Castória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grécia Castória
Καστοριά - Kastoriá
 
—  Localidade  —
Castória e o lago Orestiada
Castória e o lago Orestiada
Mapa topográfico mostrando o lago Orestiada e o promontório onde se localiza Castória, bem no meio do lago.
Mapa topográfico mostrando o lago Orestiada e o promontório onde se localiza Castória, bem no meio do lago.
Castória
Castória
Castória está localizado em: Grécia
Castória
Castória
40° 31' N 21° 16' E
Região Macedônia ocidental
Unidade regional Castória
Área
 - Urbana 57.3 km²
 - Metro 755.0 km²
Altitude 700 m (2 297 pés)
População (2011)
 - Urbana 16 958
    • Densidade urbana 295,95/km2 
 - Metro 35 874
    • Densidade metro 47,52/km2 
Código postal 521 00
Prefixo telefónico 24670
Cidades gêmeas
 - Kiev (desde 1988)[1]  Ucrânia
Sítio Prefeitura de Castória
Site oficial da cidade

Castória (em grego: Καστοριά; transl.: Kastoriá) é uma cidade no norte da Grécia na região da Macedônia ocidental. É a capital da unidade regional de Castória. Esta situada num promontório na margem ocidental do lago Orestiada, numa vale rodeado por montanhas calcárias. A cidade é conhecida por suas igrejas bizantinas, arquitetura residencial otomana, roupas de pele e pelas suas trutas.

Nome[editar | editar código-fonte]

O nome "Kastoria" aparece pela primeira vez em 550 d.C., mencionado por Procópio de Cesareia no seguinte trecho: "Havia uma certa cidade na Tessália, Diocletianopolis era seu nome, que havia sido próspera nos tempos antigos, mas com a passagem do tempo e os assaltos bárbaros, foi destruída e por muito tempo ficou desabitada; e um certo lago está perto e que era chamado Castoria. Há uma ilha no meio do lago, rodeada quase toda por água; mas há ali um único estreito caminho para se aproximar desta ilha através do lago, com não mais de 5 metros de largura. E uma excepcional montanha se ergue sobre a ilha, metade coberta pelo lago e o resto sobre ela"[2] . Embora Procópio a chame de um "uma cidade na Tessália", a descrição é indubitavelmente de Castória, uma cidade localizada num promontório num lago.

Há diversas teorias sobre a origem do nome Kastoria[3] . A dominante afirma que o nome deriva da palavra grega κάστορας (kástoras - "castor"). O comércio das peles deste animal, caçado no lago Orestiada, é tradicionalmente um elemento importante da economia da cidade. Outras teorias propõem que o nome seja derivado da palavra grega κάστρο (kástro - "castelo"; do latim castra) ou do herói mítico Κάστωρ (Kástōr - "Castor"), que pode ter sido venerado na região. A palavra aparece também escrita com "C", Castoria[4] , especialmente em obras mais antigas. Do grego, o nome foi emprestado para o turco como Kesriye. Em sérvio, búlgaro e macedônio, o nome da cidade é Kostur (cirílico: Костур).

Município[editar | editar código-fonte]

O município de Castória foi formado na reforma do governo local de 2011 pela fusão de 9 outros antigos municípios que se tornaram unidades municipais[5] :

História[editar | editar código-fonte]

Vista da cidade e do lago Orestiada.
Igreja de "Agii Anargiri“ ("Santos Anárgiros) em Castória.
Mansão otomana em Castória.

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que Castória tenha origens muito antigas; ela já identificada como sendo a antiga cidade de Celetrum, possivelmente localizada numa colina logo acima da cidade atual e capturada pelos romanos em 200 a.C.[6] . O imperador romano Diocleciano (r. 284-305) fundou uma cidade chamada "Dioclecianópolis" em algum lugar nas proximidades[6] . Depois que ela foi destruída pelos bárbaros, o imperador bizantino Justiniano I mudou a cidade para um promontório que se projeta para o lago Orestiada e é ali onde ela está até hoje. É possível que ela tenha sido rebatizada como "Justinianópolis" na ocasião.[6] .

Idade Média[editar | editar código-fonte]

A história de Castória foi pacífica até o século X, quando sua posição estratégica a colocou bem no centro da disputa entre o Império Bizantino e o Império Búlgaro. Ela foi conquistada pelos búlgaros no meio do século IX e permaneceu em mãos búlgaras até a conquista da Bulgária pelo imperador Basílio II no início do século XIII, quando ela foi re-anexada ao Império Bizantino. A cidade foi novamente conquistada pelo Segundo Império Búlgaro na época de Kaloyan e João Asen II no século XIII, mas foi novamente retomada pelos gregos do Império de Niceia em 1246[7] . Castória foi dominada pelo Império da Sérvia entre 1331 e 1380 e pela família Muzaka, de origem albanesa, entre 1380 e 1385[8] .

Período otomano[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1385, o Império Otomano conquistou Castória, mas não é claro se foi pela força ou através de um acordo com os governantes albaneses[9] . Durante o período otomano, Castória ganhou uma considerável população muçulmana e diversas mesquitas e tekkes ainda existem na cidade. Ela permaneceria sob controle dos turcos até a Primeira Guerra Balcânica (1912), quando foi tomada pela Grécia. Os acordos de 1913, de Londres e de Bucareste, incorporaram Castória ao estado grego. Depois do fim da Primeira Guerra Mundial, a maior parte do contingente muçulmano da cidade foi transferida para Mustafapaşa, Turquia, durante a troca de populações entre Grécia e Turquia.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Durante a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Civil Grega, a cidade foi repetidamente disputada e sofreu pesados danos por conta disso. Ela quase foi capturada pelos comunistas do Exército Democrático da Grécia em 1948 e as batalhas finais da guerra civil foram travadas no vizinho monte Gramos em 1949.

