Caronia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caronia
Caronia - Panorama.jpg
Localização de Caronia
Caronia está localizado em: Itália
Caronia
Localização de Caronia na Itália
38° 01' N 14° 26' E
País  Itália
Região Flag of Sicily.svg Sicília
Província Messina
Área
 - Total 226 km²
População
 - Total 3,555
    • Densidade 16/km2 
Código Postal 98072
Código ISTAT 083011
Comunas limítrofes Acquedolci, Capizzi, Cesarò, Mistretta, San Fratello, Santo Stefano di Camastra
Prefixo telefônico 0921

Caronia é uma comuna italiana da região da Sicília, província de Messina, com cerca de 3.555 habitantes. Estende-se por uma área de 226 km², tendo uma densidade populacional de 16 hab/km². Faz fronteira com Acquedolci, Capizzi, Cesarò, Mistretta, San Fratello, Santo Stefano di Camastra.[1] [2] [3]

Incêndios de Canneto, Caronia[editar | editar código-fonte]

O fenômeno dos incêndios da aldeia de Canneto, na Caronia, começou em algum momento em janeiro de 2004. A data exata é provável que seja em 21 de janeiro, mas alguns artigos de jornal duvidam disso, alegando que o fornecimento elétrico do Caronia estava cortado desde 4 de janeiro. Foi relatado que eletrodomésticos, como televisões, fogões e aspiradores de pó, começavam a pegar fogo espontaneamente. Pelo menos uma pessoa um cientista chegou a observar um cabo elétrico desconectado se auto-inflamar enquanto estava observando-o diretamente. A ENEL, a empresa de energia italiana, cortou a distribuição na cidade, mas os surtos continuaram.[4]

As autoridades descartaram incêndios criminosos logo no início,[5] mas parecem concordar que algum tipo de anomalia elétrica ou campo eletromagnético de alta intensidade presente na região seja o responsável e muitos especialistas viajaram para Caronia para investigar. Algumas pessoas culpam anomalias vulcânicas,[6] enquanto outros especulam que alguém intencionalmente está criando um fenômeno elétrico, com o auxílio de algum tipo de transformador ressonante, como uma Bobina de Tesla ou dispositivo similar.

Investigações subsequentes levaram o então chefe da Agência de Proteção Civil da Sicília, Tullio Martella, a dizer: "A causa dos incêndios parece ter sido cargas elétricas estáticas. O que não entendo é o porquê destas cargas elétricas estáticas." O relatório chegou a sugerir que o fogo pode ter sido causado por "emissões eletromagnéticas de alta potência que não foram feita pelo homem e alcançaram uma potência entre 12 e 15 gigawatts."

Os incêndios foram pesquisados por cientistas do Instituto Nacional de Pesquisa da Itália, com o apoio de físicos da NASA.[6] Em 2007, foi proposto que os fenômenos eram causados ​​por emissões eletromagnéticas intermitentes. Um estado de emergência foi imposto e parte da aldeia foi evacuada.[7] Em 24 de junho de 2008, após uma investigação mais aprofundada por peritos nomeados, o caso foi arquivado pelo Ministério Público de Mistretta. A conclusão dos consultores foi que os incêndios eram casos de incêndio criminoso.[8]

Em 2014, o fenômeno voltou a se intensificar. "O fenômeno está em plena expansão e estamos todos em alerta. Há pouco uma dispensa pegou fogo e graças à ação do Corpo de Bombeiros conseguimos apagar as chamas" [...] Algumas residências foram evacuadas em julho, mas é preciso monitorá-las constantemente para evitar que peguem fogo. O problema é descobrir as causas deste fenômeno", afirmou o prefeito Caronia, Calogero Beringheli, a jornais italianos.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências