Campeonato Carioca de Futebol de 1933

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Campeonato Carioca de Futebol de 1933
Times
Campeão Botafogo Football Club (AMEA); Bangu (LCF)
Vice Andaraí e Olaria (AMEA); Fluminense (LCF)
Artilheiro Nilo (Botafogo) - 19 gols (AMEA);
Tião Bangu - 13 gols (LCF)

O Campeonato Carioca de Futebol de 1933 foi disputado em três ligas. O organizado pela AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Athleticos) foi vencido pelo Botafogo. O da LCF (Liga Carioca de Futebol) pelo Bangu. O terceiro, organizado pela LMTD (Liga Metropolitana de Desportos Terrestres) foi vencido por Viação Excelsior (a LMTD desistiu de rivalizar com as demais ligas em se tornou uma subliga da LCF, destinada exclusivamente a organizar competições amadoras, deixando de existir em 1935).

O campeonato organizado pela AMEA tinha o reconhecimento da CBD e da FIFA.

A Liga Carioca lutava pela profissionalização do futebol. Já a AMEA, liderada por Botafogo e Flamengo, pretendia manter o formato amador do futebol.

Durante a disputa simultânea de ambos os campeonatos, o Flamengo, discordando do modelo de premiação de jogadores, denunciou um suposto amadorismo marrom e decidiu abandonar a AMEA, passando a disputar o Campeonato da Liga Profissional com um time amador. São Cristóvão e Carioca seguiram o Flamengo.

A partida final do Campeonato da Liga Profissional (LCF) foi disputada entre Bangu e Fluminense, no campo das Laranjeiras, em 12 de novembro de 1933, tendo sagrado-se Campeão o Bangu, cujo placar final foi 4 x 0, mesmo desfalcado e disputando a final da casa do adversário. O árbitro da partida foi Alderico Solon Ribeiro. O Bangu jogou desfalcado do zagueiro esquerdo Sá Pinto e do ponta direita Sobral; e o Fluminense sem o goleiro Veloso, todos contundidos. 1° Tempo, Bangu 2 a 0, gols de Ivan (contra) e Tião. No 2°, Plácido e Tião selaram a vitória do Bangu. O Bangu alinhou: Euclides; Mario e Camarão; Ferro, Santana e Médio; Paulista, Laudislau, Tião, Plácido e Orlandinho. O Fluminense com: Armandinho; Ernesto e Cabrera (Nariz, aos 21 do 2°); Marcial, Brant e Ivan; Álvaro, Vicentino (Russo), Russo (Cabrera), Tintas e Valter.

Devido ao formato do campeonato, não houve partida final do Campeonato da Liga Amadora (AMEA). Sagrou-se campeão o Botafogo, por ter perdido apenas 8 pontos durante todo o campeonato.

Esse foi o primeiro grande racha no Futebol Brasileiro, impulsionando rachas maiores, como a fundação da FBF (Federação Brasileira de Futebol).

No final, o São Cristovão jogou um campeonato alternativo devido a sua má colocação nesse campeonato.

Em 1933, o futebol brasileiro passava por um processo de profissionalização bastante conturbado. Havia uma verdadeira cisão entre os clubes que queriam o profissionalismo e os que desejavam manter o amadorismo no esporte. No estado do Rio, em especial, América, Bangu, Fluminense articulavam para adotar oficialmente (já que na prática alguns clubes assim o faziam) o profissionalismo, enquanto o Botafogo era terminantemente contra, contando com apoio do Flamengo e do São Cristovão. Para adotar o profissionalismo, América, Bonsucesso, Bangu, Fluminense e Vasco fundaram uma nova liga, denominada Liga Carioca de Futebol. Durante o campeonato da A.M.E.A. (entidade que reunia os clubes amadores e que era considerada a liga oficial, já que era vinculada a CBD e à CBF`), Flamengo e São Cristovão resolveram abandonar a disputa. O Flamengo entrou então no campeonato dos clubes profissionais, que até então só contava com 5 clubes. Neste campeonato de profissionais só haviam 6 clubes (América, Bangu, Bonsucesso, Flamengo, Fluminense e Vasco) e o Flamengo ficou em 6º lugar. Neste ano não havia segunda divisão, pois não existia mais nenhum clube profissional no estado do RJ. Por isso o Flamengo não foi rebaixado

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • ASSAF, Roberto; MARTINS, Clovis. Campeonato Carioca - 96 Anos de História - 1902/1997. Ed. Irradiação Cultural. Rio de Janeiro; 1997.
  • MERCIO, Roberto. A História dos Campeonatos Cariocas de Futebol. Studio Alfa. Rio de Janeiro; 1985.
  • ASSAF, Roberto e MARTINS, Clóvis. História dos Campeonatos Cariocas de Futebol - 1906/2010.

Maquinária Editora; 2010.

Ícone de esboço Este artigo sobre Campeonato Carioca de Futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.