Campeonato Brasileiro de Futebol de 1999

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
XLIII Campeonato Brasileiro de Futebol
Campeonato Brasileiro de Futebol da 1ª Divisão de 1999
Dados
Participantes 22
Organização CBF
Local de disputa  Brasil
Período 24 de julho22 de dezembro
Gol(o)s 710
Jogos 250
Média 2,84 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo Corinthians (3º título)
Vice-campeão Minas Gerais Atlético Mineiro
Rebaixado(s)
Melhor marcador Guilherme (Atlético Mineiro) – 28 gols
Melhor ataque (fase inicial) São Paulo Corinthians – 49 gols
Melhor defesa (fase inicial) São Paulo Ponte Preta – 16 gols
Público 4 254 615
Média 17 018,5 pessoas por partida
Outras divisões
Segunda Divisão Goiás
Terceira Divisão Fluminense
◄◄ Brasil Brasileirão 1998 Soccerball.svg Brasileirão 2000 Brasil ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1999 foi vencido pelo Corinthians que, além de conquistar o seu terceiro título nacional (os anteriores tinham sido em 1990 e 1998), chegou a um raro bicampeonato consecutivo, assim como o Palmeiras em 1972/73 e 1993/94, o Internacional em 1975/76, o Flamengo em 1982/83 e o Cruzeiro em 2013/14.

O Atlético/MG, que foi o Campeão Brasileiro de 1971, tornou-se vice-campeão pela terceira vez e continuou com apenas um título.

Neste ano, a CBF mudou o critério de rebaixamento, determinando que cairiam para a Série B em 2000 os quatro clubes que tivessem a menor média de pontos nos campeonatos de 1998 e 1999. A complexa forma de contagem de pontos, somada a decisões polêmicas do STJD, levaram o rebaixamento a ser questionado na Justiça Comum (ver item "A Polêmica do rebaixamento", abaixo), provocando alterações profundas no Campeonato Brasileiro de 2000, com a realização da Copa João Havelange. Neste torneio, Gama e Juventude foram convidados a disputar o Módulo Azul, considerado a primeira divisão, juntamente com os demais times da Série A de 1999, enquanto Botafogo-SP e Paraná disputaram o Módulo Amarelo, considerado a segunda divisão.

Equipes participantes[editar | editar código-fonte]

Equipe Cidade Estado Em 1998 Estádio Títulos
Atlético Mineiro Belo Horizonte Minas Gerais MG Mineirão 1971
Atlético Paranaense Curitiba Paraná PR 16º Arena da Baixada não possuía
Botafogo Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 14º Maracanã 1968, 1995
Botafogo-SP Ribeirão Preto São Paulo SP 2º (Série B) Santa Cruz não possuia
Corinthians São Paulo São Paulo SP Campeão Pacaembu 1990, 1998
Coritiba Curitiba Paraná PR Couto Pereira 1985
Cruzeiro Belo Horizonte Minas Gerais MG Mineirão 1966
Flamengo Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 11º Maracanã 1980, 1982, 1983, 1992
Gama Gama Distrito Federal (Brasil) DF 1º (Série B) Bezerrão não possuia
Grêmio Porto Alegre Rio Grande do Sul RS Olímpico 1981, 1996
Guarani Campinas São Paulo SP 19º Brinco de Ouro 1978
Internacional Porto Alegre Rio Grande do Sul RS 12º Beira-Rio 1975, 1976, 1979
Juventude Caxias do Sul Rio Grande do Sul RS 18º Alfredo Jaconi não possuia
Palmeiras São Paulo São Paulo SP Palestra Itália 1960, 1967, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993, 1994
Paraná Curitiba Paraná PR 20º Durival Britto não possuia
Ponte Preta Campinas São Paulo SP 17º Moisés Lucarelli não possuia
Portuguesa São Paulo São Paulo SP Canindé não possuia
Santos Santos São Paulo SP Vila Belmiro 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968
São Paulo São Paulo São Paulo SP 15º Morumbi 1977, 1986, 1991
Sport Recife Pernambuco PE Ilha do Retiro 1987
Vasco da Gama Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 10º São Januário 1974, 1989, 1997
Vitória Salvador Bahia BA 13º Barradão não possuia

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

Primeira Fase: Os 22 clubes jogam todos contra todos, em turno único. Classificam-se para a Fase Final os 8 primeiros colocados.

Fase Final (com Quartas de Final, Semifinais e Final): sistema eliminatório, com disputas em até três jogos (ou duas vitórias), tendo os clubes com melhor campanha o mando de campo do segundo e (se for o caso) também do terceiro jogo.

