Carlos Zara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos Zara
Nome completo Antônio Carlos Zarattini
Nascimento 14 de fevereiro de 1930
Campinas, SP
Nacionalidade  brasileiro
Morte 11 de dezembro de 2002 (72 anos)
São Paulo, SP
Atividade 1956 - 2002
IMDb: (inglês)

Antônio Carlos Zarattini, mais conhecido como Carlos Zara (Campinas, 14 de fevereiro de 1930São Paulo, 11 de dezembro de 2002), foi um ator e diretor brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seus pais, Ricardo e Anita Zarattini, eram filhos de imigrantes italianos.[2]

Chegou a estudar piano por oito anos, formou-se em engenharia na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, mas foi nos palcos que achou seu caminho, tanto que enquanto estudava engenharia ele fez parte do Grupo de Teatro da Poli. Estreou no teatro com a peça "Cama para três".

Depois da estreia nos palcos, Zara foi parar nos estúdios da TV Record, em 1956. Em 1959 participou do teleteatro da TV Tupi. Um ano depois, a convite da Record, aceitou o desafio de encenar e dirigir clássicos da literatura no Grande Teatro Record. Em 1963 foi chamado para fazer parte do elenco da TV Excelsior. E nesta emissora que, em 1967, fez um de seus papéis mais marcantes: o Capitão Rodrigo, personagem da adaptação para a TV do romance O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo.

Atuou em mais de 30 novelas e minisséries, 26 peças teatrais e quatro filmes, entre eles Pra frente, Brasil (1981) e Lamarca (1994). Na Rede Globo atuou em Pai Herói, Baila Comigo, Elas por Elas, Direito de Amar, Sassaricando, Lua Cheia de Amor, Anos Rebeldes, Mulheres de Areia, Pátria Minha e Cara e Coroa, entre outras. Talvez seu trabalho mais marcante na emissora carioca tenha sido o seu primeiro, em Pai Herói, de Janete Clair, onde viveu o mau-caráter César Reis, que tiranizava a esposa Carina (Elizabeth Savalla) e que era o principal antagonista de André (Tony Ramos). Seu último trabalho na TV foi ao lado de sua mulher e também atriz Eva Wilma - com quem foi casado por 23 anos - no seriado Mulher (1998/99). Os dois se conheceram nos bastidores da TV Tupi, na década de 1970.

Morreu aos 72 anos de idade, em decorrência de falência múltipla de órgãos e insuficiência respiratória provocadas por um câncer de esôfago, após passar cinco dias internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele estava sob os cuidados dos médicos Drauzio Varella e Wagner Ibraim Pereira. O câncer, descoberto em agosto de 2001, estava sendo tratado com sessões de radioterapia e quimioterapia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Como ator[editar | editar código-fonte]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Carlos Zara". Memória Globo
  2. Carlos Zara é homenageado em Campinas com nome de praça no bairro Ponte Preta (em Português). SP Virtual (20 de dezembro de 2007). Página visitada em 2 de janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências