Capela Paulina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Michelangelo: A conversão de Saulo, Capela Paulina

A Capela Paulina é uma famosa capela que serve como igreja paroquial no Palácio do Vaticano. Foi construída pelo papa Paulo III, daí o seu nome. O arquiteto foi Antonio da Sangallo e foi decorada com afrescos de Michelangelo[1] , Lorenzo Sabbatini e Federico Zuccari.[2] . Michelangelo pintou dois frescos nesta capela: A conversão de São Paulo e a A crucifixão de São Pedro. Outras pinturas na capela são obra de Lorenzo Sabbatini e Federico Zuccaro. As estátuas da parte posterior são de P. Bresciano.

A capela é usada nos conclaves para a récita de um sermão preparatório, no qual os membros do Colégio dos Cardeais se reúnem para refletir sobre a sua obrigação de dar à Igreja o seu filho mais capaz como governante e guia. Os cardeais depois deslocam-se para a Capela Sistina. Enquanto dura o conclave ali todos os dias se canta uma missa solene "De Spiritu Sancto" em honra ao Espírito Santo.[3]

Há outras duas Capelas Paulinas em Roma: uma na Basílica de Santa Maria Maior e outra no Palácio do Quirinal.

Referências

  1. Leo Steinberg, Michelangelo’s Last Paintings: The Conversion of St. Paul and the Crucifixion of St. Peter in the Cappella Paolina, Vatican Palace (New York: Oxford University Press, 1975), 15-16.
  2. D. Redig de Campos, Michelangelo: The Frescoes of the Pauline Chapel in the Vatican (Milan: Art Editions Amilcare Pizzi, 1951), 6.
  3. Leo Steinberg, Michelangelo’s Last Paintings: The Conversion of St Paul and the Crucifixion of St. Peter in the Cappella Paolina, Vatican Palace (New York: Oxford University Press, 1975), 17.

Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.