Cascavel Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cascavel
Cascavel Esporte Clube.png
Nome Cascavel Esporte Clube
Alcunhas Serpente

Cobra

Torcedor/Adepto Serpentino
Cascavelense
Mascote Cobra Cascavel
Fundação 19 de janeiro de 1979
Estádio Olímpico Regional
Capacidade 28,125 lugares
Localização Brasao cascavel.jpg Cascavel, Paraná PR,
Brasil Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Cascavel Esporte Clube (conhecido como Cascavel e cujo acrônimo era CEC) foi um clube brasileiro de futebol, da cidade de Cascavel, no estado Paraná. Foi fundado em 19 de janeiro de 1979, sendo o segundo clube, de um total de seis até hoje, a levar o nome da cidade. A sua primeira casa foi o Ninho da Cobra; posteriormente a prefeitura municipal construiu o Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto, com capacidade para 34 mil pessoas. Suas cores de fundação, eram o Azul, Vermelho e Branco, posteriormente no final da década de 80, adotou o Amarelo e o Preto. Foi, até os dias atuais, o time de futebol da cidade de Cascavel que obteve os melhores resultados, existiu por mais tempo e conquistou a maior tradição e o maior apoio e identificação do torcedor.

Considerado uma das agremiações mais tradicionais do estado, teve seu auge na década de 80, quando foi campeão paranaense e por três oportunidades campeão do interior, além disso figurou em competições nacionais como a Taça de Prata de 1981 e 1982 e da Série C de 1995 e 1996.[1] .

Em 17 de Dezembro de 2001, fundiu-se ao Cascavel S/A e com a SOREC, para fundar o Cascavel Clube Recreativo.

História[editar | editar código-fonte]

1979: Fundação[editar | editar código-fonte]

O município de Cascavel, iniciou sua participação em competições oficiais de futebol no fim da década de 60, quando o Tuiuti em 1968, e o Comercial em 1969, disputaram a Segunda Divisão do Paraná, sendo que ambos, obtiveram como resultado, o vice-campeonato da chamada "Zona Sul". Posteriormente, é fundado o Cascavel Futebol Clube[2] , que ganhou o primeiro título da cidade, a Segundona de 1970, entretanto não conseguiu dar seguimento as boas campanhas, ao longo de sua curta história, devido a dificuldades tanto dentro como fora de campo, encerrando suas atividades ao término do estadual de 1972.[3]

Após seis anos sem representante, o futuro do esporte bretão cascavelense era incerto, porém isso mudaria no dia 19 de janeiro de 1979, com o surgimento do Cascavel Esporte Clube, que nascia com a ambição de se firmar como um dos grandes no cenário paranaense. Além disso, um dos desafios da nova equipe, era unir os torcedores locais, já que estes estavam divididos na torcida por Inter e Grêmio em sua grande maioria, devido ao expressivo número de Gaúchos que migraram para a Região Oeste do Paraná, em épocas anteriores. Tal fato, ficava evidenciado na rivalidade dos clássicos Tuiciais[4] , uma espécie de GreNal[5] , que eram disputados pelos já citados Comercial e Tuiuti, por isso, afim de agradar ambos os lados seus fundadores escolheram as cores Azul, Vermelha e Branca. Já o mando dos jogos, era no Estádio Municipal Amadores Theodoro Colombelli, mais conhecido Ninho da Cobra.

Dando início as atividades profissionais participa da Divisão de Acesso do Estadual de 1979[6] , e aliando bons investimentos ao fundamental apoio de sua torcida, consegue ascender a elite do futebol paranaense.

1980: O surgimento de um Campeão[editar | editar código-fonte]

Em 1980, adentrava pela primeira vez na divisão especial do Paraná[7] , a expectativa entre os torcedores era grande, já que após 7 anos de espera, finalmente o município tinha novamente um time na elite. Para a disputa do campeonato, foi montada uma equipe competitiva, que tinha como base o elenco de 1979, porém não era considerada favorita, sendo que o Colorado, Londrina, Coritiba, Atlético, Pinheiros e o Grêmio Maringá, eram os grandes postulantes ao título segundo a crítica da época.

