Caída da Praia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Caída da Praia, ou Queda da Praia, é a designação dada às intensas crises sísmicas de origem tectónica, devidas ao afundamento do graben das Lajes, que já por duas vezes causaram a destruição quase completa da Praia da Vitória, nos Açores, e graves danos nas povoações do chamado Ramo Grande.

A primeira Caída da Praia ocorreu a 24 de Maio de 1614 e a segunda a 15 de Junho de 1841. Ao longo dos séculos têm sido frequentes os boatos e profecias de carácter milenarista apontando a iminência de uma terceira, e, no juízo de muitos, final, Caída da Praia. O tema tem servido de inspiração a múltiplos autores, o mais famoso dos quais é seguramente o Padre António Vieira que no seu Sermão do Enterro dos Ossos dos Enforcados usa o tema como exemplo de aviso divino. A tradição popular perpetua a memória das caídas na procissão da Misericórdia, tão bem descrita por Vitorino Nemésio, que ainda se realiza na madrugada de cada dia 15 de Junho.

Primeira Caída da Praia[editar | editar código-fonte]

A 9 de Abril de 1614 um sismo destruiu quase totalmente a freguesia das Fontinhas e provocou grandes danos nas freguesias vizinhas. A 24 de Maio um sismo de grande magnitude destruiu quase totalmente as freguesias de Agualva, Vila Nova, Lajes e Santa Cruz da Praia, provocando 200 mortos e muitos feridos. Houve grande movimento da falha sul do graben do Ramo Grande (ou graben das Lajes, como por vezes é designado), com o aparecimento de grandes fissuras no solo, grandes desmoronamentos e o abatimento generalizado do terreno na zona do Ramo Grande. Francisco Ferreira Drummond descreve nos Anais da Ilha Terceira a Caída da Praia e reconstrução que se lhe seguiu com grande pormenor. Apesar das medidas então tomadas, a reconstrução, tal como nas situações contemporâneas, foi um processo lento e penoso.

Castigo do anno de 1614 que se diz a cahida da Praia[editar | editar código-fonte]

Manuel Luís Maldonado, na sua Fenix Angrence (transcrição e notas de Helder Fernando Parreira de Sousa Lima, edição do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, 1990, 2º vol., pp. 38-43), inclui uma descrição coeva da primeira Caída da Praia sobre a qual diz:

Cquote1.svg …o seguinte anno de 1614. o sempre immomerauel que se diz da cahida da Praia, cujo sucesso lamentauel achei escrito por pessoa que como testemunha de uista o rellatou, com tais circunstancias que supposto que carecedoras de ornato da melhor fraze, sem as alegancias que os mais cientificos costumão; contudo por seos modos tão verdadeiras, que a meu parecer enleuadas a outro qualquer estillo, não terião o credito que per si merecem sem dellas se alterar mudança de palvras, e por assim o entender me resoluo a copiar bem e verdadeiramente o que nesta materis me deparou a sorte por aquelle mesmo methodo, e loquellas que daquelle tratado constão, cujo autor não nomeo pello não achar no manuscripto daquella sua obra. E uem a ser esta a copia da rellação referida que achei em mão de hu soldado, e já tão desfeita que lhe falta o fim, porque não tinha naquelle tempo por notória a todos os que então erão a estimação que hoie podera ter por inorada aos que são. Cquote2.svg

Eis o texto integral da descrição (mantendo a grafia coeva):

Cquote1.svg Castigo do anno de 1614 que se diz a cahida da Praia — Este anno de 1614. em noue de Abril quarta feira entre as nove e dez da noite, deu esta ilha tão grande aballo de tremor de terra que na mesma hora cahirão quantas casas hauia no lugar das Fontainhas freguezia de nossa senhora da Pena, sem ficarem mais que duas em pee, e estas tão arruinadas que não habitaua ninguém nelas, e tal foi este estrago, que nem a igreja da senhora e a de Santo António ficarão rezervadas deste horrendo caso. Ficou a gente desta Ilha muito atemorizada; mas pouco emendada. Comessarão logo os Frades Franciscanos nesta cidade a fazer grandes procissões, e abstinencias, disciplinas. Mas não vi nenhûa restituição de honras, nem aleives, nem perdão de ódio que se tivesse do próximo hû ao outro. Continuarão o temores com menos furor thé aquele infausto dia 24. de Majo.

