Carlos Veiga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Alberto Wahnon de Carvalho Veiga, nascido em 21 de outubro de 1949 em Mindelo, foi Primeiro-Ministro de Cabo Verde entre 3 de abril de 1991 e 29 de julho de 2000. Foi o primeiro Primeiro-Ministro eleito através de eleições multipartidárias. Foi o grande timoneiro de Cabo Verde, na década de 90, pois coube-lhe tirar o país do marasmo dos 15 anos da ditadura do PAIGC/CV. Graças às politicas do seu partido (MPD), lançou os alicerces para o desenvolvimento de Cabo Verde.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos Alberto Wahnon de Carvalho Veiga, estadista, governante, político, docente universitário, jurista e advogado cabo-verdiano, o Doutor Carlos Alberto Wahnon de Carvalho Veiga nasceu a 21 de Outubro de 1949, na Cidade do Mindelo, na Ilha de São Vicente, em Cabo Verde. Fez os estudos secundários na cidade da Praia e depois partiu para Portugal onde, em 1971, fez a Licenciatura em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. No ano seguinte, mudou-se para Angola, país onde viveu até 1974, trabalhando como Conservador no Registo Civil da cidade do Bié no Huambo em Angola.

Carlos Veiga regressou a Cabo Verde em 1975 para exercer o cargo de Director-geral da Administração Interna, e de seguida foi nomeado Procurador Geral da República, a cargo que exerceu até 1980.

Em 1985 Carlos Veiga foi eleito Deputado para Assembleia Nacional Popular de Cabo Verde, onde integrou a Comissão de Assuntos Constitucionais e Legais. Três anos mais tarde voltou a ser eleito para a Assembleia Nacional Popular, onde se tornou numa voz de contestação contra o sistema de partido único ditatorial e totalitário liderado pelo PAICV (Partido Africano para a Independência de Cabo Verde). Carlos Veiga lutou pela realização de eleições democráticas em Cabo Verde.

Grande parte da população do país apoiou as reformas democráticas por ele defendidas. Fundou e foi eleito Presidente do extinto IPAJ. Os ideais de Carlos Veiga, estiveram na base da fundação, em 1990, do partido político o Movimento para a Democracia (MpD), para o qual foi eleito líder na primeira convenção do partido em Outubro desse mesmo ano.

A 13 de Janeiro de 1991, nas primeiras eleições democráticas realizadas em Cabo Verde para a Assembleia Nacional o MpD elegeu 56 dos 79 deputados com lugar no Parlamento. Carlos Veiga foi assim escolhido para primeiro-ministro e formou o primeiro governo democraticamente eleito em Cabo Verde. Nas eleições seguintes, quatro anos depois, o MpD conquistou outra vitória clara e Carlos Veiga foi reconduzido no cargo de primeiro-ministro. Quase no fim da Legislatura, Gualberto do Rosario ficou como Primeiro Ministro e Carlos Veiga ficou á espera para se candidatar a Presidente da Republica. O MPD, perdeu as Legislativas para o PAICV e Carlos Veiga perdeu as presidencias com Pedro Pires em 2001 por fraude eleitoral, provada em tribunal. Já depois de abandonar as lides políticas em 2001, foi eleito, em Outubro de 2004, Bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo verde. É detentor de grau honorário de doutoramento Honoris Causa em Law pelas Universidades dos E.UA., e recebeu a condecoração do grau Grãn Cruz da Ordem do Infante D. Henrique pelo Governo Português em 1997. Em 2006, voltou a defrontar Pedro Pires e voltou a perder, fazendo uma retirada até que em Outubro de 2009 o Doutor Carlos Veiga, volta a ser eleito presidente e líder do MPD sem Convenção nenhuma, retirando do lugar de presidente Jorge Santos, que passou a ser apenas um dos vice-presidentes. Está a fazer campanha, actualmente, colocando placas publicitarias, enaltecendo tudo o que o povo de Cabo Verde construiu de positivo, até agora, falando ele dos seus governos dos anos 90 que melhoraram tudo o que de bom Cabo Verde ja tinha conquistado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.