Califórnia da Canção Nativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Telmo de Lima Freitas, vencedor em 1979, com Esquilador

A Califórnia da Canção Nativa é um evento artístico musical que ocorre no Rio Grande do Sul desde 1971, considerada patrimônio cultural do Estado, sendo modelo de divulgação da música regional gaúcha.[1]

Ocorrendo durante o ano provas eliminatórias em diversas cidades gaúchas, e por fim, após a triagem de mais de 500 músicas[2] , as finais ocorrem na cidade de Uruguaiana, fronteira oeste do Rio Grande do Sul, onde, conforme o grau de vitórias, é concebido o prêmio máximo: a Calhandra de Ouro.

História[editar | editar código-fonte]

O evento surgiu em 1971 em meio aos anos de chumbo, reunindo as mais diversas variações musicais nativas do Rio Grande do Sul organizada pelo CTG Sinuelo do Pago e prefeitura municipal, ambos de Uruguaiana. Inicialmente, sua primeira edição não teve tanta repercussão porém, algumas edições tiveram mais de 60 mil pessoas[3] e atualmente é o maior evento cultural regional do Brasil.

Conforme Cícero Galeno Lopes, em artigo publicado no livro RS índio: cartografia sobre a produção do conhecimento, Leopoldo Rassier conseguiu pela censura prévia e cantar a música Tema de marcação, (poema de Luiz Coronel musicado por Marcos Aurélio Vasconcellos), no festival de 1975, através de uma ambiguidade entre dois personagens históricos: o lunar de Sepé Tiaraju e a estrela de Che Guevara, já que ambos lutaram por liberdade, tinham "uma estrela na testa" e foram "pra baixo desse chão"[4] .

Sérgio Napp, co-autor vencedor em 1981, em evento em 2013

Composições vencedoras[editar | editar código-fonte]

(material extraído do Livro de Poemas Oficial da XXX Califórnia da Canção Nativa)

  • 2001 - Rastros de Ausência (Adão Quevedo e Mauro Marques)
  • 2002 - Feito o Carreto (Mauro Moraes)
  • 2003 - Laçador de Barro (Antônio Augusto Ferreira/Mauro Ferreira e Luiz Carlos Borges) – interpretado por João de Almeida Neto
  • 2004 - Muchas Gracias (Gujo Teixeira e Pirisca Grecco), interpretado por Pirisca Grecco
  • 2005 - Com os pés fincados no chão (Zeca Alves, Pirisca Grecco e Ricardo Martins) - interpretado por Pirisca Grecco
  • 2007 - Céu na terra, pelo rio (Tadeu Martins e Lenin Nuñes) - interpretado por Maurício Barcellos
  • 2009 - A sanga do Pedro Lira (Demétrio Xavier e Marco Aurélio Vasconcellos) – interpretada por Marco Aurélio Vasconcellos
  • 2013 - Petiço Mapa-Múndi (Rafael Ovídio da Costa Gomes, Fernando Saldanha Filho, Pedro Ribas e César Sntos) – interpretada por César Santos

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • Henrique Dias de Freitas Lima - 1971 a 1973
  • Colmar Pereira Duarte - 1974 a 1976
  • Mauro Dante Aymone Lopes - 1977 a 1979
  • Carlos Alberto da Rosa - 1980 a 1981
  • Ricardo Pereira Duarte - 1982 a 1984
  • Nelson José Pereira da Silva - 1985 a 1986
  • Lourival Araújo Gonçalves - 1987 a 1989
  • Mauro Dante Aymone Lopes - 1990
  • Carlos Alberto da Rosa - 1991
  • Luiz Machado Stabile - 1992
  • José Mário Rodrigues de Freitas - 1993 a 1995
  • José Antonio Marques Fagundes - 1996
  • José Mário Rodrigues de Freitas - 1997 a 1998
  • Lourival Araújo Gonçalves - 1999 a 2000
  • Maurício Castanho Vidal - 2013

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]