Na primeira fase do torneio que contava com a presença de 20 clubes, o Cascavel, fez uma campanha mediana, porém suficiente para avançar à segunda fase, na 7ª colocação com 23 pontos, 9 vitórias, 5 derrotas e 5 empates. A estreia foi em casa na data de 5 de junho, com uma goleada sobre o Guarapuava pelo placar de 3 a 0. Os demais confrontos foram os seguintes: No dia 8 do mesmo mês, enfrentou o Londrina, vencendo por 1 a 0. Após o bom início teve uma sequência de quatro partidas fora de seus domínios, com três derrotas e um empate: Matsubara (15/06, 2-1), Operário (18/06, 0-0), Coritiba (21/06, 2-1) e Grêmio Maringá (25/06, 3-2). A recuperação veio com duas vitórias seguidas, sobre o Apucarana (29/06 4-2) e o União F. Beltrão (02/06 3-0). Em seguida, enfrentou o Pinheiros em 6 de julho, empatando em 0 a 0, e o Colorado em 09/07, perdendo por 1 a 0. No dia 13 de julho, vence o tradicional Clássico da Soja, contra o Toledo, pelo score de 2 a 1. Dando continuidade a primeira fase, perdeu para o União Bandeirante (20/07 por 1-0), venceu o Rio Branco (23/07 por 4-0) e empatou com o Pato Branco (27/07 por 0-0). No início de agosto, ganhou do Umuarama (03/07 por 2-0), empatou com o Atlético (03/07 por 0-0), ganhou do Iguaçu de União da Vitória (10/08 1-4) e do Paranavaí, (14/08 2-0). Na última rodada, empatou com o Agroceres em 0 a 0, no dia 17 de agosto.

Já na segunda fase, restavam apenas 8 equipes, e a Serpente encerrou na terceira colocação no geral, com 5 vitórias, 5 empates e 4 derrotas, tendo classificação garantida para o Quadrangular Final. Os confrontos foram os seguintes: No primeiro jogo enfrentou o Grêmio Maringá e venceu por 3 a 1 em 24/08. Posteriormente, empata com o Coxa (27/08 0-0), e perde para o Londrina (31/08 1-5). No feriado da Independência, vence o segundo Clássico da Soja do ano por 0 a 1, em seguida, venceu dois e empatou um: Colorado (10/09, 0-1), União Bandeirante (14/09, 3-0) e Pinheiros (21/09, 0-0). No 2º Turno, empatou com o Grêmio Maringá (28/09 1-1), foi derrotado pelo Coritiba (01/10 2-0), resultado de igualdade contra o Londrina (05/10 1-1), venceu o rival Toledo (12/10 1-0), perdeu para o Colorado (14/10 0-2), goleou o União Bandeirante (19/10 0-3) e encerrou com um empate contra o Pinheiros (22/10 2-2).

Na etapa derradeira do campeonato, chamada de Quadrangular Final, restavam os quatro melhores do estado naquele ano, e o Cascavel, surpreendeu não só o Paraná como o Brasil, já que foi um dos campeões da competição, com 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. A campanha foi a seguinte: Nos dois primeiros jogos, venceu o Londrina (09/11 0-2), e perdeu para o Pinheiros (12/11 0-2). Depois, se impôs sobre o Colorado em um Ninho da Cobra completamente lotado, ganhando pelo placar de 3 a 0. Logo após, empatou com o Londrina (23/11 1-1) e venceu o Pinheiros (23/11 3-2). Na polêmica partida final em 30 de novembro, que enfrentou o então segundo colocado Colorado, e foi derrotado por 2 a 0, correu o risco de perder taça, na passagem que ficou conhecida como "Cai-Cai", no entanto, em uma decisão inédita até então, ficou decretada há divisão do título entre as duas agremiações.

A conturbada partida final[editar | editar código-fonte]

A partida de 30 de novembro de 1980, entre Colorado e Cascavel, pela última rodada na Vila Olímpica, era decisiva, pois os dois clubes lideravam a fase final, com ampla vantagem em favor do último, que precisava apenas de um empate, e podia perder por até quatro gols. Dentro de campo, os curitibanos se mostraram superiores, abrindo 2 a 0, a arbitragem de Tito Rodrigues, expulsou dois atletas cascavelenses, Marcos e Maurinho. O time do Oeste voltou do intervalo com apenas 7 jogadores, pois segundo o médico Antônio Comatsu, Nelo e Dudu não tinham condições de jogo, quando a bola rolou, para o segundo tempo, o goleiro Zico, alegou estar lesionado e não pode prosseguir jogando, desta forma Tito encerra a partida, já que os visitantes não tinham o número mínimo regulamentar de jogadores. Os dois times comemoraram o título, que segundo a tabela pertencia apenas ao Cascavel, porém segundo decisão do TJD-PR, este deveria perder os pontos e assim ceder a taça ao Colorado. Entretanto o crivo final era do presidente da FPF, na época, Luiz Gonzaga da Motta Ribeiro, que declarou os dois clubes campeões paranaenses.[8] [9]

