Cedro (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município Cedro
"Capital do Milho"
Bandeira  Cedro
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 20 de dezembro
Fundação 18 de maio de 1964
Gentílico cedrense
Lema Capital do Milho
Prefeito(a) Josenildo Leite Soares (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização  Cedro
Localização Cedro em Pernambuco
Cedro está localizado em: Brasil
Cedro
Localização Cedro no Brasil
07° 43' 19" S 39° 14' 20" O07° 43' 19" S 39° 14' 20" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Salgueiro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Salgueiro, Serrita, Jardim (Ceará)
Distância até a capital 569 km
Características geográficas
Área 144,085 km² [2]
População 11 421 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 79,27 hab./km²
Altitude 546 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,615 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 58 682 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 5 397 01 IBGE/2011[5]
Página oficial

Cedro é um município brasileiro do estado de Pernambuco, localizado no Sertão Pernambucano.

História[editar | editar código-fonte]

Durante o século XIX, o local onde hoje se encontra atualmente a cidade, era uma região de caatinga como diversas outras no Sertão. Aos poucos o nordeste brasileiro ia sendo colonizado com o incentivo da pecuária.

As propriedades se espalhavam por todo o sertão nordestino. Nesta época vieram para esta região as famílias Leite e Inácio. Os Inácios eram oriundos de Serra Talhada e os Leite vinham do vizinho estado da Paraíba.

A propriedade que deu origem ao povoado de Cedro pertencia a Joaquim Inácio Leite, pai de Manoel Joaquim Leite.

A propriedade era uma típica fazenda do Sertão: havia canavial, Casa de Farinha, Curral de Gado e Engenho, localizado onde hoje é a rua do Engenho Velho.

A fazenda logo tornou-se um ponto de parada dos viajantes que vinham de Cabrobó para comercializar em Jardim e no Crato.

Em 1913 Manoel Joaquim Leite construiu a primeira capela da cidade, nas proximidades de onde hoje é a Igreja da Matriz.

Crescimento da vila[editar | editar código-fonte]

Francisco de Assis Leite, conhecido como Chico Leite, seguiu os passos de seu pai, Manoel Joaquim Leite, que fora político e vereador.

Chico Leite tornou-se um dos mais importantes personagem de nossa história. Seguindo o caminho do pai, que construíra a primeira capela, Francisco Leite construiu também uma Capela na pequena vila, no local onde hoje é a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ele foi também o responsável pela construção do primeiro prédio da Igreja Matriz.

No início, havia apenas quatro edificações na pequena vila:

  1. A capela, onde hoje se encontra a Igreja Matriz;
  2. A casa de Manoel Joaquim Leite, onde hoje se encontra a casa de Mário Leite (Filho de Manoel Joaquim Leite);
  3. Um engenho, onde hoje se encontra a Rua do Engenho Velho; e
  4. A casa de Francisco Leite, onde hoje se encontra o Supermercado de Marielton.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de dezembro de 1963 a história de Cedro mudou completamente. Esta data marca a Emancipação do município, ou seja, Cedro, que era distrito de Serrita, tornou-se cidade.

No início havia apenas uma fazenda, depois formou-se a primeira rua e com o tempo o povamento continuou a progredir, passando a ser distrito e finalmente foi emancipado politicamente do município de Serrita em 20 de dezembro de 1963. O novo município teve como patrono o coronel Francisco Filgueira Sampaio (Chico Romão) e como primeiro prefeito Gumercindo da Silva Bem.

Ata da Emancipação política de Cedro[editar | editar código-fonte]

Nossos fundadores:

1- Manoel Joaquim Leite

História de Vida

Joaquim Leite nasceu em 1870 e faleceu em 2 de junho de 1929, com apenas 59 anos de idade.

Era filho de Joaquim Inácio Leite e de Joaquina Jacinta de Vasconcelos. Foi Professor, agrimensor, agricultor e vereador pelo município de Serrita.

Sua residência servia de abrigo para muitos tropeiros, romeiros e viajantes que se dirigiam para o Ceará, principalmente para Juazeiro do Norte, além de funcionar como escola, onde o próprio ensinava, e ter servido para celebração de missas, antes da construção da primeira capela e durante o período entre a demolição da primeira capela e a construção da Segunda.

Esse casarão era ladeado por uma bolandeira (descaroçadeira de algodão) – (ao norte) - e por uma casa de farinha (ao sul), ambas de propriedade do Prof. Manoel Joaquim Leite. Também era de sua propriedade um engenho de cana que ficava localizado nas proximidades da atual Rua do Engenho Velho, daí o nome.

Construiu a primeira capela em 1913, que foi batizada pelo Padre Sizenando e um cemitério em 1916 - hoje praça N.S. do Perpétuo Socorro. Casou-se três vezes.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005.[6] Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico inferior a 800 mm, o índice de aridez até 0,5 e o risco de seca maior que 60%.

A Paisagem[editar | editar código-fonte]

O município está localizado na unidade geoambiental dos Maciços e Serras Baixas. A paisagem que predomina em nesta região é a Caatinga, típica do semi-árido. O semi-árido tem duas estações: a seca que se prolonga de junho a dezembro e a chuvosa entre janeiro e maio. Durante a estação seca as paisagem ganha a cor cinza, pois as árvores deixam as folhas caírem para economizar água.

Logo que chegam as primeiras chuvas tudo fica verde novamente.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Cedro está nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Terra Nova e tem como principais tributários os riachos do Meio e da Gameleira, todos de regime intermitente. O açude Barrinha é a principal fonte de água para a população, inicialmente este açude teve a capacidade de acumulação de 1.960.000 m³.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Página visitada em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 01 de outubro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 18 dez. 2013.
  6. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.