Caio Márcio Coriolano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Vetúria aos pés de Coriolano,
de Gaspare Landi

Caio Márcio Coriolano (em latim: Gaius ou Gnaeus Martius Coriolanus) foi um general lendário da Roma Antiga que, segundo a tradição, teria vivido no século V a.C..

Coriolano era da família dos Marcii, descendentes de Anco Márcio, cujo avô materno era Numa Pompílio; a esta família pertenceram Publius e Quintus Marcius, que levaram a Roma seu melhor e mais abundante suprimento de água,1 e Censorinus, que foi apontado censor por duas vezes, e que fez uma lei para que ninguém mais fosse censor mais de uma vez.2

Caio Márcio Coriolano perdeu seu pai quando era muito novo, e foi criado por sua mãe viúva.2

Ainda bem jovem, teria se distinguido na Batalha do Lago Regilo3 . Recebeu o cognome "Coriolano" por ter-se distinguido no assédio de Corioli, um cidade dos Volscos, quando teria sido promovido a general. Séculos depois passou-se a acreditar que Coriolano teria de fato existido, e se estabeleceu uma biografia canônica, recontada por escritores como Lívio e Plutarco.

Segundo essa história, depois de vencer a batalha, Coriolano teria se voltado contra as pretensões democráticas da plebe, fazendo inimigos. Foi acusado de se apropriar de fundos públicos, então foi julgado e condenado ao exílio, tendo suas posses confiscadas. Como resultado, ele mais tarde aliou-se aos Volscos, que antes combatera, para atacar Roma. Diante do ataque à cidade, sua mãe e outras matronas teriam suplicado a ele que desistisse da guerra, e ele consentiu, retirando-se para a cidade de Antium (atual Âncio). Traindo também os Volscos, foi capturado e condenado, sendo morto antes de o processo encerrar.

Modernamente a história de Coriolano é tida como uma lenda moralizante, criada para ilustrar os efeitos da deslealdade e ingratidão. Nenhum dos personagens que aparecem na narrativa foi atestado historicamente. Sua lenda, porém, atravessou os séculos e deu origem a recriações artísticas. Entre elas, inspirou Shakespeare a escrever uma tragédia, e a Beethoven a compor uma abertura.

Referências

  1. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Coriolano, 1.1
  2. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Coriolano, 1.2
  3. HAVELL, H.L.. Ancient Rome: the republic. 1 ed. New Kanark - Escócia: Geddes & Grosset, 2003. 544 p. 1 vol. vol. 1. ISBN 1 84205 186 5

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.