Catê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catê
Informações pessoais
Nome completo Marco Antônio Lemos Tozzi
Data de nasc. 7 de novembro de 1973
Local de nasc. Cruz Alta, RS,  Brasil
Falecido em 27 de dezembro de 2011 (38 anos)
Local da morte Ipê, RS, Brasil
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1989–1991
1992–1993
1994
1994–1995
1996–1997
1997
1998–1999
2000
2001
2003
2004
2004–2005
2005
2005
2006
2008
Guarany
São Paulo
Cruzeiro
São Paulo
Universidad Católica
São Paulo
Sampdoria
Flamengo
New England Revolution
15 de Novembro
Glória
Maracaibo
Palestino
Remo
Esportivo
Brusque

Marco Antônio Lemos Tozzi, mais conhecido como Catê (Cruz Alta, 7 de novembro de 1973 - Ipê, 27 de dezembro de 2011[1] ), foi um futebolista brasileiro, atacante do São Paulo campeão mundial em 1992.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Catê surgiu como uma das grandes promessas do futebol brasileiro no início dos anos 1990. Seu apelido advinha dos gritos de "Que categoria!" que seus amigos exclamavam quando ele dava um drible, quando criança.[2]

Revelado pelo Guarany, de Cruz Alta, foi comprado pelo São Paulo em 1991, por trinta mil dólares.[2] Suas duas primeiras partidas pelo time foram quando o técnico Telê Santana escalou uma equipe mista no primeiro semestre de 1992: na estreia da Libertadores, contra o Criciúma, e, três meses depois, contra o Flamengo, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, disputada entre os dois jogos das finais do torneio continental (daí a escalação de uma equipe mista[3] ).[2]

Catê nunca conseguiu se firmar entre os titulares do São Paulo, era considerado um "reserva de luxo"[4] e foi emprestado para o Cruzeiro no início de 1994, conquistando o Campeonato Mineiro daquele ano. De volta ao Tricolor para o segundo semestre, teve um dos melhores momentos de sua carreira nas finais da Copa Conmebol de 1994, disputada pela equipe reserva do São Paulo, conhecida como "Expressinho". No jogo de ida, no Morumbi, a equipe goleou o Peñarol, do Uruguai, por 6 a 1, com três gols de Catê.[4]

Em 1996 foi para a Universidad Católica, do Chile, onde ficou até o ano seguinte, tendo conquistado o título do Torneio "Apertura" de 1997 pelo clube. Após um breve retorno ao São Paulo, passou por clubes de diversos países: Sampdoria, da Itália, Flamengo, New England Revolution, dos Estados Unidos, 15 de Novembro, Glória de Vacaria, Maracaibo, da Venezuela, Palestino, do Chile, Remo, Esportivo de Bento Gonçalves e Brusque.

O atacante passou pelas seleções de base do Brasil e foi campeão pelas categorias Sub-17 e Sub-20. Após abandonar os gramados, tornou-se treinador do Itinga, que disputaria a primeira divisão maranhense pela primeira vez em 2008.

Na manhã de 27 de dezembro de 2011, bateu seu carro de frente com um caminhão, no quilômetro 131 da Rodovia Sinval Guazzelli, na altura de Ipê. Não resistindo aos ferimentos, morreu no local.

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Seleção brasileira[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Universidad Católica[editar | editar código-fonte]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1].
  2. a b c (15 de junho de 1992) "Catê realiza sonho de jogar no Maracanã". O Estado de S. Paulo (36 034): Esportes, p. 1. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 15162931.
  3. (13 de junho de 1992) "São Paulo esnoba o Flamengo e vai jogar com time reserva". O Estado de S. Paulo (36 032): Esportes, p. 2. São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. ISSN 15162931.
  4. a b Alexandre da Costa. Almanaque do São Paulo Placar. [S.l.]: Abril, 2005. 283 e 378 p.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]