Canções de Inocência e de Experiência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde maio de 2012).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e dire(c)ta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Canções de Inocência e de Experiência

Canções de Inocência e de Experiência, o trabalho mais conhecido de William Blake, surgiu em duas fases. Algumas das primeiras cópias foram estampadas e ilustradas pelo próprio em 1789; cinco anos depois uniu estes poemas a um conjunto de novos poemas num volume intitulado Songs of Innocence and of Experience Showing the Two Contrary States of the Human Soul (Canções de Inocência e de Experiência Revelando os Dois Estados Contrários da Alma Humana). A "Inocência" e a "Experiência" são definições da consciência que repensam os estados de condição mítica existencial de Milton em "Paradise" e "Fall". As categorias de Blake são modos de percepção que tendem a coordenar-se com uma cronologia que se tornaria padrão no Romantismo: a infância é uma época e um estado de "inocência" protegida, mas não imune ao mundo decadente e às suas normas. Por vezes, este mundo atinge a própria infância e passa então a ser conhecido através da "experiência", ou seja, o estado de ser marcado pela perca da vitalidade da infância, pelo medo e pela inibição, pela corrupção social e política e pela opressão diversa da Igreja, Estado e classes dominantes. Os "estados contrários" do volume são por vezes assinalados através de títulos repetidos ou contrastados: na Inocência, o Infant Joy (Menino Alegria), que, na Experiência passa a Infant Sorrow (Menino Tristeza); na Inocência existe The Lamb (o Cordeiro), na Experiência passam a existir The Fly (a Mosca) e The Tyger (o Tigre).

Canções de Inocência[editar | editar código-fonte]

Songs of Innocence foi o primeiro trabalho completo do volume, publicado em 1789. É uma colecção de 19 poemas ilustrados.

Os poemas são os seguintes:

  • Introduction (Introdução)
  • The Shepherd (O Pastor)
  • The Echoing Green (O Verde Ecoante)
  • The Lamb (O Cordeiro)
  • The Little Black Boy (O Rapazinho Negro)
  • The Blossom (O Florescer)
  • The Chimney Sweeper (O Limpa-chaminés)
  • The Little Girl lost (A Menina Perdida)
  • The Little Girl found (A Menina Encontrada)
  • The Little Boy lost (O Menino Perdido)
  • The Little Boy found (O Menino Encontrado)
  • Laughing Song (Canção Sorridente)
  • A Cradle Song (Uma Canção de Berço)
  • The Divine Image (A Imagem Divina)
  • Holy Thursday (Quinta-feira Santa)
  • Night (Noite)
  • Spring (Primavera)
  • Nurse's Song (Canção das Amas)
  • Infant Joy (Menino Alegria)
  • A Dream (Um Sonho)
  • On Another's Sorrow (Sobre a Tristeza de Outro)