Cajón

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ToneCajon-Snare.jpg

Cajón é o aumentativo da palavra caja, que significa caixa em espanhol.

O cajón é um instrumento de percussão que teve sua origem no Peru colonial, onde os escravos africanos, separados de seus instrumentos de percussão pelos feitores da época, utilizaram-se de caixas de madeira e gavetas (outra tradução para cajón) para tocarem seus ritmos. Daí dizer que sua origem é afro-peruana. Com o passar do tempo o instrumento transformou-se no que conhecemos hoje por cajón. O instrumento hoje é considerado pelo governo peruano como "Patrimônio Cultural da Nação".

O cajón atravessou as fronteiras do Peru e tem encontrado espaço nas expressões musicais de diferentes culturas pelo mundo afora. Paco de Lucia foi um dos principais responsáveis pela introdução do instrumento na música flamenca. Com uma sonoridade tida como ideal para acompanhar as palmas, sapateado e a sonoridade das guitarras flamencas, o cajón popularizou-se. Hoje é tão comum a presença do instrumento nas apresentações flamencas que muitos imaginam que sua origem é espanhola.

Construído totalmente em madeira, o cajón mais difundido internacionalmente apresenta cordas colocadas por dentro sob o tampo, uma versão moderna que tem muita aceitação internacional. O instrumento encanta pela simplicidade, desempenho, por sua grandiosa vibração e versatilidade.

Por tratar-se de um instrumento muito simples e barato, o cajón vem se popularizando cada vez mais no Brasil, tanto entre os músicos profissionais quanto entre os amadores, revelando-se um acompanhamento muito rico para voz e violão. O cajón é extremamente versátil para praticamente todos os ritmos, podendo ser utilizado acusticamente, microfonado em apresentações ao vivo, provocando no espectador a sensação de "onde está a bateria?", e ainda apresentar excelentes resultados em gravações de estúdio.

Evolução do Cajon[editar | editar código-fonte]

Considerado a evolução do cajon, a versão mais moderna pode ser utilizada em estúdios e grandes perfomances profissionais posto que é equipado com sistema elétrico de captação de som.

Músicos que utilizam o Cajon[editar | editar código-fonte]

Do interior de São Paulo, o grupo 12 mãos é conhecido por performances utilizando vários cajons e acessórios inspirados em diversos rítmos latinos.

Da ilha portuguesa, ilha da Madeira, o músico Flávio Martinho do grupo Os Grumpies, é também conhecido pela sua forma de tocar o cajon em diversos géneros musicais.

Natural de Coimbra, Cláudio Afonso da Banda Banco de Jardim, intrepreta covers de diversos géneros aliando a sonoridade do Cajon a guitarra e baixo acústico.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]