Caspar Friedrich Wolff

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caspar Friedrich Wolff

Caspar Friedrich Wolff (Berlim, Alemanha, 18 de janeiro de 1734São Petersburgo, Rússia, 22 de fevereiro de 1793) foi um biólogo alemão. Foi um dos fundadores da embriologia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1759, Wolff se graduou na Universidade de Halle com uma tese sob o título "Theoria Generationis".

Durante a Guerra dos sete anos, Wolff foi convocado como médico do exército prussiano. No seu retorno passou por sérias dificuldades para reincorporar-se na vida acadêmica. Finalmente, em 1767 com a ajuda do matemático Leonhard Euler obteve uma cátedra de anatomia na Academia das Ciências de São Petersburgo.

Na sua obra "Theoria Generationis" ( 1759), Wolff recuperou a teoria da epigênese defendida por Aristóteles e William Harvey. Esta teoria se opunha a teoria tradicional, que sustentava que os organismos já estavam preformados no sémen ( preformismo).

O trabalho consistia em três partes dedicadas ao desenvolvimento das plantas, o desenvolvimento dos animais e considerações teóricas:

  • Wolff pesquisou detalhadamente a metamorfose das plantas, destacando que os rudimentos embrionários das folhas são basicamente similiares aos das partes da flor e que os rudimentos de ambos derivam de um tecido essencialmente indiferenciado.
  • O estudo do desenvolvimento vegetal levou Wolff à sua premissa fundamental: tanto nos animais como nas plantas , o desenvolvimento procede por diferenciação gradual de um material originalmente homogêneo.
  • A primeira prova de epigênese animal foi obtida por Wolff nos seus experimentos com embriões de galinha, onde demonstrou que os vasos sanguíneos da blastoderme não estavam presentes desde o início. Demonstrou que os órgãos dos animais se formam pelo dobramento em tubos de capas homogêneas ( "folhas" ), antecipando a futura teoria dos folhetos embrionários.

Tanto na "Theoria generationis" de 1759 como na "De Formatione intestinorum" (1768-1769), Wolff defendeu que o embrião se formava a partir de um fluido homogêneo que iria adquirindo forma graças a uma "força essencial" ( vis essentialis), uma explicação que enfrentava o mecanicismo dos preformistas.

Sua teoria não foi bem recebida, principalmente por Albrecht von Haller.

Sua obra ficou muita conhecida nos finais do Século XVIII. Tanto cientistas ( Johann Friedrich Blumenbach) como filósofos ( Johann Gottfried Herder) fazem menção dela em seus trabalhos.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Theoria Generationis (1759)
  • De Formatione Intestinorum (1768)

Referências[editar | editar código-fonte]

  • William A. Locy, "Biology and its Makers", Henry Holt and Company, New York, 1908
  • Frank J. Dye, "Dictionary of Developmental Biology and Embryology", Wiley-Liss, New York, 2002
  • Speert H., "Obstetrical and Gynecological Milestones", The Macmillan C., New York, 1958.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.