Carlos Alberto da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Carlos Alberto da Silva
Carlinhos em Porto Alegre, 2005.
Nome completo Carlos Alberto da Silva
Nascimento 23 de janeiro de 1980 (34 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade Brasil brasileiro
Ocupação humorista, imitador, radialista
Principais trabalhos Pânico, Pânico na TV, Show do Tom

Carlos Alberto da Silva (São Paulo, 23 de janeiro de 1980) mais conhecido como Carlinhos Silva é um humorista, imitador e radialista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Antes da fama[editar | editar código-fonte]

Aos 4 anos, ele fugiu da casa onde morava, em São Paulo, levado pelos irmãos mais velhos, que não aguentavam mais as constantes agressões dos pais. Pouco tempo depois, se perdeu e ficou sem ninguém da família. Por não ter o que comer ou para onde ir, pediu esmolas e dormiu na rua. Morou na Praça da Sé, no centro da capital paulista, até ser levado para uma unidade da FEBEM (Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor, atual Fundação Casa).

Cquote1.svg "Lembro que meu pai batia neles (nos irmãos) e na minha mãe. E ela batia neles e em mim. Aí eles fugiram e a gente se perdeu. Tinha um monte de moleque lá e a gente se juntou. (...) Com 5 anos cheirava cola porque tirava a fome e o frio" Cquote2.svg
revelou o participante no reality show A Fazenda em conversa com os outros confinados.

Da instituição para menores, o Mendigo foi parar em um colégio interno mantido pela prefeitura da cidade. Foi então que a história dele começou a mudar. Aos 14 anos, o rapaz chamava a atenção pelo bom comportamento e pela alegria de viver.[1]

Pânico[editar | editar código-fonte]

Então, ele recebeu uma ajudinha pra lá de especial: por meio de um dos diretores da escola, Carlinhos foi apresentado a Margot Leopoldo e Silva de Carvalho, mãe do dono da Jovem Pan, Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, que o levou para trabalhar como office-boy na emissora.

Cquote1.svg "Na hora do almoço ele descia até a rádio. Deixava de comer para ver o Pânico no estúdio. E começou a conhecer o pessoal, fez amizade. O Ceará (Wellington Muniz), que na época fazia o Paulo Jalaska, percebeu que o Carlinhos tinha talento e o chamou para ajudar nas paródias toscas das músicas internacionais. Depois, como ele dava uns arrotos em público acabou virando o homem-arroto: falava a escalação da Seleção Brasileira de futebol inteira com o som que conseguia fazer com a boca (risos). Daí em diante, todo mundo conhece a história" Cquote2.svg
contou Vinícius.

Pouco a pouco, com garra e talento, o artista conseguiu superar as barreiras e mudou o destino a seu favor. Consagrou-se humorista no Pânico, tanto no programa da rádio quanto na TV, onde ficou até o final de 2007, quando foi contratado pela Rede Record.

Rede Record[editar | editar código-fonte]

O humorista, então entrou para o elenco programa Show do Tom no início de 2008.[2] [3] Também fez participações em outros programas da casa. Em 2009 fez parte da primeira temporada do programa A Fazenda, onde ficou em terceiro lugar. No dia 27 de Janeiro de 2011, a namorada de Carlos, Aline Hauck, confirmou a gravidez de 3 meses e meio do humorista. Possui um blog no R7, portal de notícias da emissora.[4] No dia 20 de Julho de 2011 nasceu Arthur Henrique o primeiro filho do humorista Carlinhos com a ex assistente de palco do Gugu Aline Hauck.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Mendigo[editar | editar código-fonte]

Principal personagem tanto no programa da rádio como no da TV. No Pânico na TV atingiu o ápice com o quadro "Vô, num vô" fazendo dupla com Mano Quetinho (Vinícius Vieira) no qual visitam praias para avaliar as mulheres, colando no corpo delas o adesivo "Vô" naquelas que consideravam bonitas e "Num Vô" naquelas que consideravam feias. E "camarão" naquelas que acham somente o corpo atraente.

Merchan Neves[editar | editar código-fonte]

Merchan Neves com as rainhas da Fenadoce. Um encontro, no entanto, estranho. A equipe do Pânico na TV estava em Porto Alegre para ver a Seleção Brasileira jogar contra o Paraguai em 2005.

Merchan Neves é uma imitação do apresentador e narrador Milton Neves. Ficou com o nome Merchan por sua fama de fazer muitas propagandas em seus inúmeros programas. Juntamente com os anões que representam Robinho e Tévez, Merchan Neves deu origem a um famoso bordão do programa: "Pedala Robinho", que alcançou dimensões nacionais, chegando até a ser mencionado na novela das oito América e sendo mencionado por Galvão Bueno enquanto narrava um dos jogos da seleção argentina de futebol.

Presidente Lula[editar | editar código-fonte]

Carlos usa a imagem de Lula, devidamente travestido, para fazer piadas e chacotas ao governo, desde o mensalão até o perigo do impeachment, assunto discutido na época da criação do personagem.

Sérgio Mallandro[editar | editar código-fonte]

Carlos se vestia como o apresentador Sérgio Mallandro para apresentar a promoção do "Salci Fufu", onde ele tentava pegar casais no "flagra" (geralmente na saída de motéis) a fim de premiá-los com prêmios como liquidificadores e batedeiras se eles dissessem a senha que era "Salci Fufu".

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Na Rádio[editar | editar código-fonte]

Período Título Emissora Notas
1995 - 2007 Pânico Jovem Pan Humorista

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Período Título Emissora Notas
2003 - 2007 Pânico na TV Rede TV Repórter
2007 - 2011 Show do Tom Rede Record Humorista
2009 A Fazenda Record Participante
2012 - presente Programa da Tarde Rede Record Repórter

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]