Cebolinha (personagem)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cebolinha
Personagem de Turma da Mônica, Turma da Mônica Jovem e Turma da Mônica Baby
Cebolinha.png

Cebolinha em seu estilo na década de 1980 e 1990
Nome original Cebolácio Júnior Menezes da Silva
Nascimento 24 de outubro de 1960
Origem  Brasil
Sexo Masculino
Espécie Humana
Cabelo Pretos
Olhos Pretos
Características Cabelo espetado com apenas 5 fios, troca o "R" pelo "L"
Criado por Maurício de Sousa
Voz Angélica Santos
Primeira aparição 1960
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Cebolinha é um personagem de histórias em quadrinhos e tirinhas, criado em 1960 por Maurício de Sousa.[1] Sempre à procura de um jeito de pegar o coelhinho de sua amiga Mônica, o Sansão.

Além de participar das histórias com a sua turma de amigos, Cebolinha também participa das histórias do Louco, caracterizadas por situações completamente absurdas que não ocorrem nas histórias com a turma. Cebolinha também participa de histórias com Xaveco, personagem secundário da Turma da Mônica.

Apesar de Cebolinha ser considerado hoje parte da Turma da Mônica, foi criado antes de Mônica (que surgiu em 1963). Cebolinha ganhou sua própria revista em quadrinhos em 1973, quando já existia a revista "Mônica".

Cebolinha foi baseado em um dos amigos de infância de Maurício de Sousa, quando Maurício vivia em Mogi das Cruzes, e teria apelidado o amigo de "Cebolinha" por causa de seus cabelos espetados.[2]

Apesar de marca registrada do personagem, a dislalia o traz inconvenientes muito grandes. Por exemplo, no filme Uma Aventura no Tempo, na cena em que o Astronauta desmaia, a personagem Cabeleira Negra ameaça o transformar em rato através de um aparelho que só poderia ser desativado com as palavras "Cabeleira Negra" sendo pronunciadas corretamente. Todavia, por causa da dislalia pertinente ao Cebolinha, ele não consegue - sendo salvo na undécima hora por seu amigo Cascão.

Ao contrário de seu melhor amigo Cascão, que nunca tomou banho, ele é o que mais aparece em contato com a água.

Um dos personagens mais queridos e importantes da história dos quadrinhos brasileiros, Cebolinha também se tornou conhecido em muitos outros países.

História[editar | editar código-fonte]

Famoso pelas populares tiras de Mauricio de Sousa, Cebolinha apareceu pela primeira vez em outubro de 1960, como personagem secundário nas tiras diárias em preto e branco de “Bidu e Franjinha”, publicadas no jornal “Folha da Manhã” (atual “Folha de S. Paulo”).

Conforme explica o próprio autor, “nas tiras do Bidu começou a aparecer um menino de cabelos espetados e que trocava o 'r' pelo 'l' quando falava. Era baseado num garoto de Mogi das Cruzes que jogava bola perto da barbearia do meu pai. E foi meu pai que, observando o menino e seu cabelo parecendo com o alto de uma cebola, começou a chamá-lo de 'Cebolinha'. Peguei daí o nome e parte dos detalhes físicos.”

Nas historietas, Cebolinha tem uns oito anos e vive no bairro paulistano do Limoeiro. Essas primeiras tiras até então circulavam basicamente em São Paulo. Mas quando ganharam sua versão em revista, passaram a ser conhecidas em outros estados. E o próprio Cebolinha foi crescendo em popularidade, desbancando os “titulares” Bidu e Franjinha. O nosso troca-letras se tornou então a figura principal da historinha. E logo foi ganhando seus próprios coadjuvantes. Floquinho, seu estranho cachorro verde da raça “Lhasa Apso”, foi um deles. E, na tira de 21 de março de 1963, contracenando com Cebolinha, surgiu a menina Mônica e seu coelho de pelúcia. E aquela garotinha feia, baixinha e dentuça acabaria, por sua vez, desbancando o próprio Cebolinha, tornando-se o carro-chefe do universo “mauriciano”.

Mas naquele ano de 1963 Cebolinha ainda era o principal personagem de Mauricio. Em 8 de setembro daquele ano, o popular menino dos cabelos espetados ganhou também uma versão em cores, no número 1 do suplemento “Folhinha de S. Paulo”.

Publicação[editar | editar código-fonte]

A primeira edição do título próprio do Cebolinha, publicada em 1973 pela Editora Abril.

Cebolinha estreou numa tira para o jornal Folha da Manhã em Outubro de 1960,[3] foi publicado pela Editora Continental na revista do Bidu.[4] Apareceria em seguida na revista Zaz Traz, da editora Continental, e também na capa do almanaque da revista - tudo na mesma época.

