Castelo de Himeji

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Castelo de Himeji *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Himeji Castle The Keep Towers.jpg
O Castelo de Himeji, Japão: vista de Nishi-no-maru
País Japão
Critérios (i)(iv)
Referência 661
Coordenadas 34° 50′ N 134° 42′ E(Hyogo, Japão)
Histórico de inscrição
Inscrição 1993  (17ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

O Castelo de Himeji (em japonês: Himeji-jo, 姫路城; -jō), também conhecido como Hakurojō ou Shirasagijō devido ao seu brilhante exterior branco, é um complexo palaciano com 82 edifícios de madeira, localizado na cidade de Himeji, Província de Hyogo, no Japão.

Uma das mais antigas estruturas ainda existentes do Período Sengoku, é considerado como um Tesouro Nacional do Japão, tendo sido classificado como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, em Dezembro de 1993. Juntamente com o Matsumoto-jo e com o Kumamoto-jo, é um dos "Três Famosos Castelos" do Japão e o mais visitado do país.

História[editar | editar código-fonte]

Castelo de Himeji, Japão: planta de 1761, com detalhes dos caminhos, secções e a sua torre central.

O castelo foi concebido e construído durante a Era Nanboku-cho do Período Muromachi. Nessa época, era chamado de Himeyama-jo (Castelo Himeyama). Em 1331, Akamatsu Sadanori planeou um castelo na base do Monte Himeji, onde Akamatsu Norimura havia construído o templo de Shomyoji. Depois da queda de Akamatsu, durante a Guerra de Kakitsu, o Clã Yamana tomou conta, por um curto período, dos planos do castelo; a família Akamatsu regressou depois da Guerra de Ōnin.

Em 1580, Toyotomi Hideyoshi tomou controle do mal tratado castelo, e Kuroda Yoshitaka construiu uma torre com três andares. Depois da Batalha de Sekigahara, em 1601, Tokugawa Ieyasu concedeu o Castelo de Himeji a Ikeda Terumasa, o qual empreendeu um projecto de expansão que duraria nove anos, o qual trouxe ao castelo, grosso modo, a sua forma actual. "Apenas o portão Este de uma secção da segunda muralha" sobrevive do período anterior [1]. As últimas adições principais, o Círculo Ocidental, foi concluído em 1618.

O Castelo de Himeji foi um dos últimos domínios dos tozama daimyō no final do Período Edo. Esteve na posse dos descendentes de Sakai Tadasumi até à Restauração Meiji. Em 1868, o novo Governo do Japão enviou o Exército Okayama, sob o comando dos descendentes de Ikeda Terumasa, com ordens para bombardear o castelo com cartuxos vazios e expulsar os seus ocupantes.

Castelo de Himeji, Japão: um desenho do esboço com um intrincado complexo de caminhos e paredes, os quais deveriam causar dificuldades aos sitiantes que pretendessem penetrar no seu interior e tomá-lo.

Quando se aboliu o sistema han, em 1871, o castelo foi vendido em leilão por um valor de 23 yenes (actualmente 153 dólares). No entanto, o custo de desmantelar o castelo era irrisório, e como resultado o complexo foi abandonado.

O Décimo Regimento de Infantaria ocupou o conjunto em 1874 e o Ministério da Guerra tomou controle deste em 1879. A torre principal foi restaurada em 1910, com o custo de 90.000 yenes retirados dos fundos públicos.

A cidade de Himeji foi bombardeada em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial. Apesar de a maior parte da área circundante ter sido completamente incendiada, o castelo sobreviveu sem sofrer danos, à excepção de alguns impactos das explosões nas redondezas.

Os esforços para restaurar o castelo começaram em 1956, e durante o processo foram usados, apenas, equipamentos e métodos tradicionais, tendo o restauro ficado concluído em 1964.

Características[editar | editar código-fonte]

Castelo de Himeji, Japão: torre principal. É de notar o tamanho das fundações, as quais tinham uma função defensiva.

O Castelo de Himeji serve como um excelente exemplo do protótipo de Castelo Japonês, contendo muitas das características de defesa e de arquitectura militar mais associadas com esses castelos. As altas fundações em aparelho de pedra, as paredes brancas e a organização interna dos edifícios no complexo são elementos padrão de qualquer castelo daquele país, e o monumento também exibe muitos outros exemplos do típico desenho japonês, incluindo posicionamento de armas e buracos para largar pedras.

Um dos elementos defensivos mais importantes do Castelo de Himeji, e talvez o mais famoso, é o confuso labirinto de caminhos que conduzem à fortaleza principal. Os portões, muralhas exteriores e outras paredes do complexo estão organizados por forma a confundir as forças invasoras e permitir um ataque mais rápido e eficiente. A espiral em volta do castelo, com muitos caminhos sem saída, permitia que os atacantes fossem observados e atacados a partir da fortaleza durante todo o seu caminho de aproximação. de qualquer forma, o Castelo de Himeji nunca foi atacado dessa forma, pelo que o sistema nunca foi testado.

Secções e portas[editar | editar código-fonte]

Castelo de Himeji, Japão.
Castelo de Himeji, Japão: torre principal.
Castelo de Himeji, Japão: aspecto ao anoitecer.
O Castelo de Himeji, Japão: vista panorâmica com a cidade ao fundo.

Nishinomaru[editar | editar código-fonte]

É uma das secções mais famosas, além da torre principal, encontrando-se na ala Oeste do castelo. Neste sector viveu Senhime, a filha do shógun Tokugawa Hidetada, em 1615, a qual foi esposa durante onze anos de Honda Tadatoki, embora a morte deste, em 1626, tenha obrigado Senhime a regressar a Edo, a capital do xogunato.

Embora, actualmente, a maioria da ala esteja em ruínas, existem alguns pavilhões em melhor estado, como o Hyakkenroka (grande corredor) e o Keshō yagura (pavilhão das mulheres); acredita-se que este último foi o salão onde Senhime se vestia.

Aburakabe[editar | editar código-fonte]

Nesta secção, localizada depois da porta Ho, as paredes não são de gesso branco e sim de argila, cal e gravilha. Acredita-se que esta secção foi construída no tempo de Toyotomi Hideyoshi.

Poço de Okiku[editar | editar código-fonte]

Este poço encontra-se junto da torre Bizenmaru. Conta a lenda que no dito poço existe o fantasma de uma criada do castelo, a qual foi executada ao ser acusada do roubo de um prato valioso.

Jardim Koko-en[editar | editar código-fonte]

Este parque foi reconstruído a partir das escavações das ruínas da grande mansão da zona Oeste. Do dito parque pôde reconstruir-se as ruas, as vivendas, as paredes de lama, a porta Nagayamon, o portão principal da entrada do parque e, adicionalmente, nove jardins no interior do mesmo.

Festividades[editar | editar código-fonte]

Anualmente, são dedicados dois dias especialmente ao Castelo de Himeji:

  • O Festival Kanokai (primeiro Domingo de Abril), no qual se celebra o hanami, ou contemplação das cerejeiras em flôr;
  • A Festa do Castelo de Himeji (início de Agosto), na qual todo o público pode visitar o castelo, tanto o exterior como o interior.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

O Castelo de Himeji aparece frequentemente na televisão japonesa. O histórico Edo-jo não possui, actualmente, uma fortaleza, e por esse motivo, quando os enredos ficcionais exigem a sua representação, como por exemplo em Abarenbo Shogun, é necessário recorrer a um magnífico substituto, recorrendo os produtores ao Castelo de Himeji.

O Castelo de Himeji serviu de cenário a várias produções cinematográficas e televisivas, de que se destacam:

No cinema[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Castelo de Himeji