Campeonato Paraense de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Paraense de Futebol
Parazão
Pará
Dados gerais
Organização FPF
Edições 101 (até 2013)
Local de disputa  Pará,  Brasil
Número de equipes 12
Sistema Temporada (turno classificatório)
Divisões
Divisão de Acesso
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

O Campeonato Paraense (também chamado de "Parazão") é a principal competição de futebol disputada no Estado do Pará, norte do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

O Pará foi o quarto estado do Brasil a organizar um campeonato de futebol, atrás somente de São Paulo (1902), Bahia (1905) e Rio de Janeiro (1906). A primeira edição do Campeonato Paraense aconteceu em 1908 e foi vencida pelo União Sportiva que ficou com a posse da Taça Pará. A competição contou com as participações de quatro agremiações: Sociedade Athlética União Sportiva, Belém Foot-Ball Club, Sport Club do Pará e Sporting Foot-Ball Club. A fórmula de disputa era em turno único com início no dia 7 de setembro de 1908, União Sportiva 3 x 1 Belém em partida disputada no campo da Praça Floriano Peixoto (primeiro local para jogos), no Largo de São Braz e encerrado em 21 de março de 1909.

Após esse primeiro campeonato, as equipes, com excecão do União Sportiva, desapareceram o que impediu a realização do certame em 1909. O campeonato voltou a ser disputado no ano seguinte e o União repetiu o feito, sagrando-se bicampeão. Entretanto, a competição não foi realizada em 1911 e 1912.

A partir de 1913 é que o Campeonato Paraense passa a ser disputado continuamente graças ao surgimento da Liga Paraense de Foot-Ball, fundada em 25 de maio daquele ano com o objetivo de reorganizar o futebol no estado. A entidade contou com o apoio do intendente de Belém, Dionysio Bentes, que cedeu a área de São Braz para os embates. A primeira partida terminou empatada em 2 a 2 entre os times do Internacional e União Sportiva em 29 de junho. O título ficou com o Grupo do Remo, fundado em 1905 para a prática das regatas, que o conquistou de forma invicta logo em sua estreia na história do Parazão.

Em 1914 surge o Paysandu Sport Club e sua primeira partida foi justamente contra o Grupo do Remo em 14 de junho desse ano. Atualmente, os dois clubes são protagonistas do maior clássico de futebol da região Norte do Brasil, o Clássico Rei da Amazônia ou Re-Pa. O primeiro confronto terminou com vitória dos azulinos por 2 a 1 que, posteriormente, conquistaria o bicampeonato estadual. Na ocasião, foi inaugurado o campo da firma Ferreira & Comandita (hoje estádio Leônidas Sodré de Castro, a popular Curuzu, do Paysandu) com capacidade para duas mil pessoas, passando a ser o palco principal para a realização das partidas.

Na temporada de 1917, a Liga Paraense de Foot-Ball é substituída pela Liga Paraense de Esportes Terrestres, fundada em 2 de maio. Nesse ano foi realizado o primeiro Torneio Início e o Paysandu sagrou-se vencedor. No dia 15 de agosto, o Clube do Remo inaugurou o seu campo de esportes, atual estádio Evandro Almeida, mais conhecido como Baenão. Em julho de 1918, o Paysandu adquiriu o campo da firma Ferreira & Comandita através de um lance de 12 contos de réis.

Em 1919, o Remo sagrou-se heptacampeão paraense, feito até hoje inigualável na história do futebol paraense. No ano seguinte, o Paysandu obteve o seu primeiro título estadual e continuou vitorioso até 1923 quando arrebatou o tetracampeonato, dando uma nova dinâmica ao certame. A partir de então, os rivais passariam a revezar as conquistas.

No ano de 1932 o futebol paraense passou pela maior crise de sua história. Após o término do Campeonato Paraense de 1931, foi eleita a nova diretoria da Federação Paraense de Desportos (entidade surgida em 21 de junho de 1928) e o bicolor Ophir de Loyola ficou com o cargo de presidente. A decisão não agradou o Clube do Remo que resolveu se desfiliar da Federação, recebendo o apoio de outros clubes que juntos fundaram a Liga Atlética Paraense, mais tarde Liga Esportiva Paraense. Dessa forma, foram organizadas duas competições em 1932: a oficial da Federação, vencida pelo Paysandu com apenas dois jogos e a "pirata" da Liga, ganha pelo Remo. O impasse só foi resolvido quando Remo, Paysandu e Tuna se uniram e criaram a Liga Atlética Paraense que passou a reger o futebol no estado, substituindo a FPD.

