Café colonial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Caipirinha.jpg
Este artigo é parte da
temática culinária do Brasil

O café colonial é uma refeição típica das cidades brasileiras de origem alemã,[1] [2] [3] [4] bem como da maioria das cidades catarinenses e de algumas cidades do Paraná e do Rio Grande do Sul, como Gramado, Canela, Nova Petrópolis e Santa Cruz do Sul.

Café colonial na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul

Em Santa Catarina, das serras ao litoral é possível encontrar o café colonial, não apenas em Joinville e Blumenau, mas em quase todas as cidades do Estado, mesmo nas que não tiveram colonização germânica. Pode-se até escolher no mapa rodoviário, ou mesmo pelo alfabeto, por qual delas se deseja começar. Alguns exemplos: Anitápolis, Santa Rosa de Lima, Grão Pará.[5]

Apesar do nome, o café colonial é uma refeição que não tem a finalidade exclusiva de ser um café da manhã, podendo, ao contrário, ser degustado a qualquer momento do dia.

Constitui-se de uma mesa farta composta de alimentos como pães variados, manteiga, queijos, chimia, bolos, presunto, embutidos, leite, café, chocolate quente, vinho, salsicha bock, cuca, carne de porco, rosca de polvilho, biscoitos, keschmier e mel, entre outros. A maioria dos produtos é artesanal.

Noutras regiões brasileiras, especialmente nas rurais, a composição do chamado café colonial pode variar, nunca perdendo, todavia, o sentido de lanche bem farto e nutritivo.

Referências

  1. Jornal Hoje - 28 de agosto de 2006 - acessado em 19 de fevereiro de 2008
  2. História do café colonial - acessado em 19 de fevereiro de 2008
  3. Hoje em dia.com.br - acessado em 19 de fevereiro de 2008
  4. Veja São Paulo - acessado em 19 de feveriro de 2008
  5. Acolhida.com.br - acessado em 19 de agosto de 2008


Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.