CD Travadores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Clube Desportivo Travadores, particularmente fundado em 1928, por um grupo de jovens da faixa etária dos 15 aos 19 anos de idade, na cidade da Praia, ilha de Santiago, seguramente tem a marca de um dos mais antigos e melhores grupos desportivos do país.

Do seu historial, consta, no entanto, que a data oficial da sua fundação foi a 15 de Outubro de 1930, data a partir da qual alguns simpatizantes consagram como marco inicial de um clube, que viria a empreender, durante anos, consideráveis esforços na educação desportiva e cívica e no desenvolvimento cívico, mental e social dos jovens.

O primeiro equipamento utilizado pela equipa era constituído por camisolas brancas e calções pretos, sendo certo que a maioria jogava sem sapatilhas, sapatos ou botas, numa só palavra descalços. Mais tarde, passou a utilizar camisolas com riscas verticais vermelhas e brancas e calções brancos.

Por iniciativa de um cidadão português Benfiquista de gema, o equipamento antes referido foi substituído por camisolas vermelhas e calções brancos, assemelhando em tudo ao equipamento do Sport Lisboa e Benfica, emblema e Águia idênticos ao clube lisboeta, diferenciando apenas nas iniciais C.D.T. (Clube Desportivo Travadores) e S.L.B. ( Sport Lisboa e Benfica), respetivamente.

O seu primeiro estatuto foi publicado a 25 de Maio de 1939 (Alvará nº 3, da mesma data).

Com o evoluir dos tempos, o estatuto sofreu várias alterações ou reformulações que se revelaram convenientes, tendo sempre em vista a conformação dos seus articulados com a prática da modalidade, sobretudo nos seus aspetos inovadores, preocupação que ainda hoje continua a fazer parte das atividades do clube.

Por portaria nº 18/87, de 11/Agosto/87, foi conferido ao Clube o Estatuto de “Instituição de Utilidade Pública”.

A Direção do Sport Lisboa e Benfica honrou o Clube Desportivo Travadores como sendo a sua 6ª. Delegação, no rol das delegações que tem pelo mundo fora.

CD Travadores
Nome CD Travadores
Alcunhas Clube Desportivo travadores
Estádio Estádio da Varzea
Praia em ilha do Santiago
de Cabo Verde
Competição Super Liga Caboverdiano e
Liga Insular de Santiago (Sul)


Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
editar

Ainda antes da Independência, o clube encarnado começou a ultrapassar as fronteiras da Capital e inscrever seu nome na história como um dos grandes emblemas desportivos do Arquipélago, ganhou dois títulos de Campeão de Cabo Verde. O primeiro na época de 1971/1972 e o segundo título na época 1973/1974

Após a Independência, o clube voltou conquistar dois Nacionais, nas épocas de 1993/1994 e 1995/1996. E ainda já se sagrou 4 vezes Campeão Regional de Santiago Sul, sendo que na época anterior, 2013/2014, foi Vice-Campeão Regional, para além de ter ganho vários torneios da modalidade de em Santiago, nas outras ilhas do país e além-fronteiras, em jogos oficiais e de beneficência.

A internacionalização do futebol deste emblema, que também já teve modalidades, basket e boxe, veio em 1993, com a participação em competições da Confederação Africana de Futebol (CAF), e tarde com a participação na taça de África de Clubes Campeões na época de 1994/1995 e a participação na Liga dos Campeões de África em 1997

Ao longo dessas mais de oito décadas, grandes jogadores e internacional cabo-verdianos envergaram a sagrada camisola desse clube e jogaram de águia ao peito. Casos de Mota Gomes , Sabino, Nocu, Nutcha, Rubóm, Mariozinho, Vú, Raulinho, Bala, Flávio, Abel Barreto, Zé Maria, Zé Gaiado, Lemos, Tazinho, Né, Zé di Loja, Cotchi , Capuz e Tchacula.

Um dos mais antigos clubes cabo-verdianos, os Travadores é o emblema que mais arrasta multidões na Capital e tem uma das poucas claques organizadas no Arquipélago, denominada de ” Os Índios”.

Constitui ponto assento desta Direção que tomou posse em Setembro de 2014, presidida por Armindo Oliveira, revitalizar o Clube, dotando-o de condições que visem, não só melhorar o seu desempenho desportivo, como dispensar uma atenção especial aos seus atletas, técnicos e associados, em particular, e, de uma forma geral a todos os amantes do desporto. Para conseguir este desiderato, o clube conta com o concurso da sua sede social, massa de associados e com os compromissos que vierem a ser assumidos no quadro do novo projeto desportivo.

Jogadores (2015)[editar | editar código-fonte]

Adelson Lenny P. Vieira (Deu)

Anilton Jorge P. Fernandes ( Boinho)

António Ivanildo M. Anacleto (Djom)

Ardilis Vaz dos Santos (Nando)

Blessed Andrade M. Teixeira

Bruno Miguel Correia Fernandes

Camara Nfarama Maza

Carlos Alberto P.F.J. Andrade ( Calú)

Carlos Emilio L.Gonçalves (Sassa)

David Kennedy G. de Pina (Keny)

Edmilson José A. Correia(Batana)

Edmir Rui M. Gonçalves

Evandro Manuel R. Correia (Bataninha)

Ezeijior Kingsley Ezenwa

Ezequiel Led P.X.P. da Veiga (Mia)

Francis Guehi (Agogo)

Henry Michael Amadi

Jacqueson Teixeira (Jaquelson)

João Baptista Ramos Miguel (Djoni)

José Manuel G. Fernandes (Ivo)

José Mário S. Pereira

Kadu Josimar Horta

Maldini Galy B. Andrade

Patrick Brandão (Bocas)

Paulo Ricardo M. Natividade

Saidon Jones R. Bamba

Sandro Heleno F. Tavares

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Desporto em Cabo Verde é um esboço relacionado ao Projecto Cabo Verde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.