Carano da Macedónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carano foi, segundo alguns historiadores antigos, o primeiro rei da Macedónia. Teria reinado por volta de 1100 a.C. (cálculos baseados em Justino), a partir de 794 a.C. (cálculo de James Ussher) ou 600 a.C. (cálculos baseados em Isaac Newton).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Segundo Juniano Justino[editar | editar código-fonte]

A Macedónia inicialmente se chamava Emathia, por causa do rei Emathion; os habitantes eram chamados de pelasgos, e a região de Paeonia.[1]

Carano, com uma multidão de gregos e seguindo um oráculo, chegou à Emathia e tomou a cidade de Edessa, pegando seus habitantes de surpresa, se aproveitando da chuva e da neblina.[1] Ele mudou o nome da cidade para Aegeae, e expulsou Midas, que ocupava uma parte da Macedónia, tornando-se o único rei.[1]

Carano foi sucedido por Pérdicas, e Pérdicas por seu filho Argeu.[2]

Segundo Diodoro Sículo[editar | editar código-fonte]

Antes da primeira olimpíada, Carano reuniu um exército de argivos e do resto do Peloponeso e levou-os ao território da Macedônia. O rei de Orestia estava em guerra com seus vizinhos, os Eordaei, e pediu ajuda a Carano, prometendo metade do reino. O rei cumpriu a promessa, e Carano tomou posse do território. Ele reinou por trinta anos, e morreu em idade avançada. Os reis seguintes foram seu filho Coenus, rei por 28 anos, Tyrimias, rei por 43 anos, e Pérdicas, rei por 42 anos.[3]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Segundo Juniano Justino, houve trinta reis da Macedónia, desde Carano, o primeiro, até Perseu da Macedónia, o último; o tempo total de duração do reino da Macedónia foi de novecentos e vinte e três anos,[Nota 1] sendo que durante cento e noventa e dois anos eles tiveram poder supremo.[4]


Análise[editar | editar código-fonte]

Segundo James Ussher, Carano, um heráclida, estabeleceu o reino da Macedónia em 794 a.C..[5]

Segundo Heródoto, o fundador do reino da Macedónia foi Pérdicas;[6] Isaac Newton, ao fazer uma análise da mitologia e história gregas, apresentou duas hipóteses e uma síntese:

  • que Pérdicas era o sucessor de Carano (Juniano Justino, citado por Newton[7] )
  • que Carano era o sucessor de Pérdicas (Caio Júlio Solino, citado por Newton[7] )
  • que Pérdicas e Carano eram contemporâneos e fundaram pequenos principados; depois da morte de Carano, o reino foi unificado sob Pérdicas (Newton[7] )

Pelos cálculos de Newton, Pérdicas e Carano reinaram por volta da 46a ou 47a Olimpíada.[8]

Notas e referências

Notas

  1. Adotando-se a data de 168 a.C. para o fim do reino de Perseu, o início do reinado de Carano seria em 1091 a.C.

Referências

  1. a b c Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 7.1 [em linha]
  2. Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 7.2 [em linha]
  3. Diodoro Sículo, citado por Eusébio de Cesareia, Crônica, 86, Os reis dos macedônios
  4. Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 33, 2.6 [em linha]
  5. James Ussher, The Annals of the World [em linha]
  6. Heródoto, Histórias, Livro VIII, Urânia, 138 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  7. a b c Isaac Newton, The Chronology of Ancient Kingdoms, 1.119
  8. Isaac Newton, The Chronology of Ancient Kingdoms, 1.120

Caixa de sucessão baseada em Justino:

Precedido por
fundador
Rei da Macedónia
c. 1100 a.C. (Justino)
ou 794 a.C. - ? (Ussher)
ou c. 600 a.C. (Isaac Newton)
Sucedido por
Pérdicas I

Referências