Campo Ramond-Ramond

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teoria das cordas
Calabi-Yau.png
Teoria das supercordas
Conceitos
Cordas · Branes
Variedade de Calabi-Yau
Álgebra de Kac-Moody
D-brane
E8 Grupo de Lie

Em física teórica, os campos Ramond-Ramond são campos de forma diferencial[1] nas dez dimensões de espaço-tempo das teorias tipo II [nota 1] de supergravidade[2] , que são os limites clássicos de tipo II a teoria das cordas.

O posto dos campos depende em qual teoria do tipo II é considerado. Como Joseph Polchinski argumentou em 1995, ​​D-branas são os objetos com cargas que funcionam como fontes para estes campos, de acordo com as regras da P-forma eletrodinâmica[3] . Há conjecturas que os campos quânticos Ramond-Ramond não são campos de formas diferenciais, mas em vez disso são classificados pela K-teoria trançada.

O adjetivo "Ramond-Ramond" reflete o fato de que no formalismo RNS, estes campos aparecem no setor de Ramond-Ramond em qual todos os férmions vetores são periódicos. Ambos os usos da palavra "Ramond" referem-se a Pierre Ramond, que estudou as condições de limite e tais campos que as satisfazem em 1971.

Notas

  1. A teoria das cordas do tipo II é um termo unificado que inclui os dois tipos de cordas (cordas do tipo IIA e cordas do tipo IIB). Esses tipos são responsáveis ​​por duas das cinco teorias das supercordas consistentes em dez dimensões. Ambas as teorias têm a quantidade máxima de supersimetria - ou seja, 32 supercargas - em dez dimensões.

Referências

  1. Weisstein, Eric W., ["Differential form"]
  2. Bernard de Wit 2002 Supergravity
  3. Henneaux; Teitelboim 1986, "p-Form electrodynamics", Foundations of Physics 16 (7): 593-617,
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.