Na década de 1930 entra em cena a Tuna Luso Comercial. Fundada em 1903, a Tuna se dedicou prioritariamente às regatas até 1915 quando criou o seu departamento de futebol, ainda que de forma amadora. O clube só disputou o seu primeiro Campeonato Paraense em 1933. No ano de 1935, inaugurou o seu campo, mais tarde batizado de estádio Francisco Vasques, o famoso Souza ou Chico Vasques. Seu primeiro título estadual foi o Campeonato Paraense de 1937, conquistado sem nenhuma derrota (invicto), obtendo o bicampeonato em 1938. Nesse ano a competição foi organizada pela Associação Paraense de Futebol (AFP), de 9 de fevereiro de 1938. A AFP foi substituída em 1941 pela Federação Paraense de Desportos (FPD), surgida em 9 de maio desse ano.

O ano de 1945 é um marco na história do futebol paraense. Representa a transição do ciclo amadorista para o profissionalismo, quando foram criados os primeiros contratos entre os clubes e seus jogadores, passando a ter vínculo empregatício. Até então, Remo e Paysandu haviam conquistado 14 títulos estaduais cada um, a Tuna, 3 e o União Sportiva, 2.

Em 1960, pela primeira vez na história um time do interior disputa o Campeonato Paraense, o Avante do município de Soure. O estreante não fez feio e chegou ao vice-campeonato, perdendo o título para o Clube do Remo. Entretanto, uma decisão judicial fez com que a final fosse reeditada mas dessa vez com o ingresso do Paysandu, que eliminou o Avante, porém perdeu o título para o Remo, conhecido na época como o "Duplo Campeão".

Na data de 1º de julho de 1970 foi instalada a Federação Paraense de Futebol que permanece até hoje como a gestora do futebol no estado do Pará. Em 1976, finalmente o campeonato ganha status de estadual com a participação de mais dois clubes interioranos: o Clube Atlético Marabá e o Esporte Clube Santarém. No ano de 1978 é inaugurado o Mangueirão, o maior estádio do Norte do Brasil que passou a ser o principal palco para grandes jogos e decisões.

A partir dos anos 2000, notou-se uma crescente força dos times do interior como o Castanhal Esporte Clube e o Clube Municipal Ananindeua, vice-campeões dos certames de 2000 e 2006, respectivamente, ambos vencidos pelo Paysandu na final. Em 2008, foi comemorado o centenário do Campeonato Paraense e o Clube do Remo sagrou-se campeão sobre o Águia de Marabá Futebol Clube. No campeonato de 2009, novamente o interior bateu na trave com o vice-campeonato do [[São Raimundo Esporte Clube, de Santarém. A hegemonia da capital só foi quebrada em 2011, quando o Independente Atlético Clube, de Tucuruí, tornou-se o primeiro interiorano da história a conquistar o título estadual, vencendo a final nos pênaltis sobre o Paysandu. No seguinte, na 100ª edição do Campeonato Paraense, foi a vez do Cametá Sport Club superar o Remo decisão.

Participantes em 2014[editar | editar código-fonte]

1ª fase[editar | editar código-fonte]

Em negrito: Avançaram para a segunda fase.

2ª fase[editar | editar código-fonte]

Campeões[editar | editar código-fonte]

