Calçada Marquês de Abrantes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A Calçada Marquês de Abrantes é um arruamento da cidade de Lisboa, situado nas freguesias de São Paulo e Santos-o-Velho. Da embaixada de França até à Avenida Dom Carlos I há vários edifícios pombalinos que foram mandados construir pelo Visconde de Mira-Vouga. António Pinto Bastos, Mestre Engenheiro, autor de vários engenhos importantes, de entre os quais se destaca o contador da Água (existe um exemplar hoje exposto no Museu da Água) viveu, trabalhou e morreu no número 107. O resto da rua tem edifícios valiosos de onde se destaca no lado Norte um edifício de azulejos azuis, a par de outros exemplares da arquitectura oitocentista. O Palácio onde se situa a embaixada, que deu o nome à rua, é o palácio do Marquês de Abrantes. Neste edifício, exemplar na sua arquitectura, existe uma sala onde se pode observar o tecto cheio de pratos. Conta-se que cada vez que há uma catástrofe mundial, um prato cai inexplicavelmente. Outra curiosidade adossada à história do edifício passa por este ter sido o lugar escolhido por D. Sebastião para tomar o pequeno-almoço antes da partida para África.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Arruamentos, integrado no Projecto Grande Lisboa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.