Cadernos de Marx sobre a história da tecnologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

Karl Marx escreveu uma série de cadernos sobre a história da tecnologia. A localização atual destes cadernos não é conhecida, apesar de terem sido lidos e discutidos no passado por escritores marxistas.

György Lukács estudou estes cadernos enquanto estes se encontravam nos arquivos de Moscou e referiu-se a eles num artigo mais tarde publicado na New Left Review criticando o que ele entendia como o tecnicismo inapropriado de Bukharin.

Engels elenca a coleção de Marx de materiais sobre tecnologia como uma de suas especialidades[1] .

Marx refere-se diretamente aos cadernos em sua carta a Engels de 28 de janeiro de 1863, na qual ele diz

…Eu reli meus cadernos (excertos) sobre tecnologia e estou frequentando um curso prático (experimental, somente) para trabalhadores sobre o assunto, dado pelo professor Willis (na rua Jermyn, no Instituto de Geologia, onde Huxley também deu suas palestras)… Enquanto relia os excertos teconológico-históricos, cheguei à conclusão que, além da invenção da pólvora, da bússula e da imprensa - estas, pré-requisitos necessários para o desenvolvimento burguês - do século XVI à metade do século XVIII, i.e. o período do desenvolvimento da manufatura a partir do artesanato até a indústria de efetiva larga escala, as duas fundações mais importantes sobre as quais se basearam as preparações para a indústria mecanizada dentro da manufatura foram o relógio e o moinho… [2]

.

Em meio a sua obra, Marx faz frequentemente referência a seu interesse em desenvolvimentos tecnológicos, e estas menções são complementadas por declarações genéricas, tal como a necessidade de uma história crítica da tecnologia, em uma extensa nota de rodapé no começo do capítulo sobre "Maquinário e Indústria de Larga Escala" no volume I do Capital[3] .

Nathan Rosenberg escreveu um ensaio, "Marx as a student of technology" ["Marx como estudante de tecnologia"], publicado em seu Inside the Black Box ["Dentro da Caixa Preta"].

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Marx e Engels, Letters on 'Capital' 1983, New Park.
  2. Marx e Engels, Letters on 'Capital' 1983, New Park, pp. 82-84.
  3. Marx, Karl, Capital, vol. I, 1976, Londres: Penguin, pp. 493-4.


Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.