Casa Cavé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Casa cavé)
Ir para: navegação, pesquisa
Casa Cavé (fachada), na esquina da rua Uruguaiana com a rua Sete de Setembro, no centro histórico do Rio de Janeiro.

A Casa Cavé, ou simplesmente Cavé, nome de fantasia da Confeitaria Cavé Ltda, é uma das mais tradicionais da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada por Auguste Charles Felix Cavé, um imigrante francês, em 5 de março de 1890 (seis meses após a Proclamação da República brasileira), é a confeitaria mais antiga da cidade, mantendo ainda, em nossos dias, aspectos do Rio Antigo. O fundador ficou à frente do negócio até 1922.

O antigo edifício da confeitaria na rua Sete de Setembro 133, esquina com a rua Uruguaiana, no centro histórico da cidade, destacava-se pela sua arquitectura, onde se apreciavam:

O público carioca era então seduzido pelas taças de sorvete enfeitadas com formas tão variadas como galinhas, pirâmides ou cestas de pêssegos, novidades muito apreciadas num clima tropical. Essa mistura de cultura européia numa cidade que se modernizava na passagem do século, converteu a confeitaria em espaço elegante, freqüentado pela sociedade carioca. Entre os personagens ilustres que freqüentavam a casa destacam-se os nomes do Marechal Deodoro da Fonseca presidente da República, dona Nair de Tefé, primeira Dama, barão do Rio Branco, Olavo Bilac, Ruy Barbosa, Pereira Passos, que, à frente da Prefeitura Municipal, foi o responsável pela abertura da avenida Rio Branco, entre outros.

Com a aproximação do centenário de fundação da casa, a questão da conservação do seu património arquitectónico tornou-se um problema para os atuais proprietários, em particular quando, na década de 1980, a prefeitura instituiu o projeto do "corredor cultural", visando a proteção e o tombamento de dezenas de imóveis históricos no centro da cidade.

Por essa razão a empresa viu-se forçada a fechar temporariamente as suas portas no tradicional endereço, reabrindo em um imóvel vizinho na rua Sete de Setembro. Atualmente encontra-se reaberta, permitindo ao publico em geral e aos amantes da doçaria fina portuguesa usufruir este tradicional espaço de encontro para tomar chá ou café, fazer refeições ligeiras, e vivenciar um momento da vida elegante do Rio Antigo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]