Ceawlin de Wessex

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ceawlin de Wessex
Rei de Wessex
Governo
Reinado 560 - 592
Antecessor Cínrico
Sucessor Ceol
Casa Real Casa de Wessex
Vida
Morte c. 593
Filhos Cuthwine de Wessex
Pai Cínrico de Wessex

Ceawlin de Wessex (também escrito como Ceaulin ou Caelin; morto por volta de 593) foi um rei de Wessex, atual sudeste da Inglaterra. Ele pode ter sido filho de Cínrico de Wessex, e neto de Cerdic de Wessex, que foi o primeiro líder dos saxões que chegaram à Inglaterra. Ceawlin já estava ativo quando a invasão anglo-saxã foi completada na Inglaterra.

Segundo a Crônica Anglo-Saxônica, várias batalhas aconteceram em sua época, entre 556 e 592, incluindo a primeira entre diferentes grupos anglo-saxões. A cronologia de sua vida é incerta: seu reinado é descrito como tendo durado sete anos, dezessete, ou trinta e dois anos, e muitos eventos históricos da época foram colocados em dúvida. Entretanto, parece que sob reinado de Ceawlin ele adquiriu um significante território, embora alguns ele tenha perdido para outros reinos anglo-saxões. Ceawlin é um dos oito "bretwaldas". Ele é considerado por Beda, em Historia Ecclesiastica Gentis Anglorum como o segundo rei a exercer o imperium sobre os outros reis anglo-saxões.

Ceawlin morreu em 593, tendo sido deposto um ano antes provavelmente por seu sucessor, Ceol.

Contexto[editar | editar código-fonte]

A Grã-bretanha no incío do século VI.

No século V as ofensivas dos povos continentais à Grã-bretanha evoluiram em migrações em grande escala. Por entre os novos chegados estão os Anglos, Saxões, Jutos, Frísios e provavelmente outros povos. Conquistaram territórios a sul e leste da Inglaterra, mas por volta do fim do século a vitória bretã no monte Badon travou o seu avanço durante meio-século.[1] [2] Por volta do ano 550, os bretões voltavam a perder terreno e no espaço de um quarto de século, parece que todo o sul de Inglaterra passou para as mãos dos invasores.[3]

A paz que se seguiu à batalha do monte Badon é em parte comprovada por Gildas, um monge que redigiu, a meio do século VI, De Excidio Britanniae, um texto polémico. Gildas cita poucos nomes e datas, mas indica claramente que existia paz do seu nascimento até à data em que escreve.[4] Outra fonte da época é a Crônica Anglo-Saxônica, que lista os reis que tiveram o título de bretwalda. Essa lista apresenta uma lacuna no início do século VI, o que corresponde ao relato de Gildas.[5]

O reino de Ceawlin corresponde ao período da expansão anglo-saxônica do final do século VI. A cronologia e os feitos dos primeiros reis saxões do oeste permanecem obscuros, mas é certo que Ceawlin é uma das personagens chaves da conquista final do sul de Inglaterra pelos anglo-saxões.[6]

Conquista territorial[editar | editar código-fonte]

Mapa dos locais mencionados na Crónica anglo-saxônica relacionados com Ceawlin.

No seu apogeu, o reino de Wessex ocupa todo o sudoeste da Inglaterra, mas as primeiras etapas da sua conquista não são evidentes.[7] O desembarque de Cerdic, seja qual for a data, parece ter sido na Ilha de Wight, e os anais colocam a data da conquista da ilha em 530. Segundo a Crónica, Cerdic morre em 534, e o seu filho Cínrico sucede-lhe; acrescenta que "deram a ilha de Wigth aos netos, Stuf e Wihtgar". Beda contradiz essa informação: segundo este, a ilha de Wight foi colonizada pelos jutos e não pelos saxões - uma versão que os vestígios arqueológicos parecem confirmar.[8] [9]

Textos anteriores na Crónica detalham algumas batalhas que permitiram a expansão do reino dos saxões para oeste. As campanhas de Ceawlin não são feitas no litoral: são alargadas ao longo do vale do Tamisa e para além dele, até ao Surrey, a leste. Ceawlin teve um papel importante na expansão dos saxões para oeste, mas a história militar da época é de difícil compreensão.[7]

Referências

  1. Hunter Blair, An Introduction to Anglo-Saxon England, p.13-16
  2. James Campbell, John e Patrick Wormald, The Anglo-Saxons, p. 23
  3. Hunter Blair ( Roman Britain and Early England: 55 B.C. – A.D. 871, p. 204) propõe 550-575 como datas da conquista final.
  4. Stenton, Anglo-Saxon England, p. 2-7
  5. Swanton, Anglo-Saxon Chronicle, p. 60-61
  6. Stenton, Anglo-Saxon England, p. 30
  7. a b D. P. Kirby (Earliest English Kings, p.49) qualifica o conjunto da Crónica como "ficção política".
  8. Swanton, Anglo-Saxon Chronicle, p. 14-21
  9. Stenton, Anglo-Saxon England, p. 22-23
Precedido por
Cínrico de Wessex
Rei de Wessex
560592
Sucedido por
Ceol de Wessex

Bibliografia[editar | editar código-fonte]