Camomila-romana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCamomila-romana
Camomila-romana (Chamaemelum nobile)

Camomila-romana (Chamaemelum nobile)
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Chamaemelum
Espécie: C. nobile
Nome binomial
Chamaemelum nobile
(L.) All.
Sinónimos
Anthemis nobilis (L.), Anthemis odorata Lam., Chamomilla nobilis (L.) Godr., Matricaria nobilis (L.) Baill.,Ormenis nobilis (L.) J. Gay ex Coss. & Germ

A camomila-romana, camomila-de-paris, macela,[1] mançanila, camomila ou camomilha[2] (Chamaemelum nobile) é uma erva perene da família das asteráceas, nativa da Europa.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Camomila" e "camomilha" são procedentes do grego moderno chamaimelon ("macieira rasteira") através do baixo latim camomilla.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

A maçanilha comum é uma erva perene, de talo procumbente de até 25 cm de altura, glabro ou suavemente pubescente. Forma matas densas. Apresenta folhas sésseis, alternadas, bi- ou tripinatilobuladas, finamente divididas, com os folíolos lineares. Em posição terminal apresenta no verão uma inflorescência em forma de capítulo paniculado. As flores radiais são umas 20, com a lígula blanca, ainda que as do disco são numerosas, hermafroditas, com a coroa amarela, as pontas das anteras ovaladas e o extremo do estilo truncado. A cabeça floral não supera 1 cm de diâmetro. Os frutos são aquênios cilíndricos, de mais ou menos 1 mm de diâmetro, algo maiores que os radiais. A polinização é realizada por himenópteros, mas a planta é capaz de autopolinizar-se.

Habitat e distribuição[editar | editar código-fonte]

É nativa da Europa, ainda que se tenha naturalizado na América. Requer solo bem drenado e bastante sol; suporta bem as geadas, a seca e a escassez de nutrientes, assim como condições de alcalinidade elevada. Alguns cultivares toleram bem o trânsito e podem utilizar-se como vegetação para ajardinamento de espaços públicos. É fácil de reproduzir por divisão de arbustos.

Uso[editar | editar código-fonte]

O talo e as extremidades floridas são usadas secas ou frescas em infusão, aromática e ligeiramente amarga. É confundida muitas vezes com a macela alemã, Matricaria chamomilla, e não é claro a qual se referem os autores ao mencionar suas propriedades medicinais, mas é considerada digestiva, carminativa, sedativa, tônica, vasodilatadora e antiespasmódica. O óleo essencial é empregado em aromaterapia, e a infusão das flores é aplicada no cabelo para incrementar sua cor dourada, em especial nas crianças. Tal propriedade é inclusive aproveitada na composição de xampus e outros preparados para cabelo, como acondicionadores.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Camomila-romana
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Camomila-romana

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Bryan, J.; Castle, C. (1976), Edible Ornamental Garden, Pitman. ISBN 0-273-00098-5.
  2. Craker, L. E.; Simon, J. E. (1986), Herbs, Spices, and Medicinal Plants. Recent Advances in Botany, Horticulture, and Pharmacology, Food Products Press. ISBN 1-56022-043-0.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1]
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 328.
  3. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 328.
Ícone de esboço Este artigo sobre asteráceas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.