Catedral da Santíssima Trindade (Dublin)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde março de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
O plano da catedral e do parque adjacente.
Catedral da Santíssima Trindade.

A Catedral da Santíssima Trindade (em inglês: Cathedral of the Most Holy Trinity, popularmente conhecida como Christ Church, literalmente Igreja de Cristo) é a mais antiga das duas catedrais medievais de Dublin, sendo a outro a Catedral de São Patrício. Foi a sede do arcebispo de Dublin (agora parte da Igreja da Irlanda, de confissão anglicana) desde os tempos medievais e é dedicada à Santíssima Trindade.

História[editar | editar código-fonte]

A catedral foi construída em 1038 pelo rei Sitric Silkenbeard, o rei viking, em Dublin, e a sua diocese era, provavelmente, dependente do arcebispado de Cantuária. Foi construída num terreno alto de onde se pode ver Wood Quay.

Lawrence O'Toole, em 1152, como primeiro arcebispo irlandês, começou a ampliação e reconstrução da Catedral do Norte. Quando os normandos da Inglaterra assumiram grande parte da Irlanda, a catedral nórdica antiga foi substituída por uma arquitetura anglo-normanda, por iniciativa do Arcebispo João Cumin, que incluem uma mistura dos estilos românico e gótico. Esta catedral teve um grande número de criptas que seriam utilizadas como fundações, condicionando a instabilidade do edifício e, eventualmente, entrando em colapso e reparos constantes.

Durante a era vitoriana, entre 1871 e 1878, o templo passou por uma restauração significativa coordenada por George Edmund Street, que evitou o colapso de algumas partes, ainda que representando uma mudança dramática da obra medieval, por isso hoje pode ser difícil distinguir as decorações dos diferentes períodos.

A catedral foi usada em 1487 para a coroação de Lambert Simnel como "Eduardo VI", um pretendente ao trono, que tentou em vão expulsar Henrique VII de Inglaterra.

A catedral contém o túmulo de Strongbow, um senhor medieval e líder militar galês que chegou à Irlanda, a pedido do rei Diarmuid MacMorrough, e cuja chegada marcou o início da intervenção britânica na Irlanda. Tal como outros aspetos desta catedral, o túmulo não é realmente a Storngbow: o túmulo original foi destruído séculos atrás, e outro sepulcro medieval foi transferido pouco tempo depois, de Drogheda para a catedral, situada no sítio original e identificado como tal. Na Idade Média, fizeram o juramento diante do túmulo de Strongbow, como indicado pelos registos da catedral.

A Capela de St. Laurence O'Toole detém o coração deste bispo.

A catedral contém a maior cripta de todas as catedrais da Grã-Bretanha e da Irlanda, que foi recentemente renovada e está agora aberta ao público. Contém diversos objetos históricos, uma escultura do final do século XVIII que estava fora do Tholsel (edifício medieval da cidade de Dublin, que já não existe) e um conjunto de velas que foram usadas nos últimos tempos em que a catedral foi usada sob o rito da Igreja Católica, quando o rei Jaime II de Inglaterra, depois de sair da Inglaterra em 1690, foi para a Irlanda para lutar pelo trono e assistir à missa na Catedral.

Atualmente, o Vaticano reconhece a Catedral da Santíssima Trindade, como a catedral oficial da cidade, sendo que a sede da Diocese Católica de Dublin, a Igreja de Santa Maria, é conhecida como um "pró-Catedral".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catedral da Santíssima Trindade (Dublin)