Carburador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Carburador utilizado no Volkswagen fusca de 1970, no Brasil

O carburador é um componente mecânico responsável pela alimentação de um motor a explosão . Ele é responsável pela criação da mistura ar/combustível e sua dosagem em motores de combustão interna, seu funcionamento básico é totalmente mecânico. O ar aspirado pelo pistão passa em alta velocidade pelo difusor (um estreitamento de passagem) arrastando uma porção de combustível de um pequeno compartimento reservatório chamado "Cuba". A borboleta (instalada na base do carburador) que é ligada directamente ao pedal do acelerador dosa de acordo com sua abertura a quantidade de mistura que o motor precisa aspirar, quando acionada, uma bomba injeta uma quantidade de combustível da cuba diretamente pelo difusor para a aceleração rápida. Por esta dosagem, ele determina o número de RPM (rotações por minuto) e a potência que o motor desenvolverá. Em marcha lenta encontrando-se a borboleta fechada, uma agulha de mistura controla a entrada de ar e combustível.

Utilizado nos automóveis por quase um século, o carburador passou por mudanças em termos de tecnologia, passando a ser comandado por dispositivos eletrônicos antes de finalmente ser substituído por uma nova tecnologia que cumpre sua função: a injeção eletrônica. O seu uso agora restringe-se a competições, instalado em carros de alto desempenho ou ainda na fabricação de motos, sendo aos poucos substituído pela injeção eletrônica.

Comparação com a injeção eletrônica[editar | editar código-fonte]

Carburador utilizado no Fiat Tempra, no Brasil

Vantagens[editar | editar código-fonte]

  • Exige menos da parte elétrica já que é um sistema de alimentação mais simples sendo que o combustível é "arrastado" pelo ar para dentro do motor.
  • Sua manutenção, salvo alguns casos, é mais simples e barata, possibilitando em casos de pane efetuar o socorro do veículo no local fazendo com que ele retome o curso pelos próprios meios ainda que provisoriamente, porém para se fazer um serviço correto deve-se usar muito mais ferramentas, calibradores, manuais e tabelas.
  • Sua resposta aos comandos de aceleração é mais rápida que nos sistemas de injeção, uma vez que o acionamento mecânico da bomba de aceleração e abertura da borboleta é feito instantaneamente, enquanto na injeção eletrônica leva um tempo para central efetuar os cálculos e agir nos atuadores.
  • É mais viável em competições, possibilitando a preparação mais prática e rápida dos motores.
  • Por ser um dispositivo simples, sua construção é barata comparando-se a sistemas de injeção electrônica de combustível.
  • Pelo fato de serem sistemas simples, os carburadores também são, em geral, mais leves e compactos que sistemas de injeção electrônica de combustível, o que viabiliza seu uso em equipamentos como por exemplo em cortadores de grama, moto-serras, pequenos barcos onde o mais importante é menores peso e preço.
  • Por serem simples, leves e de fácil preparação são utilizados em karts. Nos karts de competição podem significar um veículo campeão ou um fracasso nas pistas, tendo sua preparação tão importante quanto o motor.

Desvantagens[editar | editar código-fonte]

  • Como não utiliza nenhum sensor (salvo carburadores mais modernos) não tem capacidade de se adaptar com perfeição a todas as condições de uso a que é submetido. Assim, o carburador nem sempre consegue ter uma eficiência tão boa ou melhor que um sistema moderno de injeção electrónica.
  • Devido ao princípio de funcionamento do carburador ser o de acelerar o ar para que este arraste o combustível para dentro do motor isto cria um gargalo para o motor. Isto somado ao fato do carburador nunca conseguir a melhor relação ar+combustível faz com que a potência desenvolvida nunca seja a máxima para aquele motor comparando-se a sistemas modernos de injeção de combustível.
  • O carburador não utilizando sensores não é auto-adaptativo. Sendo assim não pode usar diversos tipos de combustíveis como as injeções eletrônicas "flex".
  • Com as regulamentações actuais no que concerne a emissões este dispositivo de formação de mistura não atende mais nenhum valor permitido pelos órgãos regulamentadores.
  • Por se tratarem de sistemas mecânicos os carburadores estão mais sujeitos aos efeitos de qualquer imperfeição no combustível como sujeira em forma de partículas sólidas ou sólidos no ar admitido podem facilmente obstruir um carburador e torná-lo inútil até sua limpeza.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]