Edição Ano Campeão Vice-campeão Terceiro lugar Quarto lugar
1908 União Sportiva (Belém) Sport Pará (Belém)
1909 Não houve campeonato
1910 União Sportiva (Belém) Guarany (Belém)
1911-12 Não houve campeonato
1913 Remo (Belém) Norte Club (Belém)
1914 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
1915 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
1916 Remo (Belém)
1917 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
1918 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
1919 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
10ª 1920 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
11ª 1921 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
12ª 1922 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
13ª 1923 Paysandu (Belém) União Sportiva (Belém)
14ª 1924 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
15ª 1925 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
16ª 1926 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
17ª 1927 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
18ª 1928 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
19ª 1929 Paysandu (Belém) União Sportiva (Belém)
20ª 1930 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
21ª 1931 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
22ª 1932 Paysandu (Belém) Guarany (Belém)
23ª 1933 Remo (Belém)
24ª 1934 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
1935 Não houve campeonato
25ª 1936 Remo (Belém)
26ª 1937 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
27ª 1938 Tuna Luso (Belém) Nacional (Belém)
28ª 1939 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
29ª 1940 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
30ª 1941 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
31ª 1942 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
32ª 1943 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
33ª 1944 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
34ª 1945 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
1946 Não houve campeonato
35ª 1947 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
36ª 1948 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
37ª 1949 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
38ª 1950 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
39ª 1951 Tuna Luso (Belém) Remo (Belém)
40ª 1952 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
41ª 1953 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
42ª 1954 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
43ª 1955 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
44ª 1956 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
45ª 1957 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
46ª 1958 Tuna Luso (Belém) Remo (Belém)
47ª 1959 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
48ª 1960 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
49ª 1961 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
50ª 1962 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
51ª 1963 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
52ª 1964 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
53ª 1965 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
54ª 1966 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
55ª 1967 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
56ª 1968 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
57ª 1969 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
58ª 1970 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
59ª 1971 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
60ª 1972 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
61ª 1973 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
62ª 1974 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
63ª 1975 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
64ª 1976 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
65ª 1977 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
66ª 1978 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
67ª 1979 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
68ª 1980 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
69ª 1981 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
70ª 1982 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
71ª 1983 Tuna Luso (Belém) Remo (Belém)
72ª 1984 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém)
73ª 1985 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
74ª 1986 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
75ª 1987 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
76ª 1988 Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém)
77ª 1989 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
78ª 1990 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
79ª 1991 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém)
80ª 1992 Paysandu (Belém) Remo (Belém)
81ª 1993 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
82ª 1994 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
83ª 1995 Remo (Belém) Paysandu (Belém)
84ª 1996 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém) Bragantino (Bragança)
85ª 1997 Remo (Belém) Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém) Bragantino (Bragança)
86ª 1998 Paysandu (Belém) Remo (Belém) Vênus (Abaetetuba) São Raimundo (Santarém)
87ª 1999 Remo (Belém) Paysandu (Belém) Castanhal (Castanhal) Tuna Luso (Belém)
88ª 2000 Paysandu (Belém) Castanhal (Castanhal) Tuna Luso (Belém) São Raimundo (Santarém)
89ª 2001 Paysandu (Belém) Remo (Belém) Tiradentes (Belém) Tuna Luso (Belém)
90ª 2002 Paysandu (Belém) Tuna Luso (Belém) Remo (Belém) Ananindeua (Ananindeua)
91ª 2003 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém) Paysandu (Belém) Águia de Marabá (Marabá)
92ª 2004 Remo (Belém) Paysandu (Belém) Castanhal (Castanhal) Ananindeua (Ananindeua)
93ª 2005 Paysandu (Belém) Remo (Belém) Abaeté (Abaetetuba) São Raimundo (Santarém)
94ª 2006 Paysandu (Belém) Ananindeua (Ananindeua) Remo (Belém) Castanhal (Castanhal)
95ª 2007 Remo (Belém) Tuna Luso (Belém) Ananindeua (Ananindeua) Paysandu (Belém)
96ª 2008 Remo (Belém) Águia de Marabá (Marabá) Paysandu (Belém) Ananindeua (Ananindeua)
97ª 2009 Paysandu (Belém) São Raimundo (Santarém) Remo (Belém) Águia de Marabá (Marabá)
98ª 2010 Paysandu (Belém) Águia de Marabá (Marabá) Remo (Belém) Independente (Tucuruí)
99ª 2011 Independente (Tucuruí) Paysandu (Belém) Remo (Belém) Cametá (Cametá)
100ª 2012 Cametá (Cametá) Remo (Belém) Águia de Marabá (Marabá) Paysandu (Belém)
101ª 2013 Paysandu (Belém) Paragominas (Paragominas) Remo (Belém) Santa Cruz de Cuiarana (Salinópolis)
102ª 2014

Títulos por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vices Anos dos campeonatos
Paysandu 45 35 1920, 1921, 1922, 1923, 1927, 1928, 1929, 1931, 1932, 1934, 1939, 1942, 1943, 1944, 1945, 1947, 1956, 1957, 1959, 1961, 1962, 1963, 1965, 1966, 1967, 1969, 1971, 1972, 1976, 1980, 1981, 1982, 1984, 1985, 1987, 1992, 1998, 2000, 2001, 2002, 2005, 2006, 2009, 2010, 2013
Remo 42 32 1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1924, 1925, 1926, 1930 ,1933, 1936, 1940, 1949, 1950, 1952, 1953, 1954, 1960, 1964, 1968, 1973, 1974, 1975, 1977, 1978, 1979, 1986, 1989, 1990, 1991, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1999, 2003, 2004, 2007, 2008
Tuna Luso 10 18 1937, 1938, 1941, 1948, 1951, 1955, 1958, 1970, 1983, 1988
União Sportiva 2 2 1908, 1910
Independente 1 - 2011
Cametá 1 2012

