Campanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Campanha
"Berço do Sul de Minas"
Bandeira desconhecida
Brasão de Campanha
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 2 de outubro
Fundação 2 de outubro de 1737
Gentílico campanhense
CEP 37400-000
Prefeito(a) Lázaro Roberto Silva (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Campanha
Localização de Campanha no/em Minas Gerais
Campanha está localizado em: Brasil
Campanha
Localização de Campanha no Brasil
21° 50' 20" S 45° 23' 29" O21° 50' 20" S 45° 23' 29" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Microrregião Varginha Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Municípios limítrofes Cambuquira, Monsenhor Paulo, São Gonçalo do Sapucaí, Lambari e Três Corações
Distância até a capital 316 km
Características geográficas
Área 336,033 km² [2]
População 15 435 hab. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2010[3]
Densidade 45,93 hab./km²
Altitude 840 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,784 alto Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento/2000[4]
PIB R$ 134 043,342 mil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[5]
PIB per capita R$ 8 489,13 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[5]
Página oficial
Mapa da Villa de Campanha em 1814

Campanha é um município brasileiro do Estado de Minas Gerais.

De acordo com o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2010, sua população é de 15 435 habitantes.[3]

A cidade é sede da Academia Sul Mineira de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico Alfredo Valadão, da Cruzada Nacional de Alfabetização, precursora do Movimento Brasileiro de Alfabetização, da Fundação Cultural, entre outras entidades socioculturais.

É porta de entrada para o Circuito das Águas de Minas Gerais e recebe turistas também por causa de suas igrejas e casarões coloniais.

As principais atividades econômicas de Campanha são: a agropecuária, com maior destaque para as culturas de café, milho, feijão, cítricos, batata e gado leiteiro; laticínios e metalúrgica, além da fabricação de gaiolas e acessórios para pássaros.

História[editar | editar código-fonte]

Campanha, antigamente Campanha da Princesa da Beira, foi criada como freguesia por carta régia de 1752 e por lei estadual n 2, de 14 de setembro de 1891, subordinado ao município de São João Del Rei. Figurando como vila a partir de 20 de setembro de 1798, recebeu status de cidade em 1840, mudando a denominação para Campanha. [6]

Padroeiro[editar | editar código-fonte]

Santo Antônio de Lisboa (português)

Rios[editar | editar código-fonte]

Rios Palmela e São Bento.

Origem do Nome[editar | editar código-fonte]

O nome da atual cidade se deve à topografia, pois a cidade se encontra localizada numa colina circundada por extensas campinas.

Antigos nomes[editar | editar código-fonte]

  • Santo Antônio do Vale da Piedade do Rio Verde
  • Campanha do Rio Verde
  • Campanha da Princesa da Beira
  • São Cipriano

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Moradores Ilustres[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Entre as atrações, está o Museu Regional do Sul de Minas. Entretanto, o local é alvo de furtos. Em 1994, a imagem de Nossa Senhora da Piedade, em madeira e vulto quadrangular representando Nossa Senhora e o Cristo mortos, foi furtada juntamente com outras 27 peças, como imagens, oratórios e alfaias.[7]

Também se destaca pelo artesanato, com grande variedades de objetos mais, principalmente em artigos de decoração, seus tapetes artesanais são famosos sua por qualidade e beleza.[carece de fontes?]

Possui grandes belezas naturais como cachoeiras e pousadas no campo. Seu turismo religioso é muito forte, aqui se encontra uma das maiores catedrais do país,[carece de fontes?] cidade onde nasceu o Padre Victor, tão amado e respeitado pelo povo, sua igreja com traços em barroco e obras talhadas a ouro.

Possui o colégio de Sion, que foi construídos por freiras e padres franceses que aqui residiram e por um longo tempo foi importante na educação de meninas. Nas atividades culturais, destaca-se a Feira do Livro de Campanha, evento de alcance internacional[carece de fontes?] que há vários anos promove a leitura e educação da população.

Euclides da Cunha escreveu seu famoso livro Os Sertões em Campanha, onde nasceu um de seus filhos.[carece de fontes?] Em algumas ruas, ainda se preservaram casarões antigos onde muitos desses importantes nomes passaram, nasceram ou residiram. No prédio hoje ocupado pelo Museu Regional do Sul de Minas e pela Biblioteca Municipal da cidade, hospedou-se a Princesa Isabel.[carece de fontes?]

Feira do Livro de Campanha[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta seção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A FLIC – Feira do Livro de Campanha é um evento realizado anualmente na cidade de Campanha, desde 2001, pela ONG Sebo Cultural, que a cada edição procura homenagear personalidades, sobretudo do município, que de alguma forma registraram contribuições para a educação e cultura, de um modo geral.

A ONG Sebo Cultural é uma Associação Civil sem fins lucrativos que iniciou suas atividades em 17 de fevereiro de 2001 no município de Campanha. Reconhecida como de Utilidade Pública Municipal, Lei nº 2670, de 16 de julho de 2008 e de Utilidade Pública Estadual, Lei nº 19.309, de 22 de dezembro de 2010. A FLIC faz parte do Calendário 2012 do Circuito Nacional de Feiras de Livros, MinC/FBN/CBL.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Campanha - Histórico. biblioteca.ibge.gov.br (2008). Página visitada em 23 de junho de 2012.
  7. Bens desaparecidos: Nossa Senhora da Piedade - IEPHA, 20 de fevereiro de 2010 (visitado em 3-3-2010)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]