Jogadores Notáveis[editar | editar código-fonte]

A história do Cascavel Esporte Clube foi marcada por grandes jogadores, principalmente na década de 80 época em que clube foi campeão paranaense, e participou de campeonatos em nível nacional, dentre alguns destacam-se : Paulinho Cascavel e Gustavo Roberto Dias artilheiro da equipe no Campeonato Paranaense de Futebol de 1980 com 17 gols. Zico, goleiro famoso por marcar um gol da sua própria meta contra o Colorado em 16 de novembro de 1980[10] [11] , pelo quadrangular final do paranaense, Maizena[12] , se destacou nacionalmente chegando a atuar em clubes como Internacional e São Paulo, Capitão[13] ganhou o mesmo destaque tornando-se ídolo na Portuguesa de Desportos. Já na década de 90 a base cascavelense mostrou-se muito produtiva revelando jogadores como Caio Júnior, Jean Carlo e Sidiclei.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

O escudo do Cascavel Esporte Clube passou por algumas mudanças, ao longo da história, a primeira mudança foi no desenho, e posteriormente, além do formato foram trocadas as tradicionais cores Vermelha, Azul e Branca pelo Amarelo e Preto.

Mascote[editar | editar código-fonte]

A mascote do clube era a Cobra Cascavel.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Campanhas de Destaque[editar | editar código-fonte]

Rankings[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cascavel Esporte Clube (em português) arquivodeclubes.com. Visitado em 18 de agosto de 2013.
  2. Cascavel Futebol Clube (em português) escudosonline.com. Visitado em 12 de julho de 2013.
  3. FUTEBOL EM CASCAVEL: UM FRACASSO BEM- SUCEDIDO. BINDÉ, Carlos. Cascavel: Gráf. Universitária, 2001.
  4. Histórias dos Tuiciais ainda ecoam nas rodas de amigos (em português) cgn.uol.com.br (18 de Março de 2012). Visitado em 12 de julho de 2013.
  5. Como se fosse um GreNal do interior:o tempo do TuiCial (em português) dihitt.com (27 de julho de 2009). Visitado em 12 de julho de 2013.
  6. Paraná 1979 - 2ª Divisão (em inglês) rsssfbrasil.com (outubro de 2005). Visitado em 11 de julho de 2013.
  7. Campeonato Paranaense 1980 - Participantes: Coritiba, Colorado, Cascavel, Atlético, Grêmio Maringá, Matsubara,União Bandeirante, Toledo, Londrina, Operário, Agroceres, Rio Branco, Guarapuava,Umuarama, Iguaçu, Apucarana, União de Beltrão, Pinheiros, Paranavaí, Pato Branco. (em inglês) rsssfbrasil.com (20 de outubro de 2004). Visitado em 11 de julho de 2013.
  8. Colorado e Cascavel dividiram o título de 80 (em português) noticiafc.com (18 de agosto de 2009). Visitado em 11 de julho de 2013.
  9. Há 30 anos, cai-cai manchava futebol paranaense (em português) gazetadopovo.com.br (30 de novembro de 2010). Visitado em 11 de julho de 2013.
  10. Gol de goleiro faz parte do folclore do futebol paranaense (em inglês) parana-online.com.br (23 de agosto de 2008). Visitado em 11 de julho de 2013.
  11. Zico (em português) terceirotempo.bol.uol.com.br. Visitado em 11 de julho de 2013.
  12. Maizena (em português) terceirotempo.bol.uol.com.br. Visitado em 11 de julho de 2013.
  13. Capitão (Oleúde) (em português) terceirotempo.bol.uol.com.br. Visitado em 11 de julho de 2013.
  14. Este título foi dividido com o Colorado.
  15. Paraná - Qualifying Tournament for Brazil 2nd Level 1982 (em inglês) rsssfbrasil.com (9 de agosto de 2007). Visitado em 18 de agosto de 2013.
  16. RANKING (1ª Divisão) do Campeonato Paranaense (em português) campeoesdofutebol.com.br (5 de agosto de 2008). Visitado em 18 de agosto de 2013.
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.