Calavera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caveira de açúcar usada no Dia dos Mortos
"Gran calavera eléctrica" por José Guadalupe Posada, 1900–1913. restaurada

A calavera (IPA kalaˈβeɾa em espanhol para "Crânio humano") é uma representação do crânio humano feita seja em açúcar ou em argila, a qual é usada no México na celebração do Dia dos Mortos, Dia dos Fiéis Defuntos da Igreja Católica. Calavera é também qualquer representação artística de caveiras, como as litografias de José Guadalupe Posada.[1]

Caveiras de açucar[editar | editar código-fonte]

São doces feitos em açúcar de cana, geralmente em uma única peça, sem corante (exceto por vezes baunilha) e adornados com traços de tintura vegetal, geralmente em verde, azul, amarelo ou vermelho. Os nomes das pessoas representadas ou mesmo vivas são comumente escritos na testa e podem ser comprados e dados como presentes.[2]

Algumas pessoas guardam essas caveiras por alguns dias para depois jogá-las fora, outras as comem. Há variações também comestíveis que são feitas de chocolate.

Caveiras de argila[editar | editar código-fonte]

Existem vários brinquedos de barro representado Calaveras, os quais se assemelham à forma do crânio humano. Normalmente, esses brinquedos são pintados em algum tom de tinta prata, embora também sejam comumente encontrados em cores como branco, preto e vermelho. Olhos frisados de cores diferentes também são comumente adicionados.

Na literatura[editar | editar código-fonte]

Calaveras na literatura são poemas escritos para o Dia dos Mortos mas com intenção de serem humorísticos com críticas as maneiras de viver.[3] [4] Na literatura, as Calaveras se originaram na segunda metade do século XIX, quando a publicação de gravuras de alguns políticos importantes começaram a aparecer na imprensa. Tais personagens eram representadas por esqueletos cujos rostos tinham os traços da pessoa, sendo facilmente identificáveis. Além disso, tais desenhos continham textos escritos que contavam dados sobre a causa da morte das pessoas.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. About an José Guadalupe Posada's Calavera Revolucionaria, http://mati.eas.asu.edu:8421/ChicanArte/html_pages/PosadaIssOutl.html, visitado em 2007-11-13, "Posada created many images of calaveras (skeletons) performing many different human activities. These images were/are used for the Day of The Dead celebrations in Mexico." 
  2. Stanley Brandes. Skulls to the Living, Bread to the Dead: The Day of the Dead in Mexico and Beyond. [S.l.]: Wiley-Blackwell, 8 January 2007. 43 pp. ISBN 978-1-4051-5248-8.
  3. Rangel, Sonia. "Calavera poetry reading slated for Nov. 1", Tejano Tribune. Página visitada em 2007-11-13. [ligação inativa]
  4. Barradas, Francisco. "Calaveras and Posadas", El Tecolote, 2007-11-01. Página visitada em 2007-11-13. (em spanish)