Ameaçou Deus o castigo em 9. d Abril, descarregou o golpe da espada da diuina justiça Sabbado vespora da Trindade pelas tres horas do mejo dia em 24. de Majo. e foi Deus seruido que padecesse esta Ilha toda tão grande aballo, que totalmente cuidarão todos os moradores della em geral, e muitos que não eram seos vezinhos que nella se acharão, que era chegado o dia do Iuizo. Vendo sse assim toda a gente desta Cidade, ficou como couza suspença, e pasmada. Logo em continente sahirão os Capitulares da See com muita gente em procissão; e forão à Virgem dos Remedios, e da Conceipção; vierão por São francisco, e Colegio. Recolheram se pellas sete da Tarde. Comessarão a correr homens de cauallo da outra banda a dar a noticia a esta Cidade dizendo de como estauão postos por terra coatro pouos que todos coatro cahirão a hu tempo naquella hora a saber a muj famoza Villa da Praia, que lhe não ficou templo que não cahisse por terra, tanto monta igreja como mosteiros e Conuentos, os quais erão hu de frades, e dois de freiras. Cahio também a freguezia das Lages orago de São Miguel Archanjo. No mesmo estado mais auante a Villa noua, e toda a sua comarqua onde não ficou pedra sobre pedra. E assim a freguezia de nossa senhora de Gadelupe d Agoalua que padeceo o mesmo. Jsto he o que dezião os que uinhão a dar a triste noua, e vinhão sacerdotes pedir remédio sobre o que fazião ao Santissimo. Tanto que isto se soube nesta Cidade foi tal o aluoroço que não hauia nehua pessoa que se não puzesse em grandes lamentações, lembrando sse daquelle ditto que se dezia, Quando vires arder as barbas dos teos vezinhos, bota as tuas de remolho.jsto se passou ao Sabbado quando foi ao Domingo 25. do mez comessarão logo a fazer muitas diciplinas, e abstinencias, como tal cazo pedia.

Parti de minha caza em 26. De majo a uer o acontecido da outra banda cheguei a cafua que se diz do Ajuntamento posta em hu campo dezerto e foi a primeira que ui posta por terra. Caminhei a Agoalua ui a hermida da madalena que mandou obrar o Bispo D. Hieronimo Teixeira posta por terra, e quantas cazas estauão ao redor e tão assoladas as paredes, que parecia que com aluiões andarão arencando alguas pedras pera que não ficassem huas sobre as outras. Proseguindo mal podia passar pellas canadas por estarem as paredes cahidas de hbua e outra parte, que quazi impedião a passagem. Chegando a entrda do lugar olhando pera hua e outra parte, não ui parede, nem caza em pee assim de telha como palhaça ficando as armacões das de palha sobre estejos cahindo-lhe as paredes the o chão.

Chegando a igreja me encontrei com o Vigairo Manuel Cabral mostro me a imagem da senhora posta em hu palheirinho. Despedido comessei a caminhar contra o mar; vindo ao longo da Ribeira medo tinha de passar pello caminho pellas grandes aberturas que tinha a terra; não há que fallar de paredes porque nenhua estaua em pee. Chegado ao arebalde onde se chamão as Dadas de São Pedro,não ui caza que não fosse posta por terra nem a caza do mesmo Apostolo ficou rezeruada do castigo porque toda foi ao chão. Aqui no direito deste arebalde está hua parte que lhe chamão Abussa que he hua rocha muito alta e foi tanta a quantidade de terra ao mar que o fez recuar e fazer grande muralha e ficou esta parte donde cahio este lanço de terra ao modo de hua Bahia ensacada na terra.

