Catering

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Catering é o serviço de promover serviços alimentares em lugares remotos, um serviço de comidas e bebidas para um determinado número de pessoas, a ser desenvolvido num local e hora determinada, onde o cliente define o tipo de serviço e as iguarias nele servidas aquando a contratação da empresa de catering.

As relações internacionais tem-se interessado nos contratos de Catering e Catering off shore que é o fornecimento de alimento em grande escala, envolvendo os correlatos: pessoal, equipamentos, serviços de limpeza e etc. Tem a origem no verbo "to cater" - provisionar víveres - encontra-se relacionado com o setor da "nutrição coletiva".

O conjunto de serviços e sistemas aptos a satisfazer a necessidade alimentar de pessoas que ficam fora/longe do ambiente doméstico em suas jornadas de trabalho. Outra modalidade é o Catering off shore - quando alcança a necessidade de provisão em projeção extraterritorial. Um exemplo clássico de catering foi o serviço prestado durante a Segunda Guerra Mundial, onde milhares de pessoas escondidas em abrigos do Metro de Londres foram alimentadas.

Outro exemplo foi a atitude da The Coca cola Company em enviar seus técnicos para as diversas regiões ocupadas pelos soldados americanos a medida que o exercito avançava.[1]

Tipos[editar | editar código-fonte]

  1. Catering Industrial - Está associado às cantinas das empresas ou às companhias aéreas, marítimas ou ferroviárias;
  2. Catering Hospitalar - Está associado aos hospitais;
  3. Catering Social - Está associado às cantinas escolares, lares de 3ª Idade, creches e colónias de férias;
  4. Catering de Lazer - Está associado a eventos desportivos ou culturais;
  5. Catering Funcional - Está associado aos banquetes e pode ser realizado em espaços alugados, ao ar livre ou em zonas remotas, casa do cliente ou cantinas de empresas para eventos tais como casamentos e baptizados; festas de aniversário; conferências; eventos sociais ou almoços/jantares de negócios.

Os tipos de serviços utilizados para o catering funcional podem ser:

  • Serviço de Mesa Redonda - Tem menu fixo ou com opções e o preço é determinado independentemente da sua composição;
  • Serviço à La Carte - Tem maior variedade de escolha e evita o desperdício. O cliente seleciona os pratos que mais lhe agradam;
  • Serviço Buffet - O cliente pode consumir tudo o que estiver exposto nas mesas, podendo repetir se assim desejar. Este serviço reduz o numero de empregados de mesa, tanto em quantidade como em qualificação mas por outro lado pode ocorrer maiores desperdícios.

Os tipos de execução de serviços para a mesa redonda ou à la carte podem ser:

  • Serviço à Francesa - O empregado coloca a travessa à disposição do cliente, pelo lado esquerdo e este serve-se a si próprio;
  • Serviço à Inglesa Indirecto - O empregado transporta a iguaria colocando-a sobre a mesa de serviço ou carro de apoio, executa o serviço de empratamento, serve o prato ao cliente pelo lado direito;
  • Serviço à Inglesa Directo - O empregado transporta a iguaria apresentando-a ao cliente pelo lado esquerdo, serve o cliente utilizando o talher de serviço;
  • Serviço à Russa - A Iguaria (peças inteiras) vem da cozinha, é apresentada aos clientes e trinchada, mantendo o aspecto original, depois é apresentada novamente aos clientes e servida através de um dos serviços apresentados anteriormente.
  • Serviço à Americana - É o mais fácil de todos os serviços, as iguarias são empratadas na cozinha e transportadas pelo empregado de mesa que as coloca directamente pelo lado direito ao cliente.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Atualmente em Portugal, já existe graduação superior na área do Catering. O principal objetivo é qualificar os profissionais, para que os mesmos tenham a capacidade de dominar as técnicas de organização, gestão e direção de unidades de produção alimentar, em empresas de restauração hoteleira, social, comercial e coletiva. Escolas: Instituto Politécnico de Leiria - Escola Superior de turismo e Tecnologia do Mar; Instituto Politécnico da Guarda - Escola Superior de Turismo e Hotelaria

Portugal conta já com uma algumas empresas de referência internacional na distribuição de equipamentos para todo o canal HORECA. [2]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CRACKNELL, H. L. e NOBIS, G.(1989), Serviço de Restaurante – Manual prático e profissional, Edições Cetop, Lisboa.
  • CRACKNELL, H. L. e NOBIS, G.(1993), Catering, manual prático e profissional da indústria hoteleira, Lisboa, Edições Cetop, volume I.
  • CRACKNELL, H. L. e NOBIS, G. (1993), Catering, manual prático e profissional da indústria hoteleira, Lisboa, Edições Cetop, volume II.
  • DAVIS, B.; LOCKWOOD, A.; STONE, S. (2005), Food & Beverage Management, Oxford, Butterworth-Heinemann
  • FREUND, F. (2002), Festas e recepções: gastronomia, organização e ceremonial, Rio de Janeiro, Senac.
  • GINÉS, J. (2003), Gestión de banquetes, Instituto de Turismo empresa y Sociedad, Madrid, Síntesis.
  • GOLDEN-ROMERO, P. (2007), “Hotel Convention Sales, Services, and Operations”, Oxford, Butterworth-Heinemann.
  • HAYES, D. NINEMEIER, J. (2005), Gestão de Operações Hoteleiras, São Paulo, Pearson Prentice Hall.
  • JONES, P. (2004), Flight Catering, Oxford, Butterworth-Heinemann.
  • MOSER, F. (2002), Manual de Gestão de Alimentação e Bebidas, Lisboa, Edições Cetop.
  • MULLINS, L. (2004), Gestão da Hospitalidade e Comportamento Organizacional, São Paulo, Bookman.
  • PACHECO, A. (2004), Manual de organização de banquetes, São Paulo, 3º edição, Senac.
  • QUINTAS, Manuel Ai, (2007), “Organização e Gestão Hoteleira”, Volume I, II, e III Lisboa, Hoteltur
  • SHOCK, Patti; BOWEN, John; STEFANELLI, JOHN, 2004 “Marketing para Restaurantes para Proprietários e Gerentes”, Lisboa, Edições CETOP.