Camomila-romana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCamomila-romana
Camomila-romana (Chamaemelum nobile)

Camomila-romana (Chamaemelum nobile)
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Chamaemelum
Espécie: C. nobile
Nome binomial
Chamaemelum nobile
(L.) All.
Sinónimos
Anthemis nobilis (L.), Anthemis odorata Lam., Chamomilla nobilis (L.) Godr., Matricaria nobilis (L.) Baill.,Ormenis nobilis (L.) J. Gay ex Coss. & Germ

A camomila-romana, camomila-de-Paris ou macela[1] algumas vezes chamada de mançanila (Chamaemelum nobile), é uma erva perene da família das asteráceas, nativa da Europa.

Características[editar | editar código-fonte]

A maçanilha comum é uma erva perene, de talo procumbente de até 25 cm de altura, glabro ou suavemente pubescente. Forma matas densas. Apresenta folhas sésseis, alternadas, bi- ou tripinatilobuladas, finamente divididas, com os folíolos lineares. Em posição terminal apresenta no verão uma inflorescência em forma de capítulo paniculado. As flores radiais são umas 20, com a lígula blanca, ainda que as do disco são numerosas, hermafroditas, com a coroa amarela, as pontas das anteras ovaladas e o extremo do estilo truncado. A cabeça floral não supera 1 cm de diâmetro. Os frutos são aquênios cilíndricos, de mais ou menos 1 mm de diâmetro, algo maiores que os radiais. A polinização é realizada por himenópteros, mas a planta é capaz de autopolinizar-se.

Habitat e distribuição[editar | editar código-fonte]

É nativa da Europa, ainda que se tenha naturalizado na América. Requer solo bem drenado e bastante sol; suporta bem as geadas, a seca e a escassez de nutrientes, assim como condições de alcalinidade elevada. Alguns cultivares toleram bem o trânsito e podem utilizar-se como vegetação para ajardinamento de espaços públicos. É fácil de reproduzir por divisão de arbustos.

Uso[editar | editar código-fonte]

O talo e as extremidades floridas são usadas secas ou frescas em infusão, aromática e ligeiramente amarga. É confundida muitas vezes com a macela alemã, Matricaria chamomilla, e não é claro a qual se referem os autores ao mencionar suas propriedades medicinais, mas é considerada digestiva, carminativa, sedativa, tônica, vasodilatadora e antiespasmódica. O óleo essencial é empregado em aromaterapia, e a infusão das flores é aplicada no cabelo para incrementar sua cor dourada, em especial nas crianças. Tal propriedade é inclusive aproveitada na composição de xampus e outros preparados para cabelo, como acondicionadores.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Bryan, J.; Castle, C. (1976), Edible Ornamental Garden, Pitman. ISBN 0-273-00098-5.
  2. Craker, L. E.; Simon, J. E. (1986), Herbs, Spices, and Medicinal Plants. Recent Advances in Botany, Horticulture, and Pharmacology, Food Products Press. ISBN 1-56022-043-0.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre asteráceas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.