Caixa de Pandora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Pandora abre a caixa dada a ela por Zeus, assim libertando todos os males do mundo.

Caixa de Pandora é um artefato da mitologia grega, tirada do mito da criação de Pandora, que foi a primeira mulher criada por Zeus. A "caixa" era na verdade um grande jarro dado a Pandora, que continha todos os males do mundo.

Pandora abre o Jarro, deixando escapar todos os males do mundo, menos a "esperança". A esperança pode ser vista como um mal da humanidade, pois traz uma ideia superficial acerca do futuro.

Este artefato aparece na literatura em português como Jarro de Pandora, termo usado principalmente em Portugal, mas que também pode ser usado no Brasil, onde é tido como termo culto.[1] [2] [3]

Referências

  1. Significado de Boceta Dicionário Online de Português. Visitado em 30 de janeiro de 2013.
  2. Significado de boceta Priberam. Visitado em 30 de janeiro de 2013.
  3. José, Emiliano (8 de abril de 2009). A boceta de Pandora CartaCapital. Visitado em 30 de janeiro de 2013. "E então explica, dicionarizando o discurso: boceta é usada por Machado no sentido culto. Que não se agitassem por tão pouco. Quer dizer caixa, vaso, um recipiente."
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.