O personagem ganharia título próprio em janeiro de 1973[5] pela Editora Abril[3] e depois pelas editoras Editora Globo e Panini em formatinho.[6]

Além do título mensal, Cebolinha possui almanaques de republicações.[7]

Em 2010, Cebolinha completou 50 anos, para comemorar a Panini lançou um álbum de luxo em formato grande (19 x 27,5 cm) semelhante[3] ao feito em homenagem aos 50 anos do Bidu[8] contendo uma seleção de histórias do personagem e uma história em estilo mangá e capa é inspirada na Cebolinha #1 da Editora Abril, a diferença é que no álbum do Cebolinha não teve facsimile da primera revista, já que a Panini já esta havia sido publicada na Coleção História vol 1 em setembro de 2007,[5] também foi lançada uma edição de Cebola Jovem com 96 páginas, toda em cores e formato grande (19 x 27,5 cm).[9]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Fala trocando o R intervocálico pelo L, problema conhecido como dislalia;
  • Tem apenas 5 fios de cabelo. Interessante notar que, ao ser criado, Cebolinha tinha os cabelos espetados e em maior número;
  • Está sempre arquitetando planos "infalíveis" para derrotar a Mônica, chamada de "dona da rua", ou em suas próprias palavras, "dona da lua";
  • Usa sempre camisa verde, shorts pretos e sapatos marrons;
  • Acha que tem a superiodade intelectual maior de que todos seus amigos, tanto que, às vezes usa técnicas de meditação budista, arames para localizações de energia positiva e até pirâmides de bambu para melhorar a sintonia de sua inspiração;
  • Se estressa facilmente com pessoas que discordam dele ou o perturbam;
  • É presidente de um clubinho para meninos, que reúne os garotos do bairro para discutir sobre brincadeiras e planos contra Mônica;
  • Conforme o gibi, seu aniversário é no dia 24 de outubro e o seu signo é Escorpião;
  • Apesar de Cebolinha se mostrar São-Paulino nas primeiras histórias, é torcedor do Palmeiras, como é mostrado nas HQs mais recentes. Isso aconteceu pelo fato de usar camisa verde, associando-o mais ao alviverde do que ao tricolor.

Turma da Mônica Jovem[editar | editar código-fonte]

Em Turma da Mônica Jovem, Cebolinha prefere ser chamado simplesmente de 'Cebola' e continua um garoto esperto e muito inteligente. Ele já muda a aparência, tendo mais de 5 fios, mas mantém a velha forma e ainda assim, Cascão o chama de "careca" e dá uma encorpada. Não faz mais 'planos infalíveis' para derrotar a Mônica e se tornar o dono da rua, ele quer conquistar o mundo com os seus projetos para um mundo melhor. Não troca mais os 'erres' pelo 'eles' por ter feito tratamento para a dislalia que tinha, mas quando fica nervoso, acaba trocando as letras. Ele tem uma quedinha por Xabéu, sua antiga babá, mas a pessoa que ele ama mesmo, é a Mônica, por quem é apaixonado desde a infância. Escondia o seu amor pela Mônica na infância, mas na Turma da Mônica Jovem, não consegue esconder esse sentimento, principalmente na Edição nº04, quando Mônica o beija. Durante esta série, possuem uma "amizade colorida" bastante enfatizada e na Edição nº50 Cebola e Mônica se casam.[10]

Família Cebola[editar | editar código-fonte]

Maria Cebolácia Menezes da Silva Filha "Maria Cebolinha"[editar | editar código-fonte]

Bebezinha, irmã caçula do Cebolinha. Inspirada na filha mais velha de Maurício; Mariangela.

Salson Menezes da Silva "Salsinha"[editar | editar código-fonte]

Irmão caçula do Cebolinha e Maria Cebolinha, nasceu em tiras de jornal que foram publicadas em "Tiras Clássicas da Turma da Mônica", na edição 3. Com cartas de leitores, acabou ganhando o nome de Salsinha, mas depois de um tempo acabou sumindo sem explicações, mesmo tendo sido "tirado do fundo do baú", segundo dizem os autores de "Tirinhas Clássicas da Turma da Mônica".

Dona Maria Cebolácia Carneiro Menezes "Dona Cebola"[editar | editar código-fonte]

É a mãe de Cebolinha e de Maria Cebolinha. Ela gosta de seus filhos, mas não aceita quando Cebolinha aborrece sua irmã que logo recebe uma bronca. É cuidadosa com os afazeres domésticos, deixando a casa sempre impecável.

Seu Cebolácio Cogumélio da Silva "Seu Cebola"[editar | editar código-fonte]

É o pai de Cebolinha e de Maria Cebolinha, e se parece muito com seu filho, mas não troca as letras. É trabalhador, atencioso, compreensivo e carinhoso com sua família. Em uma história seu verdadeiro nome é revelado: Cebolácio Cogumélio da Silva.

Floquinho[editar | editar código-fonte]

Floquinho é o cachorrinho de estimação do Cebolinha. É um lhasa apso excessivamente peludo e verde, se assemelhando a uma moita. Como não tem uma face visível, piadas recorrentes incluem saber qual lado é a cabeça e qual a cauda. Sua pelagem também é tão grossa que muitos objetos se perdem lá dentro, e ás vezes Cebolinha e outros usam Floquinho como esconderijo.

