Canarana (Mato Grosso)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Canarana
Bandeira de Canarana
Brasão de Canarana
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 15 de fevereiro
Fundação 1975
Gentílico canaranense
Prefeito(a) Evaldo Osvaldo Diehl (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Canarana
Localização de Canarana no Mato Grosso
Canarana está localizado em: Brasil
Canarana
Localização de Canarana no Brasil
13° 33' 16" S 52° 16' 20" O13° 33' 16" S 52° 16' 20" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Nordeste Mato-Grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Canarana IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Água Boa, Querência, Gaúcha do Norte.
Distância até a capital 800 km
Características geográficas
Área 10 834,325 km² [2]
População 19 260 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 1,78 hab./km²
Altitude 630 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,761 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 365 663,940 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 20 560,24 IBGE/2008[5]
Página oficial

Canarana é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Sua população estimada em 2013 era de 19.681 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Canarana surgiu nos anos 70 quando se instalaram os primeiros agricultores recrutados no município gaúcho de Tenente Portela, pela Coopercol - Cooperativa Colonizadora 31 de Março Ltda, fundada e dirigida pelo pastor Norberto Schwantes e pelo economista José Roberto. Depois de seu falecimento, em sua homenagem, foram dados nomes às escolas estaduais do município, um de Colégio Norberto Schwantes e outro de Escola Estadual 31 de Março.

Nascia a primeira cooperativa colonizadora do país, que em tese não visava lucro. A primeira ideia de Schwantes era assentar famílias gaúchas luteranas em territóriio matogrossense.

O nome da cidade de Canarana (um capim da região) foi escolhido por ocasião da elaboração do anteprojeto, criando-se o núcleo de colonização, em 1972. Schwantes foi um idealizador e muito se deve a seu trabalho pioneiro. Dizem que o nome também foi escolhido por lembrar o nome "Canaã", a terra prometida, tendo assim usado um tipo de propagando para atrair os agricultores para a região.

A iniciativa do pastor Norberto Schwantes tinha o apoio dos governos Estadual e Federal, que desejavam atrair empresários rurais para a região ao mesmo tempo que diminuíam as tensões nos conflitos de terras criados no Rio Grande do Sul.

Assim, em 15 de fevereiro de 1975 é criada a localidade de Canarana.

Através da lei Estadual n.º 3.762 de 29 de junho de 1976, é criado o distrito de Canarana, com território jurisdicionado ao município de Barra do Garças.

A lei Estadual n.º 4.165 de 26 de dezembro de 1979 cria o município de Canarana.

Canarana tem um fuso horário diferente do usado no Estado de Mato Grosso. Em Canarana é usado o mesmo Fuso Horário de Brasília, porém sem o horário de verão. Para se obter o horário correto, deve-se usar sempre Fuso horário UTC -3.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua área territorial compreende em 10.882,402 km2. Os biomas presentes em Canarana são o Cerrado e a Amazônia. Predomina-se no município o clima tropical com período chuvoso e seco. Em sua hidrografia constam as bacias Xingu e Araguaia, além dos rios Culuene, Sete de Setembro, Suiá Missu, Xingu, Tanguru e Vanick.

Canarana é uma cidade planejada, com ruas e avenidas largas, bem arborizadas, com a presença de vegetação nativa nos canteiros centrais. Faz parte do município ainda os distritos Matinha, Serra Dourada, Culuene e Garapú.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município é constituído por uma formação de planalto e por planícies da bacia do xingu. O relevo predominante é suavemente ondulado, ocorrendo em maior escala o relevo plano.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município é classificado como AW.

A temperatura média anual é de 32 °C com correntes de ar frio vindos da região sul do país, nos meses de junho a agosto.

O Regime Puliométrico é caracterizado por um período das secas de maio a agosto e um período das águas ou das chuvas de setembro aabril. No mês de janeiro ou fevereiro costuma ocorrer um veranico. A precipitação anual tem sido em torno de 2.100 mm.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua economia se destaca como um dos maiores produtores de grãos do Vale do Araguaia, sendo a soja a principal cultura. O rebanho de gado conta com cerca de 450.000 cabeças numa área de 600.000 hectares de pastagens.

Educação[editar | editar código-fonte]

Escolas Municipais[editar | editar código-fonte]

Monteiro Lobato, Nova Era, Pioneiros, Progresso, Coronel Vanick, Viriato Correia,Serra Dourada, Amália Vanzella Toniello, Elidío Corbari

Escolas estaduais[editar | editar código-fonte]

31 de março, Norberto Schwantes, Paulo Freire.

Privadas[editar | editar código-fonte]

Jesus Maria José, Colégio Portal do Xingu.

Universidades[editar | editar código-fonte]

Universidade Aberta do Brasil (UAB) UFMT, Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), Universidade de Cuiabá (UNIC).

Saúde[editar | editar código-fonte]

 A Saúde de Canarana conta com um hospital particular, um Pronto Socorro Municipal, um Laboratório Municipal, quatro Unidades Básicas de Saúde localizadas em quatro bairros distintos, e quatro Postos de Saúde localizados nos distritos. O atendimento por parte do Município é totalmente gratuito, inclusive com exames de laboratório e atendimento odontológico.

Emissoras Locais[editar | editar código-fonte]

Rádio Capital do Araguaia FM, Rádio Comunitária Vida Nova FM

Sites Locais[editar | editar código-fonte]

Canarana News Jornal O Pioneiro

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Título não preenchido, favor adicionar.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.