Canela-guaicá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCanela-guaicá
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante [1]
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Ordem: Ocotea
Família: Lauráceas
Sinónimos
Canela guaicá, guaicá, canela sebo, canela parda, canela de corvo, canela pimenta.[1]

A canela-guaicá (Ocotea puberula) é uma espécie de árvore da família das lauráceas, muito dispersa se encontrando desde o Nordeste até o Rio Grande do Sul, incluindo, ainda, o Paraguai e a Argentina.[2]

Características[editar | editar código-fonte]

Árvore de porte grande de 10m a 25m, tronco de 40-60 cm de diâmetro, revestido por casca parda com ritidoma superficialmente estriado, as folhas são alternas espiraladas, elípticas a oblongo-elípticas, subcoriáceas, glabras, de 10-16 cm de comprimento por 2-5 cm de largura, floresce durante os meses de julho a agosto e os frutos amadurecem no período novembro a dezembro.[1]

Plantio e uso[editar | editar código-fonte]

São geralmente exploradas em florestas de Misiones, na Argentina devido ao valor de sua madeira.[3] leve (densidade 0,45 g/cm³), mole, grã direita a irregular, difícil de aplainar e lixar, baixa resistência mecânica, moderadamente resistente ao apodrecimento e ao ataque de organismos xilófagos, com alburno e cerne indistintos.[4]

Referências

  1. a b c Canela Guaicá, Instituto Brasileiro de Florestas
  2. João Rodrigues de Mattos. Espécies florestais do Rio Grande do Sul. Governo do Estado, Secretaria da Agricultura, Departamento de Pesquisas, Instituto de Pesquisas de Recursos Naturais Renováveis "AP"; 1983. p. 15.
  3. Florencia Montagnini; Carl F. Jordan. Tropical Forest Ecology: The Basis for Conservation and Management. Springer; ISBN 978-3-540-23797-6. p. 155.
  4. Harri Lorenzi. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Instituto Plantarum de Estudos da Flora; 2002. ISBN 978-85-86714-16-0.