Catarina Willoughby

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Catherine Willoughby)
Ir para: navegação, pesquisa
Catarina Willoughby
Duquesa consorte de Suffolk
Retrato por Hans Holbein, o Jovem
'suo jure' 12ª Baronesa Willoughby de Eresby
Reinado 1526 - 19 de setembro de 1580
Predecessor Guilherme Willoughby, 11.° Barão Willoughby de Eresby
Sucessor Peregrine Bertie, 13.° Barão Willoughby de Eresby
Cônjuge Carlos Brandon, 1.º Duque de Suffolk
Richard Bertie
Descendência
Henrique Brandon, 2.° Duque de Suffolk
Carlos Brandon, 3.° Duque de Suffolk
Susan Bertie, Condessa de Kent
Peregrine Bertie, 13.° Barão Willoughby de Eresby
Casa Família Willoughby (por nascimento)
Família Brandon (por casamento)
Família Bertie (por casamento)
Pai Guilherme Willoughby, 11.° Barão Willoughby de Eresby
Mãe Maria de Salinas
Nascimento 22 de março de 1519
Parham Hall, Suffolk, Inglaterra
Morte 19 de setembro de 1580
Castelo de Grimsthorpe, Lincolnshire, Inglaterra
Religião Anglicanismo

Catarina Willoughby, (Parham Hall, 22 de Março de 1519 - Castelo de Grimsthorpe, 19 de Setembro de 1580), foi uma fidalga inglesa que viveu na corte de Henrique VIII de Inglaterra, de Eduardo VI de Inglaterra e, mais tarde, de Isabel I da Inglaterra. Ela foi suo jure 12ª Baronesa de Willoughby de Eresby, como sucessora de seu pai.

Uma sincera adepta da reforma protestante, ela fugiu para Wesel, na Alemanha, e depois para a Polônia durante o reinado da católica Maria I de Inglaterra.

Família[editar | editar código-fonte]

Catarina era a filha de Guilherme Willoughby, 11.° Barão Willoughby de Eresby e de sua segunda esposa, Maria de Salinas. Ele havia sido casado anteriormente com Mary Hussey, filha de William Hussey, um advogado inglês, porém ela morreu sem lhe dar filhos.

A mãe de Catarina era uma nobre espanhola que seguiu a rainha, Catarina de Aragão, até a Inglaterra, como sua dama de companhia, quando de seu casamento com Artur, Príncipe de Gales, em 1501. Anos após a morte do príncipe, Catarina de Aragão se casou com o seu irmão, Henrique VIII de Inglaterra. Henrique demonstrou apreço por Maria, mãe de Catarina, ao nomear um navio de Mary Willoughby.

Casamentos[editar | editar código-fonte]

Aos 14 anos de idade, em 7 de setembro de 1533, a Baronesa se casou com Carlos Brandon, 1.º Duque de Suffolk. O duque já havia sido casado três vezes.

Sua primeira esposa foi Margarida Neville, filha de João Neville, 1.° Marquês de Montagu, um descendente de João de Gante, filho do rei Eduardo III de Inglaterra, com quem não teve filhos.

Sua segunda esposa foi Ana Browne, com quem teve duas filhas, Ana Brandon, Baronesa Grey de Powis e Maria Brandon, Baronesa Monteagle.

Seu terceiro casamento foi com Maria, filha de Henrique VII de Inglaterra, e portanto irmã de Henrique VIII, o que fez de Brandon o cunhado do rei. Antes de se casar com o duque, a princesa havia sido a esposa do rei de França, Luís XII.O filhos do casal foram: Henrique Brandon, Frances Brandon, mãe da famosa Joana Grey, Leonor Brandon, Condessa de Cumberland e Henrique Brandon, 1.º Conde de Lincoln.

Os filhos da baronesa e do duque foram:

Após a morte de Carlos, Catarina se casou com Richard Bertie, um cortesão. Tiveram dois filhos:

  • Susan Bertie (c. 1554 - 1596), foi Condessa de Kent como esposa de Reginaldo Grey, 5.° Conde de Kent, com quem não teve filhos. Seu segundo marido foi John Wingfield, um soldado, sobrinho de Bess de Hardwick. Com John, teve dois filhos;
  • Peregrine Bertie (12 de outubro de 1555 - 25 de junho de 1601), 13.° Barão Willoughby de Eresby, foi casado com Maria de Vere, com quem teve filhos.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina Willoughby

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.