Entrei na freguezia do Spirito Santo da Villa noua, chegando ao adro da igreja antesn que nella entrasse vi no caminho tal rotura na terra que era couza muito de admiração. Achei ali o Vigairo Pedro Vanhegas leuou me a hu canto doa adro onde estaua hu alpendre de palha sobre coatro estejos que não seruia mais que de colhimento de hus bois, os dois crucefixos que ali se guardauão com toda a veneração com boa fee e zello e a imagem da Senhora e o Martir São Sebastião. Estaua a igreja tão assolada, e descomposta por cauza das ruinas que não acertei com as couas de meos pais pera lhes encomendar as almas a Deos.

Vede me dice o Vigairo o estado em que esta a Villa Noua; puz os olhos na caza da Mizericordia estaua asolada totalmente não ui caza em pee e tudo tão arazado, que não deuizei bem, e uerdadeiramente onde d'antes estiuessem as cazas dos parentes, e amigos. Vi a hermida da Madre de Deus posta em tal estado, que não lhe ficou pedra sobre pedra, e the o ladrilho se virou de baixo pera sima. Morrerão nesta freguezia treze pessoas grandes e pequenos. Vi muitas roturas pella terra; chegando a húa parte que se chama o Varadouro onde estaua a caza da Senhora d'Ajuda; achei a no estado das mais igrejas atras nomeadas. Era este Varadouro porto da Vila toda, a rocha que tinha ao redor cahio, ficando em tal maneira que não presta pera ser porto, confundio a rocha dois barcos que nele estauão, e tal impito leuou a rocha quando cahio que fez recuar o mar atrás e ao tempo que cahio hú dos lanços leuou consigo certos porcos, ficarão algús sobre a terra escapos; e não hauendo lugar pera os tirarem lhes andaua o dono lançando de sima do o alto o de que se hauião manter. Estauão vezinhas a esta rocha com algüa distancia as quintas de Donna Luzia Noronha e a de seu filho Luis Homem da Costa, e quantas cazarias tinhão que erão de muito custo estauão arazadas; e o mesmo padeceo outra quinta que se diz de São João que he de Manoel do Canto de Castro que ficou por terra sem d’ella ficar hüa só caza que não fosse ao chão.

Passei as Lages freguezia de São Migel Archanjo e por todo o caminho estauao as paredes cahidas e as roturas da terra mais profundas e majores do que as dos lugares atrás. Chegando à ladeira que se chama das Amoreiras vi naquelle Oiteiro grandes roturas, e sobre hü vale que se chama a Caldeira hauia hüa rocha muito alta, e dela cahirão grandes lanços, os quais fizerão mui grande perda assim em uinhas como em aruores. Toda esta freguezia lhe não ficou caza em pee. Chegando a igreja esta achei de tal modo, que os alicerces das paredes ficarão por sima da outra pedra das paredes, como quem poem o de sima pera baixo, e o de baixo pera sima. E perguntando eu pelo santo mo mostrarão e outras images debaixo de hü pano de armar tão desacompanhado de gente, que não ouue nenhü Sacerdote que ali asestisse sendo assim que de antes deste castigo procurauão muitos comer o ordenado da Vigairaria por ser falecido o Vigairo Sebastião Fernandes que foi muitos annos ali paracho, que bem parece lhe faltaua tão bom menistro. E realmente não achei ali na comppanhia daquellas Santas images mais que duas molheres e hü homem, que não sei se estauão por deuoção se por necessidade de não terem caza donde se recolherem. Nesta freguezia estaua húa hermida de São Braz a qual estaua posta por terra.

No direito desta igreja contra o mar está hua serra que se chama de João de Teue que corre deste direito the a Vila da Praja, e será de comprido mais de meja legoa em direito da igreja. Pelo pee desta serra se abrio hüa rotura na terra que fez grande espanto; esta dita rotura comessou desde hüa ponta e foi correndo continuado como hú quarto de legoa, e dahi atra-uessou ao mar e a parte da dita serra que fica à banda da terra dizem ficou mais baixa do que a do mar, como que esta parte da terra estaua deante do ar e com este tremor asentou por cuja cauza ficou mais baixa do que a outra. Eu não vi isto, mas assim o affirmão pessoas de muito credito que ouuirão. Nas cazas e mais couzas deste lugar foi como o mais referido.

