Caio Ribeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Caio Ribeiro Decoussau)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Caio
Caio
Informações pessoais
Nome completo Caio Ribeiro Amorim de Souza
Data de nasc. 16 de agosto de 1975 (38 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Altura 1,77 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição ex-Atacante
Clubes de juventude
Brasil São Paulo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1993–1995
1995–1996
1996–1997
1997
1998–1999
2000
2001
2002
2003
2004
2004–2005
1993–2005
Brasil São Paulo
Itália Internazionale
Itália Napoli
Brasil Santos
Brasil Flamengo
Brasil Santos
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
Brasil Grêmio
Alemanha Rot-Weiss Oberhausen
Brasil Botafogo
Total
031 000(14)
006 0000(0)
020 0000(0)
025 0000(6)
030 0000(3)
011 0000(0)
013 0000(1)
007 0000(0)
027 0000(4)
015 0000(1)
042 000(10)
227 000(39)
Seleção nacional
1995
1996
1996
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil Sub-23
Brasil Brasil
007 0000(5)

004 0000(3)

Caio Ribeiro Decoussau, mais conhecido como Caio Ribeiro ou simplesmente Caio (São Paulo, 16 de agosto de 1975), é um comentarista esportivo e ex-futebolista brasileiro, que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como futebolista[editar | editar código-fonte]

Caio foi revelado nas categorias de base do São Paulo e ganhou fama no futebol brasileiro ao participar das últimas formações do São Paulo de Telê Santana, que no início dos anos 1990 foi bicampeão da Copa Libertadores da América e do Mundial Interclubes.

Em 1995, transferiu-se para a Europa, mas não conseguiu se firmar como titular em nenhuma das equipes que passou. Voltou ao Brasil em 1997, jogando pelo Santos.

Contudo, foi somente a partir de 1998, quando passou a vestir a camisa do Flamengo, que voltou a destacar-se. Entrava no segundo tempo dos jogos e marcava alguns gols, em 31 jogos marcou 3 gols, o que o tornou "xodó" da torcida rubro-negra. Entretanto, sempre que começava uma partida como titular, seu rendimento era abaixo do esperado e, com isso, a mídia esportiva deu início às primeiras contestações quanto à real qualidade de seu futebol.

Voltou a jogar pelo Santos, não marcou gols, e em seguida, transferiu-se para o Fluminense, quando fez parte do projeto de recuperação do Tricolor carioca, que acabara de voltar para a primeira divisão do futebol brasileiro. Foi decisivo na ótima campanha no Brasileiro de 2001. Passou ainda pelo Grêmio, antes de ir para a Alemanha, onde jogou pelo Rot-Weiss Oberhausen.

Em 2004, chegou ao Botafogo e ajudou a equipe carioca na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro daquele ano. No ano seguinte, contribuiu para levar o Alvinegro à classificação para a Copa Sul-Americana 2006. Sem dúvida foi um dos grandes responsáveis pela permanência do clube na Série A.

A exemplo do que ocorrera em outros clubes por que passara, Caio nunca firmou-se como titular absoluto. Volta e meia o jogador se lesionava e, graças à concorrência acirrada dos outros atacantes do time, muitas vezes teve de se sentar no banco de reservas. Em 2005, aos trinta anos de idade, optou por encerrar a carreira, tendo atuado profissionalmente pela última vez pelo próprio Botafogo. Caio foi considerado um jogador muito habilidoso, todavia, era criticado por ter baixo rendimento em momentos importantes. Abandonou os gramados prematuramente, quando resolveu voltar a São Paulo e se dedicar a família e amigos.

Como comentarista esportivo[editar | editar código-fonte]

Em 2007, dois anos após sua aposentadoria dos gramados, o ex-jogador decidiu-se por fazer um curso de especialização em Gestão no Esporte. Paralelamente a isto, passou a trabalhar também como comentarista esportivo na Rádio Globo e no SporTV, canal que também pertence às Organizações Globo.

Em 2008, com o destaque no SporTV, foi promovido e passou a ser comentarista também nas transmissões de futebol da Rede Globo, no cargo que antes era ocupado por Walter Casagrande, que havia sido afastado devido à sua dependência de drogas. Cerca de um ano e meio depois, com o retorno de Casagrande, os dois passaram então a comentar juntos os jogos transmitidos pela Globo.

Caio veio a conquistar bastante notoriedade nacional ao fazer parceria com Tiago Leifert no programa Central da Copa, exibido pela Rede Globo durante a Copa do Mundo FIFA de 2010, e que obteve altos índices de audiência. A notoriedade foi tanta que a emissora manteve a atração mesmo após o final da Copa, e o Central da Copa permaneceu sendo exibido após ou durante os jogos da Seleção Brasileira.

Como dublador[editar | editar código-fonte]

Ao lado do apresentador Tiago Leifert, Caio comenta os jogos FIFA 13 e FIFA 14 nas suas versões brasileiras.

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Santos
Flamengo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]