Carolina Amália de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carolina Amália
Rainha-Consorte da Dinamarca
Duquesa de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg
1796 Caroline Amelie.jpg
Carolina Amália
Governo
Consorte Cristiano VIII da Dinamarca
Vida
Nascimento 28 de Junho de 1796
Copenhaga, Dinamarca
Morte 9 de Março de 1881 (84 anos)
Copenhaga, Dinamarca
Pai Frederico Cristiano II de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg
Mãe Luísa Augusta da Dinamarca

Carolina Amália de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenborg (18 de junho de 1796 - 9 de março de 1881), foi rainha-consorte da Dinamarca como segunda esposa do rei Cristiano VIII entre 1839 e 1848.

Família[editar | editar código-fonte]

Carolina era a filha mais velha da princesa Luísa Augusta da Dinamarca e do duque Frederico Cristiano II de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg. Era tia do príncipe Cristiano de Schleswig-Holstein, marido da princesa Helena do Reino Unido, filha da rainha Vitória. Os seus avós paternos eram o duque Frederico Cristiano I de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg e a princesa Carlota de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Plön. Os seus avós maternos eram o rei Cristiano VII da Dinamarca e a princesa Carolina Matilde da Grã-Bretanha.[1]

Casamento[editar | editar código-fonte]

A rainha Carolina Amália.

Carolina Amália nasceu em Copenhaga onde viveu até 1807, ano em que se mudou com a família para Augustenborg.

Foi prometida ao herdeiro do trono dinamarquês, o futuro rei Cristiano VIII, em 1814 e o casamento realizou-se em 1815. Cristiano tinha-se divorciado da sua primeira esposa, a duquesa Carlota Frederica de Mecklemburgo-Schwerin, algum tempo antes e tinha acabado de regressar à Dinamarca depois de ter abdicado do trono norueguês, o que significava que se podia dedicar às ciências, à mineralogia e à geologia. Enquanto Cristiano foi celebrado como um homem das ciências, Carolina era compositora e escreveu várias partituras de piano. O facto de aceitar as traições do marido fazia com que fosse admirada na altura.

Entre 1816 e 1817, o casal viveu em Odense onde Cristiano prestava serviço como governador de Fiónia. Entre 1818 e 1822, o casal realizou várias viagens por toda a Europa.

Rainha da Dinamarca[editar | editar código-fonte]

Em 1839, quando o rei Frederico VI morreu, Carolina Amália, como esposa de Cristiano VIII, tornou-se rainha da Dinamarca. A rainha era considerada instrumental no partido pró-alemão no assunto dos ducados de Schleswig-Holstein. A influência política que teria é pouco clara, mas sofreu alguma hostilidade durante a guerra entre Dinamarca e Holstein, sendo acusada de conspirar com os seus irmãos contra a Dinamarca.

Envolveu-se em muitos projectos sociais e humanitários, principalmente através da criação e apoio de orfanatos. Carolina foi também defensora de Nikolai Frederik Severin Grundtvig, o líder do partido eclesiástico dinamarquês. Tirando as suspeitas que caíram sobre ela durante o conflito entre Holstein e a Dinamarca, era bastante popular e continuou a sê-lo como rainha-viúva.

Carolina tornou-se viúva em 1848, tendo vivido mais de trinta anos do que o marido. Também viveu mais dezassete anos que o seu enteado, tendo assim vivido o suficiente para ver o rei Cristiano IX a subir ao trono e a sobrinha do seu marido tornar-se sua rainha-consorte.

Morreu em 1881, sem filhos. O seu corpo encontra-se enterrado na Catedral de Roskilde ao lado do marido.

Referências