Do que ui na Villa da Praja

Chegei à uilla da Praja Reprezento sse me a destruição de Hierualem, porque não ficou dentro desta Vila Templo de Deos nenhü que não cahisse; de modo que em toda ela não hauia caza ou igreja donde se podesse dizer missa saluo na hermida de São Lazaro que está fora da Villa. Entrei na Matrix a qual achei quazi asolada e tão aruinada que esteue o Santissirno ti-es dias sem luz por se considerar a dita igreja em tão manifesto perigo que não ouue sacerdote que se animasse a jr tirar o Senhor do Sacrario. Quando foi aos 27. do mez foi o Padre Diogo Rebello da Comppanhia de Jesu desta Cidade, e com muito trabalho e perigo o tirou. Na occazião em que cahio esta igreja em rezão do terramoto morrerão nella amacados das rumas coatro pessoas a saber o Padre Cura que se chamaua o Machado já homem de idade, e o Padre Francisco Teixejra Beneficiado nela mancebo de pouca idade, Gaspar Dias o Pompozo, Manoel de Bracellos e húa velha que se chamaua Catherina Fernandes Donenha. Por escuzar leitura não nomeo as igrejas por seos nomes; só digo que dentro na VIla, e fora della cahirão vinte e coatro igrejas a saber sinco parochias e dois Mosteiros de Freiras, e hú de Frades; oito igrejas de Sacramento as mais todas hermidas. Morrerão tres freiras; e húa famula, e da mais gente que se acharão por conta morrerem mais de duzentas pessoas entre grandes e pequenos. Os fogos que chairão e erão abatidos tirados os que não tinham moradores dizem, serem mil seiscentos e onze, isto tudo na jurisdicão da Villa da Praia; já dice que em coatro legoas de cumprido e hüa de largo.

Em outra Vila que se chama de São Sebastião também cahirão algüas cazas. Tudo o mais que tenho contado ui por meos olhos, e escreuj na verdade. E porque não tinha visto a freguezia das Fontainhas fui da Villa da Praja dormir ao mesmo lugar pera que com meos olhos uisse o que tenho contado no capítulo primeiro desta rellação. Foi tão horrendo o terramoto de vinte e coatro de Majo que o sentirão nas mais Ilhas, conforme contão os que dellas uem e se sentio no mesmo dia e hora aqui acontecido; e foi tremendo como tenho dito, que thé os animais do campo o sentirão e se temorizarão conforme o que uirão muitos homens que naquelle incedente que succedeo dizem que uirão os animais correr hüs pera os outros, fazendo ajuntamento berrando com as cabeças no ar, como touro que sae ao corro; couza que mete mais espanto. Desde o dia que comessou o tremor da terra que forão noue d Abril the hoje vinte de Junho, sempre o Ceo, terra, mar, vales e oiteiros estauão tão malencolizados que parecia que tudo estaua chorando o Castigo de nossos peccados. Os quais permita Deos nosso senhor que de hoje em diante não haja mais que seruir ao mesmo Senhor que nos liure de sua ira. Amem.

Do que uzou esta Cidade com a Villa da Praja, e mais pouos.

Quando ao Domingo amanheceo 25. de Majo se partio logo o Dezembargador Ioão Correa de Mesquita acompanhado de algüas pessoas prin-cipais a uer sómente a Vila da Praja, e como a uisse naquella mizerauel assolação, vejo logo pera a Cidade, e no mesmo dia elle com os officiaes da Camara d Angra se puzerão em tal ordem que logo à segunda feira man-darão muito mantimento assim de pam como vinho, carne, azeite, louça, mestres pera os feridos; e foi tanto o feruor em toda esta Cidade que não ouue homem que podesse acudir com suas esmolas que o não fizesse. Outrosi os Padres da Comppanhia de Iesu o fizerão também, como sua ordem o pedia. E certo que foi tanto o cuidado que esta Cidade teue de acodir a tanta necessidade quanta tinhão aquelles sinco pouos, que por tempo de oito, ou dez dias nunqua cessarão de correr pellos caminhos carros e azemalas com todo o necessario, e barcos por mar.

