Caetano de Bourbon-Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caetano de Bourbon-Duas Sicílias
Príncipe das Duas Sicílias
Conde de Girgenti
Infante de Espanha
Cônjuge Isabel de Bourbon
Nome completo
Caetano Maria Frederico de Bourbon-Duas Sicílias
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Pai Fernando II das Duas Sicílias
Mãe Maria Teresa Isabel da Áustria
Nascimento 12 de Janeiro de 1843
Caserta, Reino das Duas Sicílias
Morte 26 de novembro de 1871 (28 anos)
Lucerna, Suíça
Enterro Mosteiro e Sítio do Escorial, Madri, Espanha

Caetano Maria Frederico de Bourbon-Duas Sicílias (em italiano Gaetano Maria Federico di Borbone - Due Sicilie) (Caserta, 12 de janeiro de 1843 - Lucerna, 26 de novembro de 1871), foi um príncipe da Casa Real das Duas Sicílias e ostentou o título de Conde de Girgenti.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Caetano era o sexto filho do rei Fernando II das Duas Sicílias e de sua segunda esposa, a arquiduquesa Maria Teresa de Áustria-Teschen. Seus avós paternos foram o rei Francisco I das Duas Sicílias e Maria Isabel de Bourbon, infanta de Espanha; enquanto seus avós maternos foram o arquiduque Carlos de Áustria-Teschen (herói austríaco, vencedor da Batalha de Aspern-Essling) e a princesa Henriqueta de Nassau-Weilburg.

Exílio[editar | editar código-fonte]

Com o avanço da Expedição dos Mil de Giuseppe Garibaldi sobre a Sicília e a Calábria, a família real das Duas Sicílias se refugia em Gaeta, onde as tropas fiéis a Francisco II combatem ferozmente por três meses. Em 13 de fevereiro de 1861 o exército finalmente capitula, obrigando o rei e sua família a exilar-se em Roma. Sob a proteção do Papa Pio IX, a realeza destronada ocupa inicialmente o Palácio do Quirinal e, em seguida, o Palácio Farnese.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Isabel de Espanha e Caetano das Duas Sicílias

Caetano casou-se em Madrid, em 13 de maio de 1868, com Isabel de Bourbon e Bourbon, filha mais velha da rainha Isabel II de Espanha e do rei-consorte Francisco I, duque de Cádiz, que ostentou por duas vezes (1851-1857 e 1875-1880) o título de Princesa das Astúrias, herdeira presuntiva do trono espanhol. O príncipe era primo-irmão dos pais da noiva, visto que a rainha Maria Cristina (mãe de Isabel II) e a infanta Luísa Carlota (mãe de Francisco I) eram irmãs de seu pai. A união pretendia acabar com a rixa existente entre os Bourbon-Espanha e os Bourbon-Duas Sicílias, que se iniciou quando a Espanha reconheceu o Reino de Itália unificada sob a Casa de Saboia. A cerimônia aconteceu pouco antes da Revolução de 1868, chamada pelos espanhóis de La Gloriosa, que pôs fim ao reinado de Isabel II.

O casamento não foi feliz e Caetano preferiu passar os dois anos seguintes viajando pela Europa, em visita a seus familiares, do que dedicando-se à esposa. A breve união não gerou nenhum descendente e a princesa Isabel não voltou a casar-se após sua precoce viuvez.

Morte[editar | editar código-fonte]

Atormentado e deprimido pela saúde frágil e pelos episódios cada vez mais frequentes de epilepsia, Caetano havia tentado o suicídio ao menos uma vez, antes de atirar contra a própria cabeça, no dia 26 de novembro de 1871, num quarto de hotel em Lucerna, na Suíça. Seu corpo foi sepultado no Panteão dos Infantes do Real Monastério do Escorial, em Madrid.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]