depois disso ela a utilizou para matar Beatrice e Bertrand. C.S.C. praticamente acabou com o incêndio do Hotel Desenlace, onde muitos de seus membros foram mortos, e os restantes foram levados pelo Grande Desconhecido. Muitos incendiários também morreram. Lemony foi ao Hotel, talvez era o taxista, mas não morreu no incêndio embora sua morte foi noticiada no jornal depois, e é um dos poucos ex-integrantes de C.S.C. vivo ainda conhecido.

A Series of Unfortunate Events (br: Desventuras em Série; pt: Uma Série de Desgraças)