O Louco[editar | editar código-fonte]

Licurgo Orival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira, o Louco é um personagem obviamente louco. Consta que mora num hospício próximo da casa do Cebolinha. Por isso vive atazanando o coitado. Está sempre provocando situações absurdas e loucas, porém sem má intenção alguma.

Segundo Maurício, "O Louco tem muito das loucuras dos anos 1970", sendo idealizado pelo seu irmão Márcio Sousa, e o visual inspirado no desenhista Sidney Salustre. As histórias do Louco sempre tem um elemento nonsense, com o personagem entendendo errado expressões e palavras, e certo uso de metalinguagem.[11]

Á partir dos anos 90, consta que fugiu do hospício e passa a morar em sua própria casa, uma casa recheada de uma decoração louca e inimaginável, onde quadros e enfeites ganham vida própria. Uma versão dessa casa existia no Parque da Mônica.

Chama Cebolinha sempre de Cenourinha, embora Cebolinha já seja um nome de um legume. Sempre brinca ao chamá-lo de Cenourinha, como dizendo que vai brotar se cair com força no chão e ser regado. Na Turma da Mônica Jovem, passa a chamar Cebolinha de Cenoura(como visto na edição 33).

Momentos notáveis[editar | editar código-fonte]

  • Foi capitão do time do campinho do Bairro do Limoeiro, mas abandonou o cargo após fazer cinco gols contra;
  • Na década de 1960, quando foi criado, Cebolinha era dono do bordão: "Diacho!". Hoje, seu bordão mais frequente é "Pindalolas! "(Pindarolas);
  • Cebolinha é conhecido por ser o mais criativo da turma[carece de fontes?]. Franjinha ocupa o segundo lugar por ser cientista mirim, e Cascão o terceiro lugar, por saber consertar máquinas e brinquedos quebrados, e também, por transformar lixos em brinquedos[carece de fontes?];
  • Na história "Barraco entre famílias", foi descoberto que o animal mais rápido do planeta é o Cebolinha fugindo da Mônica. Em segundo lugar, segundo a revista é o Andorinhão, que Xaveco diz alcançar 700 km e em terceiro está o Guepardo, que alcança 110 km por hora em apenas quatro segundos;
  • No desenho animado, no episódio "O Mônico" há uma cena bastante polêmica quando Dona Cebola confunde seu filho Cebolinha pela Mônica ele retira a toalha e mostra sua nudez frontal masculina pra ela.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • É revelado na edição 48 de Turma da Mônica Jovem que o nome verdadeiro dele é Cebolácio Júnior Menezes da Silva;
  • O personagem hoje é parte da Turma da Mônica mas foi criado antes dela (a Mônica);
  • Sua dubladora brasileira é Angélica Santos;
  • Quando foi criado tinha 11 fios de cabelo ao invés de 5. Quando visto de cima, é revelado que ele tem 11 fios até hoje;
  • Em Cebolinha nº 211, na história "Barraco entre famílias", o programa homônimo de perguntas absurdas, e respostas mais ainda, o apresentador disse que a resposta da pergunta: "Qual é o animal mais rápido do mundo?" é o Cebolinha quando foge da Mônica (ou o Cascão quando foje da chuva ou dos célebres planos infaliveis do Cebolinha);
  • Floquinho, o cão de Cebolinha, é da raça lhasa apso, de origem tibetana;
  • Cebolinha falou certo duas vezes: nas historinhas O Livro do Erre e A Gincana. Na primeira história, ele falou várias palavras corretamente depois de passar noite e dia lendo um livro que o treinava para falar certo, porém o momento não foi testemunhado por ninguém e logo depois voltou a falar errado, e na segunda história fala certo quando levou uma paulada do Cascão, porém também volta a falar certo! E uma vez em Batmenino Eternamente,Mônica 500 e no final de os cinco fios de cabelo mágicos quando ele deseja isso mas cascão pega o ultimo fio e deseja para que volte tudo ao normal.
  • Nas traduções em inglês para as historinhas, Cebolinha, ao invés de trocar R por L, troca o R por W;
  • Seu nome foi traduzido para Jimmy Five em ingles. O five é por causa de seus cinco fios de cabelo;
  • Cebolinha só não fala errado quando a letra R é a última da palavra seguida de uma vogal, tais como: "comer", "dormir", apenas trocando as letras quando o R está no meio da palavra ou no começo;
  • Mônica já fez um plano contra o Cebolinha e ele faz respiração boca-a-boca quando ela não queria isso, só queria a atenção dele ("O Novo Plano! ");
  • Em "Tal pai, tal filho!", conhecemos alguns parentes do Cebolinha, entre eles: Primo Gergelim; os gêmeos Gergelinhos; as irmãs Alcachofra; tio Berinjela; tia Beterraba; Tomatinho; Primo Louro; Primo Aipo, entre outros. Além de seus excêntricos avós Cebolão e Cebolona;
  • Cebolinha faz aniversário dia 24 de outubro, portanto é do signo de Escorpião ("O Paraíso Astral "), ("O Presentevê ");
  • Cebolinha torce pro Palmeiras, apesar de já ter sido mostrado torcendo pro São Paulo.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cebolinha