Catete (bairro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catete
—  Bairro do Brasil  —
Rua do Catete
Rua do Catete
Catete.svg
Distrito Zona Sul[1]
Criado em 23 de julho de 1981
Área
 - Total 68,10 ha (em 2003)[2]
População
 - Total 24 057 (em 2 010)[3]
 - IDH 0,901[4] (em 2000)
Domicílios 11 351 (em 2010)
Limites Flamengo, Glória, Laranjeiras e Santa Teresa[5]
Subprefeitura Zona Sul[1]
Fonte: Não disponível

Catete é um bairro de classe média e média alta da Zona Sul do município do Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Tradicional e histórico, o bairro já sediou a presidência da república brasileira, que ficava localizada no Palácio do Catete (até hoje, o principal monumento do bairro). Assim como os bairros próximos de Glória e Santa Teresa, teve um passado de bairro nobre. Possui forte comércio e muitos sobrados construídos no final do século XIX e início do século XX, no período da belle époque carioca. Seu índice de qualidade de vida, em 2010, era de 0,927, colocando o bairro na 17º posição entre os bairros da cidade. É o 12º bairro mais valorizado da cidade, segundo o índice de valorização imobiliária da cidade.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do bairro é uma referência à principal rua do bairro, a Rua do Catete. Essa rua, por sua vez, adquiriu seu nome devido ao rio que, antigamente, corria paralelo à rua: o Rio Catete. "Catete" é um termo da língua tupi que significa "mata imensa", pela junção de ka'a (mata) e eté-eté (imenso). "Catete" também designa uma variedade de milho miúdo.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Casa do pintor inglês Henry Chamberlain no Catete, com Pão de Açúcar ao fundo, por volta de 1820.
Igreja de Nossa Senhora Glória, no Largo do Machado
Nona Delegacia de Polícia, situado na esquina das ruas do Catete e Pedro Américo.
Palácio do Catete
Chafariz no jardim do Palácio do Catete

Caminho do Catete[editar | editar código-fonte]

O Caminho do Catete, hoje Rua do Catete, já existia antes da chegada dos portugueses e franceses no Rio de Janeiro, pois relatos muito antigos descrevendo as batalhas entre Portugal e França na região já se referiam ao Caminho do Catete de uma maneira corriqueira. O local era habitado pelos índios tamoios da aldeia Uruçumirim (uruçu=abelha; mirim=pequeno), chefiada pelo por Biraçu Merin.

É certo, também, que, junto ao Caminho do Catete, havia um braço do Rio Carioca, rio este que nasce no morro do Corcovado (onde fica, atualmente, a estátua do Cristo Redentor) e desce pelo bairro das Laranjeiras, chegando onde hoje é o Largo do Machado e a Praça José de Alencar, onde formava a Lagoa do Suruí e de onde começava o Rio Catete, que corria paralelo ao Caminho do Catete. O rio ficava do lado esquerdo do então Caminho do Catete para quem vai para a Zona Sul. O rio foi, posteriormente, aterrado, mas o Caminho do Catete continuou. O Rio Catete desembocava na Praia do Russel, que foi completamente aterrada por ocasião de obras: primeiro, a abertura da Avenida Beira-mar e, depois, as obras para a construção do Parque Brigadeiro Eduardo Gomes.

Pedreiras da Glória e Candelária[editar | editar código-fonte]

No início do século XVIII, o Morro da Nova Sintra, na altura do final da atual Rua Pedro Américo, passou a ser denominado "Pedreira da Glória", por fornecer as pedras usadas na construção da atual Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro. A atividade na pedreira levou à abertura da chamada "Rua do Quintanilha", em referência ao proprietário das terras da região. No final do mesmo século, o mesmo morro, na altura do atual Largo do Machado, passou a ser denominado "Pedreira da Candelária", por fornecer as pedras para as obras de ampliação da Igreja de Nossa Senhora da Candelária. Essa pedreira levou à mudança do nome da Rua do Quintanilha para "Rua da Pedreira da Candelária". Em 1917, a rua adquiriu seu nome atual, "Rua Bento Lisboa".

Entre 1876 e 1882, o escritor Machado de Assis morou no número 206 da Rua do Catete[7] , sendo a sua morada mais preservada (sua última residência, no Cosme Velho, já foi demolida).

O bairro se tornou importante após o Palácio do Catete se tornar a sede do governo federal em 1897. Tal situação durou até 1960, quando a capital brasileira foi transferida para Brasília.

O bairro foi criado, oficialmente, em 23 de julho de 1981. Teve seus limites atuais estabelecidos pelo Decreto Número 5 280, de 23 de agosto de 1985[8] . Desde então, o Catete faz parte da Quarta Região Administrativa da cidade do Rio de Janeiro: os bairros integrantes dessa região administrativa são Botafogo, Cosme Velho, Flamengo, Humaitá, Laranjeiras e Urca.

Desde o final dos anos 1990, o bairro vem apresentando valorização imobiliária, com lançamentos de edifícios residenciais e reformas de hotéis. O Hotel Windsor Florida é acomodação oficial da FIFA para a copa do mundo de 2014.

Economia[editar | editar código-fonte]

Estão localizados no bairro várias agências bancárias, casas de câmbio, albergues, hotéis, empresas de engenharia e de exportação, um comércio varejista bastante amplo e diversificado e supermercados.