Título por cidade[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vices
Belém Belém 98 95
Tucuruí Tucuruí 1 0
Cametá Cametá 1 0
Marabá Marabá 0 2
Ananindeua Ananindeua 0 1
Castanhal Castanhal 0 1
Santarém Santarém 0 1
Paragominas Paragominas 0 1

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Ano Artilheiro Clube Gols
1933 Heitor Paysandu (Belém) 9
1934
1935 Não houve
1936
1937
1938
1939 Cláudio Paysandu (Belém) 11
1940
1941
1942
1943
1944
1945
1946 Não houve
1947 Hélio Paysandu (Belém) 11
1948 Geju Remo (Belém) 10
1949 Quiba Remo (Belém) 9
1950 Daniel Tuna Luso (Belém) 8
1951 Juvenil Tuna Luso (Belém) 13
1952 Quiba Remo (Belém) 14
1953 China Tuna Luso (Belém) 13
1954 Ernesto Paysandu (Belém) 16
1955 Estanislau Tuna Luso (Belém) 22
1956 Norman Paysandu (Belém) 17
1957 Toni Paysandu (Belém) 14
1958 China Tuna Luso (Belém) 15
1959 Toni Paysandu (Belém) 14
1960 Câmara Remo (Belém) 18
1961 Walmir Tuna Luso (Belém) 11
1962 Walmir Tuna Luso (Belém) 9
1963 Carlos Alberto Paysandu (Belém) 14
1964 Roger 12
Chaminha Remo (Belém)
1966 Mário Tuna Luso (Belém) 23
1967 Amoroso Remo (Belém)
1968 Amoroso Remo (Belém)
1969 Bené Paysandu (Belém) 13
Wilson
1970 Lêonidas Tuna Luso (Belém) 9
1971 Bené Paysandu (Belém) 20
1972 Bené Paysandu (Belém) 20
1973 Alcino Remo (Belém) 7
Roberto
Almeida Sport Belém (Belém)
Odílson Tuna Luso (Belém)
1974 Alcino Remo (Belém) 12
1975 Alcino Remo (Belém) 21
1976 Rodrigues Remo (Belém) 10
1977 Vilfredo Remo (Belém) 10
1978 Bira Remo (Belém) 25
1979 Bira Remo (Belém) 32
1980 Nílson Diabo Tuna Luso (Belém) 14
1981 Mesquita Remo (Belém) 14
1982 Cabinho Paysandu (Belém) 12
1983 Dadinho Remo (Belém) 23
1984 Cabinho Paysandu (Belém) 21
1985 Dadinho Remo (Belém) 18
1986 Dadinho Remo (Belém) 17
1987 Cabinho Paysandu (Belém) 24
1988 Luís Carlos Tuna Luso (Belém) 13
1989 Dadinho Paysandu (Belém) 23
1990 Edil Paysandu (Belém) 13
1991 Almir Izabelense (Santa Isabel do Pará) 14
1992 Edil Paysandu (Belém) 24
1993 Ageu Tuna Luso (Belém) 8
1994 Alex Remo (Belém) 12
1995 Luís Müller Remo (Belém) 11
1996 Gaúcho Tuna Luso (Belém) 14
1997 Edil Remo (Belém) 12
Diórgens Tuna Luso (Belém)
1998 Vágner Paysandu (Belém) 11
1999 Mael Remo (Belém) 13
2000 Edil Castanhal (Castanhal) 16
2001 Rato Tuna Luso (Belém) 12
2002 Jóbson Paysandu (Belém) 9
Valdomiro
2003 Marajó Sport Belém (Belém) 11
2004 Wegno Castanhal (Castanhal) 13
2005 Rico Pedreira (Belém) 13
2006 Marçal Ananindeua (Ananindeua) 10
Balão Paysandu (Belém)
2007 Róbson Paysandu (Belém) 13
2008 Marklécio Águia de Marabá (Marabá) 13
2009 Hélcio São Raimundo (Santarém) 12
2010 Moisés Paysandu (Belém) 13
2011 Leandro Cearense Cametá (Cametá) 21
2012 Rafael Paty
Branco
Fábio Oliveira
Cametá (Cametá)
Águia de Marabá (Marabá)
Remo (Belém)
12
2013 Aleilson Paragominas (Paragominas) 13

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]