Comessarão ao mesmo Domingo de nouo nouas procissões com muitos penitentes, abstinencias de noite e de dia, pregacões nas praças, e ruas publicas. As primeiras procissões forão da See logo da Caza da Santa Mizericordia e em todas pregacões logo apoz estas hua procissão dos padres de nossa Senhora da Graça húa sexta feira com hü Christo que uaj na procissão dos Passos; correo muita parte da Cidade esta procissão acompanhada de muita gente, e ouue à porta da Graça hü sermão que pregou o Padre Prior do Conuento com muitos plantos, muitas bofetadas; mas não ui nenhü que pedisse perdão de aleiue que tiuesse leuantado nem que tiuesse reconsi-iação com proximo a que tivesse odio, nem restituição do alhejo que deuesse.

Vendo os Padres da Cornppanhia o grande aperto em que estaua a nossa Ilha fizerão hua procissão mui deuota; e sabendo sse o dia em que hauia ser concorreo tanta gente a ella que não cabia pellas ruas assim homens, como molheres, donas, e senhoras todas descalças; Vendo a multidão de gente mandarão por o pulpito na Praça donde pregou o Padre Saluador Coelho. A procissão e insinias della forão as seguintes. Primeira-mente as cruzes com muitas tochas; logo hü andor que leuaua hü Menino Iesus com húa coroa de Espinhos na cabeça, hüa corda ao pescosso; hüa crux às costas. Logo outro andor donde hia a imagem do Padre Santo Jgnacio; Logo hüa charola em que hia a imagem da virgem Senhora Nossa. Logo hü andor muito grande que leuauão oito clerigos com hü muj deuota curcifixo da mesma caza, tão deuoto, e tão fermozo que mete espanto, que todas as uezes que olhauão pera elle faz tremer, e se lembra cada hü de seos pecados. Feita a procissão nesta forma correo toda a Cidade e se uejo apozentar na Praça donde se hauia pregar.

Logo à Sexta feira sahirão os frades de São Francisco com hüa deuota procissão do Mosteiro de São Goncallo que he de freiras; Mas não me achei nella por ter ido repartir corenta alqueires de trigo pera aquelles desconsolados pouos. Pregou no fim desta procissão o Padre Diogo Rebello da Comppanhia de Jesu.

As freiras dos Mosteiros da Villa da Praja por lhe cahirem os Mosteiros e igrejas estauão no campo padecendo muitos trabalhos e baste dizer se que estauão ao sol, e sereno da noite e por estarem deste modo tantas relie-glozas asentarão que uiessem por emquanto se não reparauão as ruinas da clauzura, pera esta Cidade. As do Mosteiro de Jesu vierão o derradeiro do Mez de Majo com muj honrozo acompanhamento assim de gente de Cauallo como de pee acompanhadas dos principais da terra; Meteram nas nas cazas do Bispo. As do Mosteiro da Luz vierão em onze do mez de Junho com o mesmo acompanhamento meteram nas no Mosteiro da Esperança com as que nelle estauão. Mas contra uontade da sua mesma Abbadessa que com ellas vinha. Pelo tempo em diante se passarão a rua de Jesu onde estiuerão the voltarem a Praja a seos mosteiros que se redeficarão logo o melhor que pode ser…

Cquote2.svg

(Texto truncado no original).

Segunda Caída da Praia[editar | editar código-fonte]

Desde a manhã de 12 de Junho de 1841 que se vinham sentindo na Terceira, mas com particular incidência no Ramo Grande, numerosos sismos. A 13 de Junho sismos mais intensos provocaram alguns danos nos edifícios e forçaram os moradores da Praia e freguesias vizinhas a abandonar as suas casas. Na madrugada do dia 14 de Junho, violentos sismos provocaram ainda maiores danos. Pelas 3:25 da madrugada de 15 de Junho, um violento sismo causou enorme destruição na Praia e nas Fontinhas e danos generalizados em todas as freguesias do leste e nordeste da Terceira entre a vila de São Sebastião e a Agualva. Desde o areal até à Cruz do Marco ficou uma fissura no terreno marcando a posição da falha que por ali passa. A destruição foi maior nas Fontinhas, freguesia onde ruíram todos os edifícios. Dado que os habitantes tinham já abandonado as casas, ninguém morreu. Ficaram contudo danificadas centenas de casas em Santa Cruz da Praia, Fontinhas, Lajes, São Brás, Vila Nova, Agualva, Cabo da Praia, Porto Martins, Fonte do Bastardo e São Sebastião. Destas casas muitas tiveram de ser reconstruídas. A reconstrução foi apoiada por uma Comissão dos Soccorros organizada pelo Governador Civil José Silvestre Ribeiro.