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Tabela de classificação
Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo Corinthians 44 21 14 2 5 49 31 18
2 Minas Gerais Cruzeiro 42 21 12 6 3 46 32 14
3 Rio de Janeiro Vasco da Gama 36 21 10 6 5 33 23 10
4 São Paulo Ponte Preta 35 21 10 5 6 23 16 7
5 São Paulo São Paulo 34 21 11 1 9 35 24 11
6 Bahia Vitória 34 21 10 4 7 31 33 -2
7 Minas Gerais Atlético Mineiro 33 21 10 3 8 39 30 9
8 São Paulo Guarani 33 21 10 3 8 31 22 9
9 Paraná Atlético Paranaense 31 21 9 4 8 36 31 5
10 São Paulo Palmeiras 31 21 8 7 6 36 23 13
11 São Paulo Santos 30 21 8 6 7 25 26 -1
12 Rio de Janeiro Flamengo 29 21 9 2 10 30 33 -3
13 Paraná Coritiba 29 21 7 8 6 31 29 2
14 Rio de Janeiro Botafogo-RJ (1) 26 21 8 2 11 23 37 -14
15 Distrito Federal (Brasil) Gama 26 21 7 5 9 24 29 -5
16 Rio Grande do Sul Internacional (1) 24 21 7 3 11 18 26 -8
17 Paraná Paraná 24 21 6 6 9 23 29 -6
18 Rio Grande do Sul Grêmio 22 21 6 4 11 24 43 -19
19 Rio Grande do Sul Juventude 22 21 5 7 9 18 32 -14
20 São Paulo Botafogo-SP 21 21 5 6 10 27 38 -11
21 São Paulo Portuguesa 18 21 4 6 11 27 31 -4
22 Pernambuco Sport 17 21 3 8 10 14 25 -11
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols
Classificação
Classificados para as Quartas de Final
Eliminados na Primeira fase
Rebaixados para a Série B 2000, pela média de pontos das temporadas 1998 e 1999

Fase final[editar | editar código-fonte]

  Quartas de final Semifinais Final
                                   
1  São Paulo Corinthians 0 2 1  
8  São Paulo Guarani 0 0 1  
   São Paulo Corinthians 3 2    
   São Paulo São Paulo 2 1    
4  São Paulo Ponte Preta 2 2 2
5  São Paulo São Paulo 3 1 3  
   São Paulo Corinthians 2 2 0  
   Minas Gerais Atlético Mineiro 3 0 0  
3  Rio de Janeiro Vasco da Gama 4 2 1  
6  Bahia Vitória 5 2 1  
   Bahia Vitória 0 2 0
   Minas Gerais Atlético Mineiro 3 1 3  
2  Minas Gerais Cruzeiro 2 2  
7  Minas Gerais Atlético Mineiro 4 3    

Final[editar | editar código-fonte]

Primeiro Jogo
12 de dezembro de 1999
Atlético Mineiro Minas Gerais 3 – 2 São Paulo Corinthians Mineirão, Belo Horizonte

Guilherme Gol marcado aos 15s minutos de jogo 15s', Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27', Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44' Gol marcado aos 39 minutos de jogo 39' Vampeta
Gol marcado aos 69 minutos de jogo 69' Luizão
Público: 78.382

Atlético/MG: Kléber; Bruno, Cláudio Caçapa, Galván e Ronildo; Gallo, Valdir, Belletti (Edgar) e Robert; Marques (Adriano, mais tarde Cairo) e Guilherme. Técnico: Humberto Ramos.

Corinthians: Dida; César Prates (Marcos Senna), Luciano, Márcio Costa e Kléber (Augusto); Vampeta, Rincón (Gilmar) Ricardinho e Marcelinho Carioca. Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Segundo Jogo
19 de dezembro de 1999
Corinthians São Paulo 2 – 0 Minas Gerais Atlético Mineiro Morumbi, São Paulo

Luizão Gol marcado aos 28 minutos de jogo 28', Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59' Expulsão. 90+3' Público: Não divulgado
Árbitro: Minas Gerais Márcio Rezende de Freitas

Corinthians: Dida; Índio, João Carlos, Márcio Costa e Kléber (Augusto); Vampeta, Gilmar, Ricardinho (Edu) e Marcelinho Carioca (Marcos Senna). Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Atlético/MG: Velloso; Bruno, Galván, Cláudio Caçapa e Ronildo; Gallo, Valdir, Belletti (Mancini) e Robert (Adriano); Curê (Lincoln) e Guilherme. Técnico: Humberto Ramos.

Partida de Desempate
22 de dezembro de 1999
Corinthians São Paulo 0 – 0 Minas Gerais Atlético Mineiro Morumbi, São Paulo

Expulsão 83' Belletti Público: Não divulgado
Árbitro: Rio Grande do Sul Carlos Eugênio Simon

Corinthians: Dida; Índio, João Carlos, Márcio Costa e Kléber; Gilmar (Edu), Vampeta (Marcos Senna), Rincón e Ricardinho. Marcelinho Carioca (Dinei) e Edílson. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Atlético/MG: Velloso; Bruno, Galván, Cláudio Caçapa e Ronildo; Gallo, Valdir (Mancini), Belletti e Robert (Adriano); Lincoln (Hernani) e Guilherme. Técnico: Humberto Ramos.

