Casamento de Vitória, Princesa Herdeira da Suécia e Daniel Westling

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casamento Real da Suécia

O casamento real entre Vitória, Princesa Herdeira da Suécia e Daniel Westling ocorreu em 19 de Junho de 2010 na Catedral de Estocolmo. Foi descrito como o maior casamento real da Europa desde que o Príncipe de Gales se casou com a Lady Diana Spencer em 1981. O noivo após o casamento, passou a ter o título de Sua Alteza Real o Príncipe Daniel, Duque de Västergötland.

Namoro e Anuncio de Casamento[editar | editar código-fonte]

Vitória, Princesa Herdeira da Suécia e Daniel Westling no Concerto de Gala oferecido aos noivos pelo parlamento sueco, no Stockholm Concert Hall, um dia antes do casamento.

Vitória é a filha mais velho do Rei Carlos XVI Gustavo e da Rainha Sílvia da Suécia. Como a primogénita da família, ela foi designada Princesa Herdeira em 1979, estando na linha de sucessão ao trono sueco à frente de seu irmão mais novo.

Daneiel Westling foi personal trainer de Vitória no sue ginásio. Em Julho de 2002, foram fotografados Daniel Westling e Victoria aos beijos pela primeira vez numa festa de aniversário de Caroline Kreuger, amiga íntima da princesa.

O Noivado de Daniel e Victoriaa foi anunciado em 24 de Fevereiro de 2009. O casamento foi agendado para acontecer na Catedral de Estocolmo em 19 de junho de 2010. A data do 34º aniversário de casamento dos pais de Vitória foi a escolhida. O ano de 2010 também marca o 200º ano desde que Jean Baptiste e Jules Bernadotte, de quem descende da casa real da Suécia, tornaram-se herdeiros do trono.

Preparação e Finanças[editar | editar código-fonte]

Em 17 de setembro de 2009, a paróquia da Catedral de Estocolmo anunciou que haveria uma restauração da Catedral de Estocolmo, durante o período de Janeiro a Abril de 2010, e custa 12,40 milhões de coroas suecas. O casamento em si custou cerca de 20 milhões de coroas e foi pago metade pela Família real sueca e outra metade pelo governo sueco com o dinheiro dos impostos.

Celebrações[editar | editar código-fonte]

"Estocolomo a cidade do amor 2010" frase de Skeppsbron

Em 24 de novembro de 2009, foi decidido que o Dia Nacional Sueco no dia 6 de Junho, e a data do Casamento Real a 19 de Junho seriam os dias de amor de Estocolmo. Estes dois dias foram celebrados com festas para os moradores e visitantes, com música, arte, cultura, banquetes, design e história.

Em 18 de junho, o Parlamento da Suécia honrou o casal com um Concerto de Gala no Stockholm Concert Hall. Na gala estiveram os seguintes artistas: Malena Ernman, Helen Sjöholm e Peter Jöback. A famosa banda sueca Roxette reuniu-se no palco e cantou a sua canção The Look.

Cerimónia do Casamento[editar | editar código-fonte]

A Catedral de Estocolmo onde se realizou a cerimónia do casamento.

A cerimónia do casamento começou às 15:30, hora local, na Catedral de Estocolmo, com cerca de 1.100 convidados presentes. A música na cerimónia foi presidida por Gustaf Sjökvist, organista da corte e organista para a paróquia da Catedral de Estocolmo. Ele também foi responsável pela música durante o casamento dos pais de Vitória em 1976.

O serviço foi realizado por Anders Wejryd, Arcebispo de Uppsala. Foi assistido por Lars-Göran Lönnermark, capelão do chefe do tribunal real e o Dr Antje Jackelén, Bispo de Lund. A música grande do casamento foi cantada por Åke Bonnier, reitor da Catedral e da Corte Real.

O vestido de Vitória foi desenhado pelo designer sueco Pär Engsheden. O vestido branco de cetim duquesa teve um longo véu de cinco metros.

A primeira música que foi tocada na cerimónia, foi escrita por Karin Rehnqvist especialmente para o casal, como um presente da Academia Real de música.

Victoria andou pelo corredor com o seu pai, que, em seguida, a entregou a Daniel. O casal de noivos, em seguida, situou-se em frente do Arcebispo, que lhes falou sobre a importância de se apoiarem em todos os momentos do casamento. Depois de Vitória e Daniel terem sido pronunciados, marido e mulher, os cantores suecos Agnes Carlsson e Björn Skifs terminaram a cerimônia com uma música intitulada: quando você dizer o mundo você é meu, escrita por a dupla. Victoria e Daniel passram sob espadas cruzadas à saida da catedral.