Félix José da Costa Júnior, então secretário do Governador Civil e um dos homens encarregues do socorro às vítimas e da reconstrução, escreveu uma Memória Histórica do Horrível Terramoto de 1841 no qual é dada uma descrição circunstanciada dos seus efeitos nas freguesias do Ramo Grande. É a seguinte a descrição feita por aquela testemunha dos acontecimentos:

Cquote1.svg Cumpre escrever aqui as ruínas destas freguesias, ligando a minha narração ao artigo já citado do Angrense, e acrescentando mais alguma cousa, que vi naquelas localidades, quando lá me levaram obrigações de serviço público:

S. Sebastião — Vila erecta em 1503, situada uma milha distante do mar, e duas léguas e meia a leste da cidade. — Tem 252 fogos e 1511 almas: apresentou 14 casas totalmente arruinadas, e 154 com grave ruína, principalmente as que ficam fronteiras ao nordeste. — A Matriz ficou rachada, do lado da capela-mor, e as três ermidas filiais também sofreram.

Fonte do Bastardo — nesta Freguesia, que tem 146 fogos e 639 almas, raras são as paredes, que não fossem demolidas, apresentou 6 casas totalmente arruinadas, e 32 com grave ruína. A casa do Reverendo Vigário, das melhores dali, e feita há 2 anos recebeu tão violenta concussão do lado direito fronteiro ao porto da Praia, que vergou sobre o esquerdo. — A Igreja sofreu algum estrago. Eu observei que o arco da capela-mor estava a desabar, e tal foi o impulso ali sofrido, que embaraçou fortemente poder-se abrir uma porta, que comunica da Sacristia principal para a menor.

Cabo da Praia — situada uma légua ao sul da Praia, que tem 205 fogos e 962 almas, apresentou 5 casas com total ruína, e 70 gravemente arruinadas. A Igreja sofreu grande ruína pelo torre que lhe caiu; e as paredes do cemitério ficaram todas destroçadas.

Lagens — Tem 577 fogos e 2663 almas. Teve 12 casas totalmente arruinadas, e 60 com grave ruína. A igreja, que com a concussão abriu algumas fendas em suas paredes, teve uma nave muito aluída e a sineira rachada. — A ermida dos Remédios parecia ter sido retalhada. Quase todas as paredes divisórias dos serrados estavam em baixo.

Fontinhas — Tem 242 fogos e 1:066 almas. Teve 137 casas totalmente arruinadas, e 88 com grave ruína. — A demolição dos edifícios, segundo a posição em que tombaram, assaz mostra que a grande concussão veio do lado do nordeste, e que o abalo ali foi vertical pelo arrojo dos alicerces. A respeito desta freguesia imprimirei nesta memória a narração que nos livros do Registo Civil daquela Paróquia escreveu o Reverendo Vigário Mariano Constantino Homem, que nunca desamparou seus paroquianos, portando-se como era de esperar dum sacerdote digno e assaz esclarecido.

Vila Nova — Tem 247 fogos e 1203 almas; e apresentou 3 casas totalmente arruinadas, e 81 com grave estrago: quase todas as chaminés na maior parte caíram. — A igreja também sofreu, assim como a ermida da Ajuda, pertencente ao morgado do Barão de Noronha.

Agualva — Tem 267 fogos 1:186 almas. Teve 2 casas com total ruína, e 30 gravemente arruinadas. — A torre do sino da igreja inclinou toda ao lado do norte. — Acima do lugar Outeiro do Filipe em todos os serrados caíram as paredes divisórias em grandes lances, como eu observei no dia 4 de Julho, quando atravessei aquelas campinas para examinar as ruínas.

Cquote2.svg