Carlos Moore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde janeiro de 2013)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Carlos Moore
Nascimento 4 de novembro de 1942 (72 anos)
Central Lugareño, Camaguey, Cuba
Nacionalidade cubana Cuba
Ocupação Escritor, Cientista Social
Principais trabalhos “Fela - Esta Vida Puta”
Página oficial
http://www.drcarlosmoore.com

Carlos Moore (Nascido Charles Moore Wedderburn em Cuba, em 1942). É um escritor, pesquisador e cientista social dedicado ao registro da história e da cultura negra. [1]

É conhecido internacionalmente pela luta contra o racismo, pelo panafricanismo e por ter escrito a biografia autorizada do cantor, saxofonista e ativista nigeriano Fela Kuti:"Fela, Esta vida Puta".[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua família era formada por pessoas de diversas ilhas das Antilhas: o pai biológico era de Trinidad e os pais dele, seus avós, eram de Barbados; o pai que o adotou era jamaicano e a mãe era natural de ilhas da região.[3]

Ele viveu em Cuba até os 15 anos e mudou-se para Nova Iorque, Estados Unidos, em 1958. Lá conheceu Maya Angelou, com quem aprendeu muito sobre justiça racial e o pensamento intelectual negro. Retornou a Cuba em seguida juntando-se ao movimento revolucionário liderado por Fidel Castro. Ele concordava com os princípios revolucionários, mas discordava das autoridades sobre a discriminação racial persistente em Cuba.[4]

Depois de ser preso algumas vezes, deixa a ilha em 1963, rumo à França. Lá ele conhece outros ativistas negros como o senegalês Alioune Diop e o filósofo poeta da Martinica Aimé Césaire e passa a trabalhar como jornalista na Agence France-Presse. Na França, inicia sua vida acadêmica e trabalha também como jornalista.[1]

Ao longo de sua carreira como militante, esteve ao lado de Malcolm X, Cheikh Anta Diop, Aimé Césaire, Stokely Carmichael, Lelia Gonzalez, Walterio Carbonell, Abdias Nascimento, Harold Cruse, Alex Haley. [5]

Desde 2000 ele vive no Brasil com a família, aproveitando para escrever suas memórias e conhecer mais da cultura latino-americana.[6]

Vida acadêmica[editar | editar código-fonte]

Sua carreira como acadêmico e pesquisador foi marcada pelo título de Doutor em Etnologia, em 1979, e Doutorado em Ciências Humanas, em 1983, ambos pela Universidade de Paris-7.[6]

Entre 1984 e 2000 foi Professor Visitante na Universidade Internacional da Flórida (EUA), Universidade do Caribe (Trinidad-Tobago), e Universidade do Caribe Francês (Martinica e Guadalupe).[7]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Marxismo e a questão racial: Karl Marx e Friederich Engels frente ao racismo e à escravidão. Belo Horizonte: Nandyala Editora, 2010.[8]
  • Pichón: Race and Revolution in Castro´s Cuba, Chicago : Lawrence Hill Books, 2008.[4]
  • A África que Incomoda: sobre a problematização do legado africano no quotidiano brasileiro, Belo Horizonte: Nandyala Editora, 2008.[9]
  • Racismo e Sociedade: Novas bases epistemológicas para entender o racismo, Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.[10]
  • African Presence in the Americas, Trenton, NJ : Africa World Press, 1995; [11]
  • Castro, the Blacks, and Africa, Los Angeles : CAAS/UCLA, 1989. [12]
  • Were Marx and Engels Racists? - The prolet-Aryan outlook of Marx and Engels, Chicago : IPE, 1972. [13]

Biografia de Fela Kuti: Traduções e reedições[editar | editar código-fonte]

  • Fela, Fela: This Bitch of a Life, Londres: Allison & Busby, 1982.[14]
  • Fela, Fela: Cette Putain de Vie, Paris: Karthala, 1982.[15]
  • Fela: This Bitch of a Life, Chicago: Lawrence Hill Books, 2009. [16]
  • Fela Kuti: this bitch of a life, Berlin: Haffmans & Tolkemitt, 2011. [17]
  • Fela, Esta vida Puta, Belo Horizonte: Nandyala Editora, 2011.[2]
  • Fela, Questa bastarda di una vita, Arcana, 2012.[18]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Carlos Moore: Roots", Site oficial do Dr. Carlos Moore, Acesso em 4 fev. 2013.
  2. a b "Livro Fela, Esta vida Puta", tradução em português da autobiografia de Fela Kuti, Livraria Cultura, Acesso em 4 fev. 2013.
  3. "Who is Carlos Moore", Entrevista em áudio disponível no Site oficial do Dr. Carlos Moore, Acesso em 4 fev. 2013.
  4. a b ""Pichón: Race and Revolution in Castro's Cuba: A Memoir"", Livro em inglês do Dr. Carlos Moore, Disponível para visualização no Google Books, Acesso em 4 fev. 2013.
  5. ""Carlos Moore / Palavras Essenciais"", Entrevista para Nelson Maca, Overmundo, 2009, Acesso em 4 fev. 2013.
  6. a b "Curriculum Vitae", Acesso em 4 fev. 2013.
  7. "Feira do Livro de Caxias do Sul", Acesso em 4 fev. 2013.
  8. "Livro Marxismo e a questão racial", Livraria Cultura, Acesso em 4 fev. 2013.
  9. "Livro A África que incomoda", Livraria Cultura, Acesso em 4 fev. 2013.
  10. "Livro Racismo e Sociedade", disponível gratuitamente, Acesso em 4 fev. 2013.
  11. "Livro African presence in the Americas", Livro disponível para visualização, Acesso em 4 fev. 2013.
  12. "Livro Castro, the Blacks, and Africa", disponível para visualização, Acesso em 4 fev. 2013.
  13. "Livro Were Marx and Engels Racists?", disponível para visualização, Acesso em 4 fev. 2013.
  14. "Livro Fela, Fela: This Bitch of a Life", Primeira edição em inglês da autobiografia de Fela Kuti, Disponível para visualização no Google Books, Acesso em 4 fev. 2013.
  15. "Livro Fela, Fela: Cette Putain de Vie", tradução para o francês da autobiografia de Fela Kuti, Disponível para visualização no Google Books, Acesso em 4 fev. 2013.
  16. "Livro Fela: This Bitch of a Life", Reedição em inglês, de 2009, da autobiografia de Fela Kuti, Contém prefácio escrito por Gilberto Gil, Disponível para visualização no Google Books, Acesso em 4 fev. 2013.
  17. "Livro Fela Kuti: this bitch of a life", tradução para o alemão da autobiografia de Fela Kuti, Barnes & Noble, Acesso em 4 fev. 2013.
  18. "Livro Fela, Questa bastarda di una vita", tradução para o italiano da autobiografia de Fela Kuti, Disponível para visualização no Google Books, Acesso em 4 fev. 2013.