Classificação Final[editar | editar código-fonte]

Tabela de classificação
Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo Corinthians 59 29 18 5 6 61 38 23
2 Minas Gerais Atlético Mineiro 49 29 15 4 10 56 40 16
3 Bahia Vitória 42 27 12 6 9 41 47 -6
4 São Paulo São Paulo (1) 40 26 13 1 12 45 35 10
5 Minas Gerais Cruzeiro 42 23 12 6 5 50 39 11
6 São Paulo Ponte Preta 38 24 11 5 8 29 23 6
7 Rio de Janeiro Vasco da Gama 38 24 10 8 6 40 31 9
8 São Paulo Guarani 35 24 10 5 9 32 25 7
9 Paraná Atlético Paranaense 31 21 9 4 8 36 31 5
10 São Paulo Palmeiras 31 21 8 7 6 36 23 13
11 São Paulo Santos 30 21 8 6 7 25 26 -1
12 Rio de Janeiro Flamengo 29 21 9 2 10 30 33 -3
13 Paraná Coritiba 29 21 7 8 6 31 29 2
14 Rio de Janeiro Botafogo-RJ (1) 26 21 8 2 11 23 37 -14
15 Distrito Federal (Brasil) Gama 26 21 7 5 9 24 29 -5
16 Rio Grande do Sul Internacional (1) 24 21 7 3 11 18 26 -8
17 Paraná Paraná 24 21 6 6 9 23 29 -6
18 Rio Grande do Sul Grêmio 22 21 6 4 11 24 43 -19
19 Rio Grande do Sul Juventude 22 21 5 7 9 18 32 -14
20 São Paulo Botafogo-SP 21 21 5 6 10 27 38 -11
21 São Paulo Portuguesa 18 21 4 6 11 27 31 -4
22 Pernambuco Sport 17 21 3 8 10 14 25 -11
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols
Classificação
Finalistas e classificados para a Taça Libertadores da América de 2000
Eliminados nas Semifinais
Eliminados nas Quartas de final
Eliminados na Primeira fase
Rebaixados para a Série B 2000, pela média de pontos das temporadas 1998 e 1999

(1) Em função do "Caso Sandro Hiroshi", o São Paulo perdeu no tribunal os jogos contra Internacional e Botafogo, ambos por 1 a 0.

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1999
Bandeira do estado de São Paulo.svg
Sport Club Corinthians Paulista
Campeão
(3° título)

Decisões de tribunal[editar | editar código-fonte]

O São Paulo, por ter incluído de forma irregular o jogador Sandro Hiroshi em duas partidas, perdeu 4 pontos no tribunal, relativos à vitória de 6 a 1 contra o Botafogo (4 de agosto) e ao empate de 2 a 2 com o Internacional (10 de outubro). Pela mesma decisão do STJD, o Internacional ganhou 2 pontos e o Botafogo, 3.

A partida entre Paraná e Vasco disputada em São Januário, Rio de Janeiro, no dia 19 de agosto, não terminou. Aos 44 minutos do segundo tempo, quando o terceiro jogador do Vasco foi expulso, o então Vice-presidente de futebol do Vasco - Eurico Miranda - invadiu o gramado e retirou seu time de campo. O resultado parcial de 1 a 1 foi mantido pela CBF.

A polêmica do rebaixamento[editar | editar código-fonte]

O critério para o rebaixamento à Série B em 1999 era a média dos pontos obtidos no campeonato atual e no anterior. Seriam rebaixados os clubes com as 4 menores médias. Mas, como o número de jogos na primeira fase baixou de 23 para 21 entre 1998 e 1999, era necessário fazer uma média ponderada entre as duas pontuações. A fórmula definida pela CBF para a média de pontos (MP) era:

MP = ( (P98/23) + (P99/21) ) / 2

sendo P98 a pontuação em 1998 e P99 a pontuação em 1999.

No caso de Gama e Botafogo/SP, que não disputaram o Campeonato de 1998 (já que haviam subido da Série B), a fórmula se reduzia a:

MP = P99/21

De acordo com os resultados de campo (isto é, não considerada a decisão do STJD de retirar os pontos do São Paulo nos jogos contra Botafogo e Internacional devido a problemas com o jogador Sandro Hiroshi), as médias de pontos dos clubes não classificados à Fase Final teriam sido (da menor para a maior):

  1. Botafogo/SP: 1,000
  2. Juventude: 1,089
  3. Paraná: 1,093
  4. Botafogo: 1,178
  5. Internacional: 1,219
  6. Gama: 1,238

Porém, com a decisão do STJD, as menores médias ficaram assim:

  1. Botafogo/SP: 1,000
  2. Juventude: 1,089
  3. Paraná: 1,093
  4. Gama: 1,238
  5. Botafogo: 1,249
  6. Internacional: 1,267

Ou seja: o Botafogo escapou do rebaixamento e o Gama/DF juntou-se a Botafogo/SP, Juventude e Paraná como rebaixado à Série B em 2000.

O clube do Distrito Federal não aceitou a decisão do tribunal e recorreu à Justiça Comum. As disputas judiciais estenderam-se por meses e a CBF viu-se impedida de comandar o Campeonato Brasileiro de 2000. Ao final, o Clube dos 13 assumiu a organização do certame, que teve o nome de Copa João Havelange, com a participação de 116 clubes divididos em 4 módulos.

Ver também[editar | editar código-fonte]