Debate sobre o facto de o Rei ter entrado na Catedral com a Noiva[editar | editar código-fonte]

O casal queria que o rei levasse a princesa para o altar e lá a entregasse ao noivo. Isso criou um debate público na Suécia, porque é contrário aos costumes estabelecidos pela Igreja da Suécia, onde os noivos sobem ao altar juntos. A crítica do clero considerou que o simbolismo em entregar a noiva do pai para o noivo reflete as normas sociais reacionárias, como se uma mulher solteira fosse propriedade do seu pai. A Côrte Real defendeu a entrega da noiva com as afirmações, de que o rei transmite ao herdeiro do trono que as mãos dela sobre um homem que foi aceite. No final foi um compromisso alcançado, com o rei a entrega a princesa para o seu noivo antes de chegarem ao altar.

Tiara[editar | editar código-fonte]

A Princesa Vitória usou a tiara camafeu no dia do seu casamento em 2010.

A princesa Victoria usou no dia do seu casamento a tiara camafeu, uma jóia muito antiga que está na sua família há muitos séculos. A tiara de camafeus da Coroa Sueca foi feita para a Imperatriz Josephine, esposa de Napoleão, pelo joalheiro francês Marie Etienne Nitot, em 1811. A tiara fez parte do dote de sua neta Josephine de Leuchtenberg, quando ela se casou com Oscar I, rei da Suécia. Pertenceu sucessivamente a todas as rainhas da Suécia até chegar à Princesa Sibylla, avó da noiva. As suas filhas Birgitta, Desirée e Cristina usaram esta tiara em seus matrimónios, assim como a sua nora Silvia. Criou-se uma nova tradição.

Passeio de Carruagem pelas ruas de Estocolmo[editar | editar código-fonte]

Os noivos no barco Vasaorden.

Depois da cermónia os noivos passearam de carruagem pelas ruas de Estocolmo. No caminho eles passaram por vinte bandas, dezenove dos quais eram militares. Vitória e Daniel entraram numa barcaça real sobre as águas de Estocolmo; Estima-se que a Barco foi o mesmo que foi usado pelos pais de Vitória, o Rei Carl Gustaf XVI e a Rainha Sílvia, durante o seu casamento em 1976. 20 500.000 pessoas reuniram-se para assistir ao desfile de carruagem, que foi de quase sete quilômetros. 18 caças voaram no céu quando o barco se aproximou do seu lugar de desembarque no Palácio Real, onde o banquete de casamento foi mais tarde realizado.

O casamento de Victoria e Daniel foi o maior evento que já foi transmitido na televisão sueca, de acordo com a Sveriges Television.

Banquete do Casamento[editar | editar código-fonte]

O Palácio Real de Estocolmo, onde se realizou o banquete do casamento.

O banquete de casamento foi realizado na noite do dia do casamento, no salão de estado no Palácio Real de Estocolmo, o melhor salão cerimonial. O salão foi renovado para a ocasião. 98 dos quase 600 convidados foram acomodados na mesa principal. Flores rosa e brancas foram espalhadas sobre as decorações de mesa, que incluiam candelabros de prateado e prata bowls. Nos lugares de honra estavam o casal de noivos, o Rei Carlos XVI Gustavo da Suécia, a Rainha Sílvia da Suécia e o Senhor e a Senhora Westling, o irmão da Rainha, Ralf de Toledo Sommerlath, o tio do Rei o Conde Carl Johan Bernadotte af Wisborg, Margarida II da Dinamarca, Beatriz dos Países Baixos, Haroldo V da Noruega, Alberto II da Bélgica, o Presidente da Finlândia Tarja Halonen e o arcebispo de Uppsala Anders Wejryd.

Baile de Gala[editar | editar código-fonte]

Depois do banquete, Victoria da Suécia e o Príncipe Daniel escolheram uma valsa clássica para a sua primeira dança como marido e mulher. Os recém-casados ​​deram uma lição na pista de dança. Rítmica e aparentemente muito tranquilos executaram passos perfeitos e precisos no início de uma valsa que terminou com o estilo romântico. Enquanto isso, o casal rodeado dançarinos vestidos com trajes tradicionais tipicamente suecos que fizeram um círculo em torno deles, enquanto eles davam as mãos.

Mais tarde juntaram-se à dança os respetivos pais da noiva e do noivo. O Rei Carl XVI da Suécia dançou com Ewa Westling, e a Rainha Sivia dançou com Olle Westling.

Pouco depois da meia noite, os convidados puderam-se juntar ao grupo de dançarinos. A festa continuou pela noite dentro. A noite foi animada pelo Coro Romeu e Julieta, a Orquestra Filarmónica Real de Estocolmo, dirigida por Gustavo Sjökvist, grupos de Roxette, Cotton Club e Carola.

