Capistrano de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capistrano de Abreu
Nacionalidade  Brasileira
Data de nascimento 23 de outubro de 1853
Local de nascimento Maranguape, CE
Flag of Empire of Brazil (1870-1889).svg Império do Brasil
Data de falecimento 13 de agosto de 1927 (73 anos)
Local de falecimento Rio de Janeiro
Gênero(s) Literatura, História
Ocupação Historiador, Etnógrafo Bibliotecário e Linguista
Movimento Realismo?
Obra(s) de destaque
  • Os caminhos antigos e o povoamento do Brasil
    * A língua dos Bacaeris

João Capistrano Honório de Abreu (Maranguape, 23 de outubro de 1853Rio de Janeiro, 13 de agosto de 1927) foi um historiador brasileiro.

Um dos primeiros grandes historiadores do Brasil, produziu ainda nos campos da etnografia e da linguística. A sua obra é caracterizada por uma rigorosa investigação das fontes e por uma visão crítica dos fatos históricos e suas pesquisas fazem contraponto à de Francisco Adolfo de Varnhagen.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Historiador. João Capistrano Honório de Abreu nasceu na cidade de Maranguape, Ceará, em 23 de outubro de 1853. Fez seus primeiros estudos em rápidas passagens por várias escolas. Em 1869, viajou para Recife, onde cursou humanidades, retornando ao Ceará dois anos depois. Em Fortaleza, foi um dos fundadores da Academia Francesa, órgão de cultura e debates, progressista e anticlerical, que durou de 1872 a 1875.

No Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Neste último ano, viajou para o Rio de Janeiro e aí se fixou em um sobrado situado no bairro de Botafogo; hoje esta Rua leva seu nome por homenagem póstuma, tornando-se empregado da Editora Garnier. Foi aprovado em concurso público para bibliotecário da Biblioteca Nacional durante a gestão de Ramiz Galvão. Em 1879, foi nomeado oficial da Biblioteca Nacional. Lecionou Corografia e História do Brasil no Colégio Pedro II, nomeado por concurso em que apresentou tese sobre O descobrimento do Brasil e o seu desenvolvimento no século XVI. Eleito para a Academia Brasileira de Letras, recusou-se a tomar posse.

Dedicou-se ao estudo da história colonial brasileira, elaborando uma teoria da literatura nacional, tendo por base os conceitos de clima, terra e raça, que reproduzia os clichês típicos do colonialismo europeu acerca dos trópicos, invertendo, todavia, o mito pré-romântico do «bom selvagem». Morreu no Rio de Janeiro, aos 74 anos, em 13 de agosto de 1927. É patrono da cadeira 15 da Academia Cearense de Letras e da cadeira 23 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

Homenagem em selo postal do correio[editar | editar código-fonte]

Homenagem filatélica ao centenário de nascimento.

Em 9 de dezembro de 2003 o Correio brasileiro edita o selo comemorativo aos 150 anos do nascimento de Capistrando de Abreu.

Em 1953 o Correio Brasileiro também emitiu selo comemorativo ao centenário de nascimento do referido historiador.

Obras[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource possui obras de
Capistrano de Abreu

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • IGLÉSIAS, Francisco. Historiadores do Brasil: capítulos de historiografia brasileira. Rio de Janeiro : Nova Fronteira; Belo Horizonte : UFMG, 2000. 256p. ISBN 8520910564.
  • GONTIJO, Rebeca. O velho vaqueano. Capistrano de Abreu (1853-1927): memória, historiografia e escrita de si. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2013.
  • BARROS, José D'Assunção. Duas fases de Capistrano de Abreu: em torno de uma produção historiográfica. Projeto História, n°41, dez.2010. São Paulo : Nova Fronteira; PUC-SP, 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]