Comunidade judaica[editar | editar código-fonte]

Em 1940, a população judaica em Castória contava com 900 pessoas[10] , composta predominantemente por judeus sefarditas de língua ladina. Muitos nomes familiares era de origem italiana, resultado de emigrações (originalmente do Reino da Espanha) via Itália nos séculos XVII e XVIII.

No final de março de 1944, durante a ocupação nazista, 763 judeus castorianos foram presos pelas tropas nazistas e enviados para Auschwitz-Birkenau[10] como parte do programa de extermínio deliberado dos judeus durante o Holocausto. Castória foi liberada pelas guerrilhas do Exército de Libertação do Povo Grego menos de 4 meses depois da tragédia. No final da guerra, em 1945, apenas 35 judeus da população original haviam sobrevivido[10] .

Economy[editar | editar código-fonte]

Castória é um centro internacional do comércio de peles, que domina a economia local. O nome da cidade (como mencionado acima) pode ser derivado do Castor europeu (kastóri), extinto na área. O comércio de peles de mink predomina e anualmente uma feira internacional de peles se realiza na cidade. Outras industrias incluem a venda e distribuição de produtos locais, principalmente o trigo, maçãs, vinho e peixe. Recentemente, um grande shopping center foi construído na cidade, que tem atualmente 16 estações de rádio[11] , 2 de TV, 5 jornais diários e 7 semanais[12] . O aeroporto da cidade é chamado Aeroporto Aristotelis.

Principais pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Castória é um importante centro religioso para a Igreja Ortodoxa Grega e é a do bispo metropolitano. Ela contava originalmente com 72 igrejas bizantinas e medievais, das quais 54 sobreviveram, inclusive a Igreja de Santo Atanásio de Mouzaki. Algumas delas foram restauradas e apresentam diversas tendências dos estilos bizantinos tardios de arquitetura e pintura em afrescos. O Museu de História Bizantina na Praça Dexamenis abriga muitos exemplos de iconografia bizantina. A cidade conta ainda com um museu de vestimentas e um outro sobre monumentos. Finalmente, Castória está repleta de antigas mansões da era otomana e parte da muralha bizantina ainda está de pé.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Kastoria FC é o time de futebol local. Fundado em 1963, quando três times locais se juntaram para formar uma equipe mais forte para representar a cidade. Os melhores anos do time foram 1974, quando passou para a primeira divisão e competiu ali por um ano, e 1980, quando venceu a Copa da Grécia depois uma vitória de 5-2 sobre o Iraklis FC na final.

População[editar | editar código-fonte]

Ano Cidade Unidade municipal Município
1981 20,660 - -
1991 14,775 - -
2001 14,813 16,218 -
2011 13,387 16,958 35,874

Localização[editar | editar código-fonte]

 Bilisht   Florina    Amyntaio - Edessa 
 Korçë  Brosen windrose.svg  Ptolemaida - Véria    
 Janina   Neapoli - Siatista - Grevena    Kozani - Lárissa 

Importância[editar | editar código-fonte]

A cidade aparece no poema épico sérvio "Marko Kraljević i Mina od Kostura" ("Príncipe Marko e Minas de Castória").

Castorianos notáveis[editar | editar código-fonte]

Panorama[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Twinnings Central Union of Municipalities & Communities of Greece.. Página visitada em 2013-08-25.
  2. (Procopius "Περί κτισμάτων" /On buildings,book IV,1.3)
  3. Καστοριά - Προέλευση Του Ονόματος (Kastoria - origin of the name) Δήμος Καστοριάς (City of Kastoria). Página visitada em 2008-10-29.
  4. "K". The Oxford English Dictionary, 2nd ed., 1989, online
  5. Kallikratis law Greece Ministry of Interior
  6. a b c . Além disso, ela também é conhecida como Vancho ou Vanche Mihailov e Radko.
  7. Andreev, J. The Bulgarian Khans and Tsars (Balgarskite hanove i tsare, Българските ханове и царе), Veliko Tarnovo, 1996, p. 200, ISBN 954-427-216-X
  8. Facaros, Dana; Theodorou, Linda. In: Dana. Greece. [S.l.]: New Holland Publishers, 2003. p. 563. ISBN 1-86011-898-4
  9. Ring, Trudy; Salkin, Robert M.; Boda, Sharon La (1996), International Dictionary of Historic Places: Southern Europe, Taylor & Francis, pp. 361, ISBN 978-1-884964-02-2, http://books.google.com/books?id=74JI2UlcU8AC&pg=PA361 
  10. a b c The Holocaust in Greece United States Holocaust Memorial Museum. Página visitada em 2009-09-29.
  11. Greek radio stations, Kastoria
  12. Makedonia newspaper, article of 2008/06/29 by Dimitra Tsapodimou

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • The Columbia Encyclopedia, 2004.
  • Encyclopædia Britannica, 2005.
  • The Penguin Encyclopedia of Places, 1999.
  • Rough Guide to Greece, Mark Ellingham et al., 2000.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Castória