Califado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Califado (do árabe خلافة, transl. khilāfa) é a forma islâmica monárquica de governo[1] que representa a unidade e liderança política do mundo islâmico. A posição de seu chefe de Estado, o califa, baseia-se na noção de um sucessor à autoridade política do profeta islâmico Maomé.

De acordo com os sunitas, o califa deve, idealmente, ser um membro da tribo dos quraysh, eleito pelos muçulmanos ou por seus representantes;[2] já para os xiitas, ele deve ser um imã que descenda diretamente da Ahl al-Bayt, a família do profeta Maomé.

Desde o advento do islã até 1924, diversas dinastias alternaram-se sucessivamente no califado, incluindo os omíadas, que foram expulsos de Damasco para Córdoba, no al-Ândalus (Ibéria muçulmana), os abássidas, que governaram a partir de Bagdá, os fatímidas, que governaram a partir de Cairo, no Egito, e, finalmente, os otomanos.

O Califado é a única forma de governo que tem a total aprovação na teologia islâmica tradicional, e "é o conceito político central do islamismo sunita, por consenso da maioria muçulmana nos primeiros séculos."[3]

Referências

  1. Califado (em Português) www.dicio.com.br. Visitado em 14 de abril de 2014.
  2. Encyclopedia of Islam and the Muslim World, (2004) v.1, p.116-123
  3. John O. Voll: Professor of Islamic history at Georgetown University. Revivalism, Shi‘a Style Nationalinterest.org.
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.