CEBus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Maio de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Maio de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

CEBus

Em 1984, o “Consumer Electronics Group” da EIA – Electronic Industries Association iniciou um esforço tendo como objectivo a formulação de uma norma para o desenvolvimento de uma rede de comunicação para dispositivos domésticos. Esta norma veio mais tarde a ser definida como CEBus – Consumer Electronic Bus.

Tendo como principal motivação o desenvolvimento de um protocolo universal, de baixo custo, para a comunicação entre vários dispositivos domésticos, independentemente do fabricante e de fácil uso por parte do consumidor foram criados vários grupos de trabalho para a definição dos meios físicos de comunicação e do protocolo. Em 1989 foram publicados alguns rascunhos, sendo o seu lançamento final efectuado em 1992.

Como é o caso da grande parte das especificações da EIA, o CEBus é mais uma norma de performance do que uma norma de construção. Ou seja, a norma define como é que um dispositivo se deve comportar em vez de definir como é que este deve ser construído. Esta norma é orientada ao modelo, definindo as camadas de comunicação que permitem a implementação do protocolo de várias formas (hardware, software ou uma combinação de ambas).

A norma CEBus deve:

  1. Ser facilmente estendida ao longo do tempo para permitir o uso de novos meios de comunicação, novas tecnologias e novos dispositivos domésticos. A descrição das funções CAL – command language, deve ser desenhada para permitir futuras expansões nas suas tabelas de funções;
  2. Funcionar num ambiente doméstico quer este seja um pequeno apartamento ou uma vivenda com várias assoalhadas;
  3. Ser versátil permitindo o uso de sistemas distribuídos e centralizados;
  4. Ser simples, de fácil instalação por parte do consumidor sem que seja necessária nenhuma formação especial;
  5. Ser económico o suficiente para ser usado em simples aparelhos domésticos;
  6. Ser compatível e permitir que os dispositivos de diferentes fabricantes possam comunicar entre si;
  7. Permitir o acesso a diferentes meios e ser independente destes;
  8. Ter uma resposta rápida independentemente do nível de tráfego. O atraso introduzido pelo protocolo deve ser sempre inferior a uma décima de segundo;
  9. Definir prioridades de acesso ao meio;
  10. Impedir que nenhum dispositivo domine o acesso ao meio impedindo os restantes de comunicar.

É importante referir que o CEBus não tem como objectivo ser um protocolo de segurança nem de proteger o acesso ao meio a estranhos.

Para permitir a ligação a diversos tipos de equipamentos o CEBus permite o uso dos seguintes meios de comunicação: Par de cobre trançado; Rede eléctrica; Cabo Coaxial; Fibra Óptica; Infra-vermelhos e Radiofrequência.