Caio Porfírio Carneiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Caio Porfirio Carneiro)
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Caio Porfírio de Castro Carneiro (Fortaleza, 1º de julho de 1928) é um escritor brasileiro que tem cultivado o conto com regularidade. Sua estréia no gênero deu-se em 1961, com o elogiadíssimo Trapiá, que foi indicado para o vestibular 2009.1 da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Vida[editar | editar código-fonte]

Nasceu no dia 1º de julho de 1928 na cidade de Fortaleza, no Ceará. Em 1955 mudou-se para São Paulo em 1955, onde vive até hoje. Desde 1963 é secretário administrativo da União Brasileira de Escritores de São Paulo. Ganhou vários prêmios literários, como o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, e o Pen Clube - de São Paulo -, e contos seus estão incluídos em duas dezenas de antologias do gênero e traduzidos para o espanhol, italiano, alemão e inglês.

Obra[editar | editar código-fonte]

Publicou os livros de contos Trapiá (1961); O Menino e o Agreste (1969); O Casarão (1975); Chuva – Os dez cavaleiros (1977); O Contra-Espelho (1981); 10 Contos Escolhidos (1983); Viagem sem Volta (1985); Os Dedos e os Dados (1989); Maiores e Menores (2003). Também escreveu romances, como O Sal da Terra (1965), que foi traduzido para o italiano, árabe e francês e adaptado para o cinema, e Uma Luz no Sertão (1973), as novelas Bala de Rifle (1963), A Oportunidade (1986), Três Caminhos (1988) e Dias sem Sol (1988), além de literatura juvenil, poesia e memórias

Lista de obras[editar | editar código-fonte]

Ratro Impreciso (poesias) - 1988 Os dedos e os dados (contos) - 1989 Primeira Peregrinação (reminiscências) - 1994 A partida e a Chegada (contos e narrativas) - 1995 Cajueiro sem sombra (literatura juvenil) - 1997 Mesa de Bar (quase diário) - 1997 Contagem Progressiva (memórias) - 1998 Perfis de Memoráveis (biografias de autores nacionais) - 2002 Uma Nova Esperança (literatura juvenil, em parceria) - 2002 Maiores e Menores (contos) - 2003 A Vocação Nacional da UBE (em parceria) - 2004 Gramíneas (miscelânia literária) - 2006 Respingos de uma viagem (opúsculo literário) - 2008 O Copo Azul (contos) - 2009

Premiado com o Prêmio "Afonso Arinos", da Academia Brasileira de Letras, com o livro de contos "Os Meninos e o Agreste".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]