Lista de convidados[editar | editar código-fonte]

Alguns dos convidaos da realeza
Mapa detalhado da procissão de casamento através de Stockholm. 1: Storkyrkan, 2: Helgeandsholmen, 3: Kungsträdgården, 4: Sergels torg, 5: Stockholm Concert Hall, 6: Birger Jarlsgatan, 7: Strandvägen, 8: Djurgårdsbron, 9: Museu do Vasa, 10: Kastellholmen.
O passeio de carruagem, passando por uma grande multidão de pessoas em Slottsbacken.
O Casal Real recém-casado passeando no barco Vasaorden pelas águas de Estocolmo para saudar a Marinha da Suécia
Os Aviões JAS 39 Gripen, voando sobre Estocolmo
O Rei Carlos Gustavo da Suécia e os noivos no terraço do Palácio Real de Estocolmo a suadar o povo sueco.
O bolo dos noivos.

Família Real Sueca[editar | editar código-fonte]

  • A princesa Margarida, irmã do Rei, e o marido John Kenneth Ambler
    • Baronesa Sybilla Dincklage
      • Baronesa von Madeleine Dincklage
    • James Ambler e Ursula Ambler
    • Edward Ambler e Helen Ambler
  • SAR a Princesa Brígida, irmã do Rei, e o marido o príncipe João Jorge de Hohenzollern-Sigmaringen
    • SA o Príncipe Carl Christian de Hohenzollern e SA a Princesa Nicole de Hohenzollern
    • SA a Princesa Désirée de Hohenzollernvon e Eckbert von Bohlen und Halbach
    • SA o Príncipe Hubertus de Hohenzollern e SA a Princesa Ute Maria de Hohenzollern
  • A princesa Desidéria, irmã do Rei, e o marido o Barão Niclas Silfverschiöld
    • Barão Carl Silfverschiöld e a Baronesa Maria Silfverschiöld
    • Baronesa Kristina-Louisa Ewa Madeleine Silfverschiöld e o Barão Hans de Geer af Finspång
      • Barão Ian De Geer
    • Baronesa Helene Silfverschiöld
  • A princesa Cristina, irmã do Rei, e o marido, Tord Gösta Magnuson
    • Gustaf Magnuson
    • Oscar Magnuson e Emma Ledent
    • Victor Magnuson e Frida Bergström

Família da Rainha[editar | editar código-fonte]

  • Ralf de Toledo Sommerlath e Charlotte de Toledo Sommerlath
  • Carmita Sommerlath Baudinet e Pierre Baudinet
  • Thibault Radigues de Chennevière
  • Chloé Radigues de Chennevière
  • Thomas de Toledo Sommerlath e Fröken Bettina Aussems
  • Tim de Toledo Sommerlath
  • Philip de Toledo Sommerlath
  • Susanne de Toledo Sommerlath
  • Giulia de Toledo Sommerlath
  • Walther L. Sommerlath e Ingrid Sommerlath
  • Sophie Pihut-Sommerlath
  • Patrick Sommerlath e Maline Luengo
  • Leopold Lundén Sommerlath
  • Camilla Lundén
  • Helena Christina Sommerlath
  • Vivien Nadine Sommerlath
  • Carlos Augusto de Toledo Ferreira e Anna Luiza de Toledo Ferreira
  • Maria Virginia Braga Leardi e Eduardo Longo
  • Luiz Machado de Melo e Maria Fernanda Machado de Melo
  • Vera Quagliato
  • Carlos M. Quagliato
  • Pedro Ferreira

Família Westling[editar | editar código-fonte]

  • Ewa e Olle Westling (pais do noivo)
  • Anna Westling (irmã do noivo) e Mikael Söderström
  • Hedvig Blom
  • Vera Blom
  • Olle Henriksson e Anita Henriksson
  • Tommy Henriksson
  • Hans Henriksson
  • Nils Westling e Ann-Catrin Westling
  • Andreas Westling e Amanda Tegnér
  • Frida Westling
  • Sara Westling
  • Hasse Åström e Anna-Britta Åström
  • Hans Åström e Helena Olsson
  • Anders Åström e Kety Lund
  • Anna-Karin Åström e Christer Wigren
  • Erik Westling e Birgitta Westling
  • Ove Westling e Yvonne Westling
  • Bo Westling e Carina Westling
  • Per Westling e Rose-Marie Westling

Realeza Reinante[editar | editar código-fonte]

Bélgica:

Dinamarca:

  • O Principe Richard de Sayn-Wittgenstein-Berleburg e a Princesa Benedita da Dinamarca (irmã da Rainha da Dinamarca)
    • SA O Príncipe Gustav e a Princesa Carina Axelsson de Sayn-Wittgenstein-Berleburg, príncipes herdeiros de Sayn-Wittgenstein-Berleburg
    • SAR Alexandra de Sayn-Wittgenstein-Berleburg e o Conde Jefferson von Pfeil und Klein-Ellguth
    • Natália, Princesa de Sayn-Wittgenstein-Berleburg