Transporte[editar | editar código-fonte]

A principal via do bairro é a Rua do Catete, que se estende da Glória até a Praça José de Alencar.

As linhas de ônibus que passam no bairro são: 161, 162, 170, 178, 180, 184, 401, 405, 422, 423, 434, 497, 498, 569, 570, 573 e 574. Há uma conexão de metrô-ônibus que liga a estação de metrô do Largo do Machado até o Cosme Velho.

Metrô[editar | editar código-fonte]

Se localizam, no bairro, a Estação Catete e a Estação Largo do Machado.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museologia[editar | editar código-fonte]

O bairro conta com dois museus: o Museu da República e o Museu do Folclore[9] [10]

Cinema[editar | editar código-fonte]

O bairro conta com dois cinemas: o Cine São Luiz e o Espaço República[11] .

Teatro[editar | editar código-fonte]

No bairro, se localiza o Teatro Cacilda Becker e o Espaço Marum, que, apesar de ser uma boate, ocasionalmente funciona para shows e peças.

Parques[editar | editar código-fonte]

No Largo do Machado, há uma intensa arborização, bancos e um grande chafariz. Há também o jardim do Palácio do Catete.

Templos religiosos[editar | editar código-fonte]

O bairro abriga duas igrejas católicas (o Santuário Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, ao lado do Colégio Santo Antônio Maria Zaccaria[12] [13] , e a Igreja Matriz Nossa Senhora da Glória do Largo do Machado[14] ), duas igrejas batistas (uma na Rua Bento Lisboa, 149 e outra na Rua Tavares Bastos, 23[15] [16] ) e um centro espírita (o Seara Fraterna, na Rua Bento Lisboa, 23[17] ).

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Quanto à gastronomia, o Catete conta com inúmeros restaurantes, desde os mais caros e refinados até casas de suco e lanchonetes de comida rápida como McDonald's e Bob's.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Foi cenário para o primeiro episódio da série da Rede Globo "As cariocas". O episódio teve, como título, "A noiva do Catete". Foi protagonizado por Alinne Moraes, Ângelo Antônio e Pedro Nercessian e exibido no dia 19 de outubro de 2010.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O Catete é adjacente à Glória, a Laranjeiras, a Santa Teresa e ao Flamengo.[18] O bairro está localizado em frente ao Parque do Flamengo. O acesso ao mesmo pode ser feito por passarelas ou por passagens de nível por baixo das pistas expressas. O Aeroporto Santos Dumont, no Centro, está a menos de 10 minutos de carro.

Logradouros[editar | editar código-fonte]

  • Praça Duque de Caxias
  • Rua Andrade Pertence
  • Rua Artur Bernardes
  • Rua Bento Lisboa
  • Rua Correa Dutra
  • Rua Cruzeiro do Sul
  • Rua do Catete
  • Rua 2 de Dezembro
  • Rua Pedro Américo
  • Rua Silveira Martins
  • Rua Tavares Bastos
  • Travessa Carlos de Sá
  • Travessa Petúnia

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Rio Prefeitura - Regiões Administrativas - Botafogo. Página visitada em 25/01/2010.
  2. Rio Prefeitura - Bairros cariocas - Catete. Página visitada em 25/01/2010.
  3. Dados
  4. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000
  5. Bairros do Rio
  6. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 556.
  7. http://www.letraseletras.com.br/home/machado-de-assis.htm
  8. http://archive.is/20120927201933/http://www.armazemdedados.rio.rj.gov.br/arquivos/1721_breve%20relato%20sobre%20a%20forma%C3%A7%C3%A3o%20das%20divis%C3%B5es%20administrativas%20na%20cidade%20do%20rio%20de%20janeiro.PDF
  9. Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular. Disponível em http://www.cnfcp.gov.br/. Acesso em 7 de setembro de 2012.
  10. Decreto 3 158 de 23 de julho de 1981. Disponível em http://www2.rio.rj.gov.br/smu/buscafacil/Arquivos/PDF/D3158M.PDF. Acesso em 5 de setembro de 2012.
  11. Espaço Museu da República. Seção "Rioshow" do jornal "O Globo". Disponível em http://rioshow.oglobo.globo.com/cinema/salas/espaco-museu-da--republica-53.aspx. ACesso em 7 de setembro de 2012.
  12. http://www2.rio.rj.gov.br/smu/caderno_novo/site%20catete/legislacao/especifica/25693.htm
  13. http://archive.is/20120927201933/http://www.armazemdedados.rio.rj.gov.br/arquivos/1721_breve%20relato%20sobre%20a%20forma%C3%A7%C3%A3o%20das%20divis%C3%B5es%20administrativas%20na%20cidade%20do%20rio%20de%20janeiro.PDF
  14. Igreja Matriz Nossa Senhora da Glória do Largo do Machado. Disponível em http://wikimapia.org/258632/pt/Igreja-Matriz-Nossa-Senhora-da-Gl%C3%B3ria-do-Largo-do-Machado. Acesso em 6 de novembro de 2012.
  15. Associação Sul. Disponível em http://www.batistacarioca.com.br/associacao-sul-dp1?layout=category. Acesso em 6 de novembro de 2012.
  16. Decreto 3.158/1981 - Divisão de Bairros do Município do Rio de Janeiro
  17. Quem Somos. Disponível em http://www.searafraterna.org.br/Sobre_Nos.html. Acesso em 6 de novembro de 2012.
  18. Bairros do Rio

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catete (bairro)