Canacos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira cultural da comunidade dos Canacos, usada pelos movimentos independentistas da Nova Caledônia
Mulheres Canacas com suas roupas típicas.

Os Canacos [carece de fontes?] ou Canacas[1] (grafado localmente Kanak ou Canaque) são melanésios da Nova Caledônia. Segundo o censo de 1996, havia 86.788 canacos na Nova Caledônia (44,1% dos habitantes da ilha). Seu percentual aumenta para 90,7% nas Ilhas Lealdade e para 78,7% na província do Norte da Nova Caledônia, mas baixa para 25,7% na província do Sul, onde há grande concentração de outros povos do Pacífico e de europeus.

O termo tem sua origem na palavra do idioma havaiano «kanaka» que significa «homem» e é usado pelos polinésios, em geral, para se referir a eles mesmos. Os navegantes e mercadores europeus generalizaram seu uso, principalmente na forma francesa «canaque», para se referir não só aos havaianos ou aos polinésios, mas também aos povos da Melanésia e Micronésia.

Na Nova Caledônia o termo se utilizou por parte dos franceses de forma pejorativa. A partir da década de 1960 os movimentos independentistas da Nova Caledônia se apropriaram do termo, com a grafia kanak, e a nação kanak se converteu em Kanaky. Com umas trinta línguas autóctones diferentes, não existia uma denominação comum para o país e para a população melanésia da Nova Caledônia. O termo que antes era pejorativo hoje se utiliza com orgulho e como símbolo de reivindicação cultural e emancipação política.

Um canaco famoso é o futebolista Christian Karembeu que jogou no Real Madrid entre 1997 e 2000.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Paulo Correia; Direção-Geral da Tradução — Comissão Europeia. (Outono de 2012). "Etnónimos, uma categoria gramatical à parte?" (PDF). a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (N.º 40) p. 29. Sítio Web da Direção-Geral de Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-7809. Página visitada em 13 de janeiro de 2013.