Espanha:

Japão:

Jordânia:

  • SM O Rei Abdullah II da Jordânia e a Rainha Rania da Jordânia
    • SAR o Principe Ali bin Al Hussein e Princesa Rym Ali da Jordânia
    • SAR o Príncipe El Hassan bin Talal e Princesa Sarvath El Hassan da Jordânia
    • SAR Príncipe Rashid bin El Hassan da Jordânia
    • SAR Princesa Noor bint Asem da Jordânia
    • SAR Princesa Iman bint Al Abdullah

Liechtenstein:

  • SAS Alois e Sophie, Príncipes Herdeiros do Liechtenstein

Luxemburgo:

Mónaco:

Noruega:

Países Baixos:

Reino Unido:

Realeza Não Reinante[editar | editar código-fonte]

Alemanha:

  • SAR o Príncipe Manuel e a Princesa Ana da Baviera
  • SA O Príncipe Hubertus e Princesa Kelly de Saxe-Coburgo Gota

Bulgária:

Grécia:

Jugoslávia:

Roménia:

  • SAR A Princesa Margarida e o Príncipe Radu da Roménia

Aristocracia[editar | editar código-fonte]

  • Condessa Marianne Bernadotte e Wisborg
  • Conde Michael Bernadotte af Wisborg e a Condessa Christine Bernadotte af Wisborg
  • Condessa Kajsa Bernadotte af Wisborg
  • Conde Carl Johan Bernadotte af Wisborg e a Condessa Gunnila Bernadotte af Wisborg
  • Condessa Bettina Bernadotte af Wisborg e o Diplomata Philipp Haug
  • Conde Bjorn Bernadotte af Wisborg e a Condessa Sandra Bernadotte af Wisborg
  • Sra. Madeleine Kogevinas
  • Conde Bertil Bernadotte af Wisborg e a Condessa Jill Bernadotte af Wisborg
  • Sra. Dagmar von Arbin

Chefes de Estado Republicanos[editar | editar código-fonte]

  • S.E. A Presidente da República da Finlândia e o seu marido Dr. Pentti Arajärvi
  • S.E. O Presidente da Islândia e a sua esposa Dorrit Mousieff

Títulos de Daniel Westling[editar | editar código-fonte]

Monograma duplo dos príncipes Vitória e Daniel da Suécia

A Suécia só praticou primogenitura absoluta cognática por lei até 1980. Isto significa que a Princesa Vitória é a primeira herdeira aparente e Daniel Westling tornou-se o primeiro homem do povo a obter um novo título ou classificação como cônjuge de uma princesa sueca e futura rainha. Todos os príncipes anteriores tem nascido na realeza e tem pais de origem sueca ou foram duques estrangeiros que tinham casado com princesas suecas. Como resultado, levantaram-se questões sobre como Daniel Westling seria conhecido após o casamento.

A corte real sueca anunciou pela primeira vez em 20 de Fevereiro de 2009, que após seu casamento com a Princesa Vitória, Duquesa de Västergötland (Westrogothia) que, Daniel Westling receberá os títulos de Príncipe Daniel e Duque de Västergötland. Foi ainda anunciado em maio de 2010, pela corte real sueca, que Daniel Westling iria receber o estilo de Sua Alteza Real depois do seu casamento com a Princesa Vitória. Vai, portanto, ser conhecido como Sua Alteza Real o Príncipe Daniel, Duque de Västergötland. A última parte do seu nome corresponde no formulário para o estilo usado por outros príncipes suecos, incluindo o imão mais jovem da princesa Vitóra, o Príncipe Carlos Filipe da Suécia, Duque de Värmland, ou seja, Príncipe e Duque de determinado de algum lugar. A novidade aqui é que Daniel Westling estaria usando o seu título ducal, algo novo para os homens na Suécia.

A Suécia descontinuado no século XVII, a concessão das províncias como territórios territoriais para os príncipes reais que, como duques, eles tinham governado. Desde então, estes ducados provinciais existem na família real apenas nominalmente, mas cada Príncipe ou princesa tradicionalmente mantém uma conexão pública especial para com o seu ducado. Os filhos dos reis suecos mantiveram o título principesco como um rank de nobreza (por exemplo, Fredrik Vilhelm, Furste av Hessenstein), como um título de cortesia de uma ex-dinasta (p. ex. Principe Oscar Bernadotte) e, mais frequentemente, como um membro real (por exemplo, SAR o Príncipe Bertil da Suécia, Duque de Halland).

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]